O Senhor March - Geraldine Brooks


Um romance sobre a consequência da guerra na vida de um homem.

"Atravessando um vibrante mundo intelectual, O Senhor March retrata a complexidade moral da guerra, testado pela demanda do idealismo extremo. Uma escrita luxuosa, um conto original e com detalhes de um outro tempo. Para criar o personagem do senhor March, Geraldine Brooks recorre às cartas de Bronson Alcott, pai de Louisa May Alcott, um dos personagens do clássico Mulherzinhas, e traz à luz todo o seu idealismo e sensibilidade, com uma influência natural e verossímil.

No romance de Brooks, o senhor March surge como um sacerdote idealista nas regiões devastadas pela guerra, que testará a fé em si mesmo e na causa que defende, pois, conforme os dias passam, March evidencia que também é capaz de atos de barbárie e racismo. Entre um ataque e outro, acaba sendo gravemente ferido, mas, ao recuperar-se de uma quase-morte, vê-se à frente de mais um desafio: reconstituir seu corpo e sua alma, que estão em frangalhos, para reencontrar uma família que foi deixada para trás e que não imagina quanto a guerra o transformou." Abas do livro

Pois é, depois de vários comentários positivos sobre esse livro, não resisti e mergulhei em mais uma história narrada de forma espetacular pela Geraldine Brooks...

Eu confesso que não li "Mulherzinhas", mas após esse livro não posso mais deixar passar esse lapso... a trama é tão bem escrita e rica que fiquei presa a cada página, principalmente do meio do livro em diante...

Mais uma vez essa escritora me conquistou, com seus personagens secundários tão reais que muitas vezes me perguntei o que teria acontecido com o "fulano de tal" (como se fosse realmente alguém real), personagens ricos, densos, um verdadeiro espetáculo para os meus olhos...

O Senhor March é um capítulo à parte, muito bem construído, e foi baseado em A. Bronson Alcott, pai de Lousia May Alcott (autora de Mulherzinhas), a idéia com certeza foi ótima já que as personagens de Mulherzinhas são baseadas em sua própria família (em si mesma e em suas irmãs), mas contar a vida de um personagem fictício citado em um clássico da literatura é uma idéia ousada e ao mesmo tempo fabulosa... e como comprovei, absolutamente vitoriosa...

O livro não deixa de ser triste, afinal se passa em meio a Guerra da Secessão, tendo ainda como fundo a questão da escravidão, o preconceito, e as doenças decorrentes da guerra ou da própria região...


Mas o final é muito bonito, surpreendente e envolvente...
Para conhecer mais detalhes sobre o livro, sugiro que visite o site e leia um trecho do primeiro capítulo...

8 comentários:

Deixe seu comentário