Samantha Sweet, Executiva do Lar - Sophie Kinsella


Samantha Sweet é uma advogada poderosa em Londres. Trabalha dia e noite, não tem vida social e só se preocupa em ser aceita como a nova sócia do escritório. Ela está acostumada a trabalhar sob pressão, sentindo a adrenalina correr pelas veias. Até que um dia... comete uma grande mancada. Um erro tão gigantesco que pode destruir sua carreira. Samantha desmorona, foge do escritório, entra no primeiro trem que vê e vai parar no meio do nada. Ao pedir informação em uma linda mansão, é confundida com uma candidata a doméstica e lhe oferecem o emprego. Os patrões não fazem idéia de que contrataram uma advogada formada em Cambridge, com QI de 158, e que não tem a menor noção de como ligar um forno! O caos se instala quando Samantha luta com a máquina de lavar... a tábua de passar roupa... e tenta fazer cordon bleu para o jantar... Mas talvez não seja tão incapaz como doméstica quanto imagina. Talvez, com alguma ajuda, ela possa até fingir. Será que seus patrões descobrirão que sua empregada é de fato uma advogada de alto nível? Será que a antiga vida de Samantha irá alcançá-la? E, mesmo se isso acontecer, será que ela vai querer de volta? A história de uma mulher que precisa diminuir o ritmo. Encontrar-se. Apaixonar-se. E descobrir para que serve um ferro de passar...

Eu adoro os livros da Sophie, e ela é minha escritora favorita de chick-lit... todavia, esse livro foi o que eu menos gostei... 
A história é completamente inverossível, mas até aí tudo bem... Samantha larga um cargo de advogada numa das principais empresas do país e passa a ser doméstica numa casa sem contar pra ninguém sua antiga função ou sua total falta de dotes domésticos... é fantasioso e impossível... mas deu charme a trama, foi responsável por ótimas tiradas e momentos hilários...
Ri muito com as trapalhadas de Samantha, mas ela começou a contar com a ajuda do jardineiro Nathaniel e a sua mãe para aprender a cuidar de uma casa...
O romance entre Samantha e Nathaniel ocorre de forma rápida, rola um química arrebatadora, a primeira vez dos dois é de tirar o fôlego... mas achei que eles se apaixonaram muito rápido, sem nem conhecer nada sobre a vida do outro...
Agora o que me incomodou foi o final quando Sam precisa decidir o que fazer com seu futuro... se voltava a ser advogada na sua antiga empresa com um carga de trabalho insuportável ou continuava a ser doméstica!?!?! Como assim?? É oito ou oitenta?? Ela não poderia ter uma carreira alternativa? Ser advogada em outro lugar que exigisse menos horas de trabalho??
Para uma personagem tão inteligente (QI 158), achei as atitudes do final bem burrinhas abaixo do esperado...
O livro é bom, mas o final me deixou a desejar...
Duro a gente gostar tanto de uma autora, as expectativas são sempre muito grandes... 

12 comentários:

Deixe seu comentário