Até você chegar - Judith McNaught

"No início do século XIX, Sheridan Bromleigh, garota de catorze anos criada livremente pelo pai, é enviada à casa de sua tia solteirona, professora de boas maneiras.
Seu aprendizado dura seis anos: aos vinte, ela é uma bela, elegante e educada professora de um seleto colégio de moças, escolhida para acompanhar uma das alunas, noiva de um nobre, à Inglaterra.
Durante a viagem, a aluna foge com outro homem, deixando Sheridan aterrorizada com a possibilidade de ser punida pelo descuido.
Mas o noivo preterido acabara de falecer, atropelado pela carruagem do conde Stephen Westmoreland, que compungidamente recebe Sheridan no cais, confundindo-a com a noiva oficial.
Antes que consiga esclarecer o mal-entendido, a jovem é atingida na cabeça pela carga de um dos navios, perdendo a memória.
Em meio à confusão que se segue, brota entre o conde e a plebéia uma arrebatadora e louca paixão..."


Nesse livro temos história do irmão do Clayton Westmoreland (Whitney, meu amor)...
Stephen David Elliott Westmoreland, conde de Langford, barão de Ellingwood, quinto visconde de Hargrove, visconde de Ashbourne... bem, só essa apresentação já tira o fôlego de qualquer moçoila apaixonada por romances históricos...
O romance de Stephen e Sheridan é cheio de imprevistos e confusões... Sheridan é a acompanhante da jovem Charister, que está noiva de um nobre inglês... mas durante a viagem dos Estados Unidos à Inglaterra a jovem se apaixona por outro homem e foge... sem saber como, Sheridan decide explicar ao noivo a fuga da jovem...
Stephen por sua vez atropela o noivo da moça e ele falece... cheio de culpa, Stephen vai ao encontro da noiva explicar a morte do nobre, mas antes que consiga se explicar, Sheridan sofre uma pancada na cabeça e perde a consciência...
Crente de que Sheridan é a tal noiva, Stephen toma o lugar do noivo...
Bem, depois de toda essa confusão inicial, muitas outras estão por vir...
Um dos pontos que mais gosto nesse livro é o fato de revermos vários personagens de outros livros, como a Whitney e Clayton Westmoreland, Alexandra e Jordan Towsdale, Victory e Jason Fielding...
Esse livro, apesar de não ser o meu preferido, também é delicioso de se ler... conta com todos os ingredientes que só a Judith consegue juntar e um pouquinho de pó mágico (é a única explicação).
Uma coisa é comum em todos os livros que li da autora... o casal, apesar de apaixonado acaba sempre se separando... separados, descobrem que é impossível viver sem a pessoa amada... e então há uma volta triunfal... uma mais linda do que a outra, que deixa a gente sempre suspirando no final...
Esse livro é mais fácil de achar, já que foi republicado recentemente... então, recomendo fervorosamente a leitura...





Essa é a capa do meu livro, uma edição mais antiga...

13 comentários:

  1. De todos os que li da Judith até o momento, esse é meu favorito. Amei demaaaais!

    Alexandra e Jordan também estão em 'Alguém Para Amar'.. eu dei pulinhos quando vi o casal se referir a Clayton Westmoreland como um dos últimos solteiros cobiçados - ou seja, antes de 'Whitney, meu Amor!', que eu QUERO LER!!!

    OMG... pq não publicam os livros da Judith DIREITO por aqui??? Eu comprava todos, sério! ^^

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. PS: Alexandra e Jordan são de que livro, vc sabe?

    ResponderExcluir
  3. Acredita que eu ainda não li nenhum da Judith McNaught ?
    Preciso me redimir !!!!

    Beijos
    Luka.

    ResponderExcluir
  4. Fer...

    O livro é Um amor maravilhoso, sendo o título original Something Wonderful.

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  5. Gosto muiuto do Stephen, mas o meu IANNNN e o Zach XD

    ResponderExcluir
  6. Achei a trama bem macarronica, mas parece ser gostosinho de ler! Bem de tarde de domingo chuvosa!

    ResponderExcluir
  7. [suspiros] comprei o livro para ler, por conta, da Maratona e estou amandoooooooooo... Sthephen é tão perfeito, que toda hora suspiro e fico rindo sozinha... aff!

    ResponderExcluir
  8. Dé,
    Eu queroooo, adoro perdas de memórias e príncipes e plebéias rsrs

    bjoo

    ResponderExcluir
  9. Comentei há pouco sobre um livro dessa autora em outro blog. Vendo algumas resenhas, descobri que não sou muito fã desses romances mais tradicionais, principalmente os históricos, porque raramente chamam minha atenção. No final do ano passado eu vi uns livros dessa autora saindo por R$19,90 na Leitura, mas acabei não comprando. O tema desse é interessante, quem sabe algum dia eu não me anime ;)


    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Débora,

    Eu li!!!

    Agora as considerações:
    Primeiro que não segui seu conselho e li esse antes de Whitney, meu amor e acho que isso fez toda a diferença. Me apaixonei imediatamente pelo Stephen, achei o irmão Clayton muito apático, mas tudo bem, não havia lido o outro antes. Adorei, chorei horrores quando ela reencontra o mordomo sendo ela a governanta, e a cena em que ela, no cavalo, oferece seus favores a ele, quase morri de dó!!! Mas achei que no final a autora perdeu a mão, ficou muito forçado o retorno, podia ter acontecido antes, sem sombra de dúvidas, mas principalmente, como ele não disse que a amava?! Fiquei passada.
    Bom, depois fui ler Whitney, achei a história bem legal, adorei o termo "minha pequena", assim como adorei o termo "moça", kkk, mas quando ele se aproveita dela, fiquei morrendo de raiva, principalmente porque ela ainda justificou tal fato, é claro que para a época é compreensível, bem como a passagem das chicotadas, mas achei violento demais, e ao contrário do que o temperamento da personagem nos dizia, ela acaba sendo submissa em ambas as situações e justifica os atos. O Clayton, tão aclamado, me pareceu perdido, sórdido, malvado e paranóico, toda a hora encasquetava com alguma coisa e jogava tudo para cima, contrariando todo o começo em que foi presente, autoritário e cativante. Acho que no final, mas uma vez a autora fez muitas idas e vindas, o que me fez várias vezes xingar demais os personagens e achar que algumas passagens era desnecessária.

