O morro dos ventos uivantes - Emily Brontë

"O morro dos ventos uivantes, o pai de todos os romances góticos, é daqueles clássicos que ficam na memória tanto pela história de amor exagerado, grande demais, que não diminui em nada com o passar dos anos, como pela sequência quase inacreditável de infortúnios que acontece aos amantes:
Heathcliff: o menino misterioso e sombrio, selvagem e inculto que foi trazido para casa não se sabe de onde;
Catherine: a garota geniosa e muita bela que usa de seu charme para seduzir todos com quem convive;
Linton: o filho da família vizinha, refinado e bem-educado, que aos poucos de envolve com os moradores da propriedade isolada nas charnecas do norte da Inglaterra.
Entre mesquinharias, humores, corvardia, traições e crueldade - muitas crueldades nas relações que teem entre si - as duas familías entrelaçam seus destinos de maneira duradoura e misteriosa, surpreendendo os leitores com o que fazem uns aos outros por amor é ódio."

Há muito tempo tinha desejo de ler esse livro, mas sempre me faltava oportunidade... enfim, consegui realizar o intento, mas já tenho desejo de reler a obra daqui há uns tempos e remoer os sentimentos despertados pelo livro...
Bem, para aqueles que não conhecem a história só dou um conselho: Em nenhum momento esperem por uma história bonita, romântica ou doce... O Morro dos Ventos Uivantes é triste, mórbido, cheio de dor, ódio e o que leva a história em frente é um desejo de vingança acima de qualquer coisa... talvez até inexplicável...
E como um livro assim pode conquistar tantos fãs e ser tão bonito?? Não sei responder, só sei que é...
A dor dos personagens por diversas vezes parece ultrapassar as páginas do livro e nos tocar fundo...
Heathcliff sofre tanto durante toda a sua infância e juventude, e para mim é impossível deixar de gostar do personagem mesmo quando só traz tristeza e pesar a todos o cercam...
Um livro que esteve muito a frente de seu tempo e que sem dúvida chocou milhares de pessoas, mas, uma obra prima sem sombra de dúvidas...
Simplesmente me faltam palavras para comentar essa obra, tamanho o meu arrebatamento... é um daqueles livros que dispensam palavras e mesmo quando insistimos parece que elas nos faltam e deixam a desejar...
Só lendo para entender...

18 comentários:

Deixe seu comentário