Brincadeira Literária - Whitney, meu amor - Judith McNaught


Demorei bastante tempo pensando em que livro iria usar para participar da brincadeira... eu leio desde muito cedo, comecei lendo gibis, depois passei a ler livros infanto-juvenis como os da série vaga-lume... meu autor preferido era o Pedro Bandeira...
Por volta dos 11 ou 12 anos comecei a ler livros de banca e de ficção... por isso é um tanto quanto difícil me lembrar qual o primeiro...
Em casa, tive bastante incentivo para começar a ler... mas depois que a leitura passou a ser quase um vício, não foi muito fácil manter o hábito... não que meus pais fossem contra, mas confesso que nunca entenderam essa paixão e nunca apoiaram meus gastos excessivos com livros...
Conforme fui crescendo, passei a ser um ratinho de biblioteca... em todas as escolas/faculdade que eu estudei, era uma das poucas alunas conhecidas pelo nome... e foi assim que descobri livros e autores maravilhosos...
Com o passar dos anos e principalmente após a conclusão da faculdade, é claro que o volume das minhas leituras diminuiu consideravelmente... e fui deixando a leitura cada vez mais de lado... há pouco mais de um ano atrás, meio sem querer descobri alguns blogs que falavam sobre livros, comunidades que traduziam e distribuiam livros...

A paixão renasceu... voltou com força total... após uns 3 meses lendo
como uma louca, me veio a vontade de criar um blog para ordenar minhas leituras, nunca imaginei o mundo que se abriria diante dos meus olhos...

E o primeiro livro que li nessa nova fase foi "Whitney, meu amor" da escritora Judith McNaught... curiosamente, eu nunca fiz uma resenha sobre ele...

Foi o primeiro livro que li da autora e simplesmente me apaixonei...


"Órfã de mãe e criada por um pai severo e frio, a adolescente Whitney Stone choca a sociedade inglesa do começo do século XIX com seus modos, sua espontaneidade e rebeldia. Desde menina, ela ama o belo e aristocrático Paul, perseguindo-o em todos os lugares e inventando as mais inusitadas formas de chamar-lhe a atenção. Enviada a Paris, ela recebe um longo treinamento para transformar-se uma mulher fina, glamourosa, irresistível. Quando retorna a Londres, está mudada, mas ainda disposta a conquistar seu amor de infância. Mas o irascível e poderoso duque Clayton Westmoreland é quem se interessa mais vivamente pela jovem mulher. E é ele quem, por meio de artimanhas maquiavélicas, consegue levá-la ao altar. Mas Whitney recusa-se a aceitar imposições, e está disposta a fazer tudo para livrar-se do odioso casamento. A convivência, porém, traz surpresas, e dentro de pouco tempo o duque se revela muito mais charmoso e gentil do que ela desejaria admitir. Talvez Paul não passe de uma fantasia infantil; talvez Clayton tenha bons motivos para agir tão brutalmente; talvez o casamento não seja um erro tão grande assim…"

O livro conta a história de Whitney e Clayton Westmoreland, já li muito comentários contrários a esse livro, mas apesar de tudo não consigo desgostar...
Clayton é o típico anti-herói, quando digo isso não é por ele ser rebelde ou algo do gênero... mas ele é grosso, arrogante, desconfiado, bruto... um verdadeiro homem poderoso de 1800 e bolinha...
Whitney é uma jovem rebelde, que foi enviada pelo pai para estudar na França, esperando que assim ela recebesse uma boa educação e se tornasse uma dama... a educação realmente funciona, mas ela não deixa de ser um tanto afoita e arredia para as mulheres de sua época.

O livro nos apresenta vários personagens e se passa na época da regência, com grandes bailes, vestidos maravilhosos e vários nobres lindos e outros nem tanto...

Esse é sem dúvida o livro mais forte da autora e o que melhor retrata a condição de inferioridade da mulher naquela época...

Por vezes torci para que Whitney terminasse com um amigo, chamado Du Ville... que a meu ver era sem dúvida alguma mais apaixonante do que o Clayton...

Mas como o coração tem razões que a própria razão desconhece... eu e a Whitney acabamos nos apaixonando pelo Clayton, apesar de tudo que ele nos faz sofrer...
Um livro lindo e marcante...
Hum, me deu uma vontade de reler!!