    Outra coisa, achei o Atévocê chegar muito mais divertido, com passagens hilárias e que me fizeram acordar o marido com minhas risadas.
    Quanto a Whitney, meu amor, a única parte em que fiquei realmente chocada e realmente considerei uma virada na trama, pelo fator surpresa, foi quando ele se envolveu com Wanessa, é esse o nome dela mesmo? rs.
    Mas, no final, gostei, tanto que vou ler as outras obras, qual você me indica para continuar minha maratona Judith McNaught?
    Beijos e obrigada mais uma vez por me ceder os livros.

    ResponderExcluir
  11. Débora,

    Eu li!!!

    Agora as considerações:
    Primeiro que não segui seu conselho e li esse antes de Whitney, meu amor e acho que isso fez toda a diferença. Me apaixonei imediatamente pelo Stephen, achei o irmão Clayton muito apático, mas tudo bem, não havia lido o outro antes. Adorei, chorei horrores quando ela reencontra o mordomo sendo ela a governanta, e a cena em que ela, no cavalo, oferece seus favores a ele, quase morri de dó!!! Mas achei que no final a autora perdeu a mão, ficou muito forçado o retorno, podia ter acontecido antes, sem sombra de dúvidas, mas principalmente, como ele não disse que a amava?! Fiquei passada.
    Bom, depois fui ler Whitney, achei a história bem legal, adorei o termo "minha pequena", assim como adorei o termo "moça", kkk, mas quando ele se aproveita dela, fiquei morrendo de raiva, principalmente porque ela ainda justificou tal fato, é claro que para a época é compreensível, bem como a passagem das chicotadas, mas achei violento demais, e ao contrário do que o temperamento da personagem nos dizia, ela acaba sendo submissa em ambas as situações e justifica os atos. O Clayton, tão aclamado, me pareceu perdido, sórdido, malvado e paranóico, toda a hora encasquetava com alguma coisa e jogava tudo para cima, contrariando todo o começo em que foi presente, autoritário e cativante. Acho que no final, mas uma vez a autora fez muitas idas e vindas, o que me fez várias vezes xingar demais os personagens e achar que algumas passagens era desnecessária.

    Outra coisa, achei o Atévocê chegar muito mais divertido, com passagens hilárias e que me fizeram acordar o marido com minhas risadas.
    Quanto a Whitney, meu amor, a única parte em que fiquei realmente chocada e realmente considerei uma virada na trama, pelo fator surpresa, foi quando ele se envolveu com Wanessa, é esse o nome dela mesmo? rs.
    Mas, no final, gostei, tanto que vou ler as outras obras, qual você me indica para continuar minha maratona Judith McNaught?
    Beijos e obrigada mais uma vez por me ceder os livros.

    ResponderExcluir
  12. Débora,

    Eu li!!!

    Agora as considerações:
    Primeiro que não segui seu conselho e li esse antes de Whitney, meu amor e acho que isso fez toda a diferença. Me apaixonei imediatamente pelo Stephen, achei o irmão Clayton muito apático, mas tudo bem, não havia lido o outro antes. Adorei, chorei horrores quando ela reencontra o mordomo sendo ela a governanta, e a cena em que ela, no cavalo, oferece seus favores a ele, quase morri de dó!!! Mas achei que no final a autora perdeu a mão, ficou muito forçado o retorno, podia ter acontecido antes, sem sombra de dúvidas, mas principalmente, como ele não disse que a amava?! Fiquei passada.
    Bom, depois fui ler Whitney, achei a história bem legal, adorei o termo "minha pequena", assim como adorei o termo "moça", kkk, mas quando ele se aproveita dela, fiquei morrendo de raiva, principalmente porque ela ainda justificou tal fato, é claro que para a época é compreensível, bem como a passagem das chicotadas, mas achei violento demais, e ao contrário do que o temperamento da personagem nos dizia, ela acaba sendo submissa em ambas as situações e justifica os atos. O Clayton, tão aclamado, me pareceu perdido, sórdido, malvado e paranóico, toda a hora encasquetava com alguma coisa e jogava tudo para cima, contrariando todo o começo em que foi presente, autoritário e cativante. Acho que no final, mas uma vez a autora fez muitas idas e vindas, o que me fez várias vezes xingar demais os personagens e achar que algumas passagens era desnecessária.

    Outra coisa, achei o Atévocê chegar muito mais divertido, com passagens hilárias e que me fizeram acordar o marido com minhas risadas.
    Quanto a Whitney, meu amor, a única parte em que fiquei realmente chocada e realmente considerei uma virada na trama, pelo fator surpresa, foi quando ele se envolveu com Wanessa, é esse o nome dela mesmo? rs.
    Mas, no final, gostei, tanto que vou ler as outras obras, qual você me indica para continuar minha maratona Judith McNaught?
    Beijos e obrigada mais uma vez por me ceder os livros.

    ResponderExcluir