Brincadeira Literária - Whitney, meu amor - Judith McNaught


Demorei bastante tempo pensando em que livro iria usar para participar da brincadeira... eu leio desde muito cedo, comecei lendo gibis, depois passei a ler livros infanto-juvenis como os da série vaga-lume... meu autor preferido era o Pedro Bandeira...
Por volta dos 11 ou 12 anos comecei a ler livros de banca e de ficção... por isso é um tanto quanto difícil me lembrar qual o primeiro...
Em casa, tive bastante incentivo para começar a ler... mas depois que a leitura passou a ser quase um vício, não foi muito fácil manter o hábito... não que meus pais fossem contra, mas confesso que nunca entenderam essa paixão e nunca apoiaram meus gastos excessivos com livros...
Conforme fui crescendo, passei a ser um ratinho de biblioteca... em todas as escolas/faculdade que eu estudei, era uma das poucas alunas conhecidas pelo nome... e foi assim que descobri livros e autores maravilhosos...
Com o passar dos anos e principalmente após a conclusão da faculdade, é claro que o volume das minhas leituras diminuiu consideravelmente... e fui deixando a leitura cada vez mais de lado... há pouco mais de um ano atrás, meio sem querer descobri alguns blogs que falavam sobre livros, comunidades que traduziam e distribuiam livros...

A paixão renasceu... voltou com força total... após uns 3 meses lendo
como uma louca, me veio a vontade de criar um blog para ordenar minhas leituras, nunca imaginei o mundo que se abriria diante dos meus olhos...

E o primeiro livro que li nessa nova fase foi "Whitney, meu amor" da escritora Judith McNaught... curiosamente, eu nunca fiz uma resenha sobre ele...

Foi o primeiro livro que li da autora e simplesmente me apaixonei...


"Órfã de mãe e criada por um pai severo e frio, a adolescente Whitney Stone choca a sociedade inglesa do começo do século XIX com seus modos, sua espontaneidade e rebeldia. Desde menina, ela ama o belo e aristocrático Paul, perseguindo-o em todos os lugares e inventando as mais inusitadas formas de chamar-lhe a atenção. Enviada a Paris, ela recebe um longo treinamento para transformar-se uma mulher fina, glamourosa, irresistível. Quando retorna a Londres, está mudada, mas ainda disposta a conquistar seu amor de infância. Mas o irascível e poderoso duque Clayton Westmoreland é quem se interessa mais vivamente pela jovem mulher. E é ele quem, por meio de artimanhas maquiavélicas, consegue levá-la ao altar. Mas Whitney recusa-se a aceitar imposições, e está disposta a fazer tudo para livrar-se do odioso casamento. A convivência, porém, traz surpresas, e dentro de pouco tempo o duque se revela muito mais charmoso e gentil do que ela desejaria admitir. Talvez Paul não passe de uma fantasia infantil; talvez Clayton tenha bons motivos para agir tão brutalmente; talvez o casamento não seja um erro tão grande assim…"

O livro conta a história de Whitney e Clayton Westmoreland, já li muito comentários contrários a esse livro, mas apesar de tudo não consigo desgostar...
Clayton é o típico anti-herói, quando digo isso não é por ele ser rebelde ou algo do gênero... mas ele é grosso, arrogante, desconfiado, bruto... um verdadeiro homem poderoso de 1800 e bolinha...
Whitney é uma jovem rebelde, que foi enviada pelo pai para estudar na França, esperando que assim ela recebesse uma boa educação e se tornasse uma dama... a educação realmente funciona, mas ela não deixa de ser um tanto afoita e arredia para as mulheres de sua época.

O livro nos apresenta vários personagens e se passa na época da regência, com grandes bailes, vestidos maravilhosos e vários nobres lindos e outros nem tanto...

Esse é sem dúvida o livro mais forte da autora e o que melhor retrata a condição de inferioridade da mulher naquela época...

Por vezes torci para que Whitney terminasse com um amigo, chamado Du Ville... que a meu ver era sem dúvida alguma mais apaixonante do que o Clayton...

Mas como o coração tem razões que a própria razão desconhece... eu e a Whitney acabamos nos apaixonando pelo Clayton, apesar de tudo que ele nos faz sofrer...
Um livro lindo e marcante...
Hum, me deu uma vontade de reler!!

18 comentários:

Deixe seu comentário