18 comentários:

  1. eu amoooo a JM e os Westmoralend, mas ainda prefiro o Ian!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Débora.

    Amei sua resenha na Participação Literária!

    Eu AMO os livros da Judith!

    Difícil escolher qual o livro dela que mais gostei, mas uma coisa eu tenho certeza, os personagens, especialmente os mocinhos, são apaixonantes! rs.

    'Whitney, meu Amor' está entre os meus preferidos da autora!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Incrível, nunca pensei nisto... já li centenas de livros e não faço a mais pequena ideia de qual foi o primeiro! Se excluir a banda desenhada, talvez o mais antigo que recordo seja a colecção "Os Sete" da Enyd Bliton. Que saudades...

    ResponderExcluir
  4. Aaaai, essa resenha só me deixou com água na boca.. quero TANTO ler 'Whitney, meu Amor!'.. :/

    Bjoss, Dé! Amei o post :)

    ResponderExcluir
  5. Olhando todo mundo tentando lembrar seu primeiro livro me faz pensar que quando eu tiver filhos tenho que blogar o primeiro livro que eles lerem sozinhos! rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Oi Dé!!!
    Eu estou super na dúvida do que postar nesta brincadeira!! Eu, como vc, leio desde muuuuito cedo... será que a primeira coisa q li foi um gibi da mônica???
    Bjks :)
    Alê

    ResponderExcluir
  9. Com certeza não vou me lembrar do primeiro livro que li, vou ver uma antigo.

    Mas menina! Esse livro que você postou é meu sonho de consumo. Ele é raríssimo, nunca vi. Às vezes me pergunto: " - Será que ele existe mesmo?"

    Pelo visto sim. rsrsrsr

    bjos.

    ResponderExcluir
  10. Eu amoooooooooooooooooo esse livro. Foi o segunda da Judith que li, e o que me conquistou... hahaahaaahaa. Lindo, lindo, lindo. vi uma vez na estante por 130. podiam relançar (suspiro)

    ResponderExcluir
  11. Esse livro da Whitney é sensacional...além desse vale destacar Em busca do paraíso da mesma autora...q é contemporaneo

    seu blog é show

    ResponderExcluir
  12. A editora Planeta junto com o Romances in Pink traz mais um belo presente para os leitores do blog.

    O sorteio do livro O Bom Partido de Carly Phillips.

    Para participar é só ir aqui ---> http://www.romancesinpink.com.br/2010/03/sorteio-o-bom-partido-da-carly-phillips.html

    ResponderExcluir
  13. Débora,
    é a série Os de Burgh da Deborah Simmons. Creio eu que há em e-book, embora eu tenha comprado o dito livro. Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi Débora!!
    Tem selinho para você lá no meu blog!

    http://escrevendoloucamente.blogspot.com/

    Bjinhos! =)

    ResponderExcluir
  15. Coleção Vagalume foi uma marca para a geração 80/90. Eu adorava os livros do Marcos Rey, Sozinha no mundo, O mistério do 5 estrelas, O rapto do garoto de ouro, etc... Fui conhecer o Pedro Bandeira mais tarde e, pra ser sincera, até hoje eu gosto. Reli Pântano de Sangue e A marca de uma lágrima recentemente, são muito bons.


    Nunca li nada da Judith, embora sempre veja resenhas muito boas de seus livros. Sua resenha me deixou com muita vontade de ler! Não gosto de mocinhos tradicionais, quem ganha meu coração são os anti-heróis, rsrs. Os rebeldes, os maus, os arrogantes... Acho q eles têm muito mais charme que os 'príncipes encantados'.


    Queria ter participado dessa brincadeira, mas não pude me inscrever a tempo.

    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Este livrinho já faz parte da minha listinha de próximas aquisições! Eu quero! kkkkkkkk
    Linda resenha, Dé! Amei!
    Já postei o link da sua resenha, viu?
    Passa lá depois e confira a resenha das outras participantes!
    Beijos,
    NÁH

    ResponderExcluir
  17. Oi galera, preciso muito comprar esse livro Whitney meu amor em português, alguém poderia me vender.
    Meu email é asemensatti@netsite.com.br
    Muito obrigada.

    ResponderExcluir