Ame o que é seu - Emily Giffin


Esta é uma história para quem algum dia já se perguntou: Como amar de verdade a pessoa que está comigo, se não consigo esquecer alguém que ficou no passado?
O casamento de Ellen e Andy não parece perfeito, ele é perfeito. São inegáveis a profundidade da devoção mutua e o quanto um desperta o melhor no outro. Mas por obra do destino, certa tarde, Ellen revê Leo pela primeira vez em oito anos. Leo, o que revelou o pior nela. Leo, o que partiu seu coração sem se explicar. Leo, o que ela não conseguiu esquecer. Quando o reaparecimento dele desperta sentimentos há muito adormecidos, Ellen se põe a questionar se sua vida atual é de fato como ela queria que fosse. 


Quase todo mundo já levou um fora na vida, já sofreu por amor, já se viu pensando "e se"... e se tivesse escolhido aquele caminho, e se tivesse dito aquilo... são tantas escolhas que às vezes nem percebemos o quanto elas podem mudar a nossa vida, só mais tarde, anos depois é que paramos e, mesmo que por apenas alguns segundos, nos questionamos... e se...
Esse livro retrata um desses questionamentos e a autora já me conquistou... sempre trazendo temas polêmicos, Emily Giffin consegue falar deles sem cair em clichês e de forma tão natural que você se identifica e percebe que a história poderia ter acontecido com algum conhecido ou até já aconteceu...
Ellen acabou de completar 100 dias de casada... Andy (seu marido e irmão da sua melhor amiga) não poderia fazê-la mais feliz, é apaixonado, se preocupa, é dedicado, bem resolvido, estável e agradável... enfim, o sonho de qualquer mulher...
Pelo menos é isso o que Ellen pensa até cruzar na rua com Léo, um ex-namorado... ou melhor, O EX-NAMORADO... sim, porque o moço partiu o coração da nossa protagonista há 8 anos e foi um daqueles amores inesquecíveis...
Depois desse cruzamento, que só aconteceu por mero acaso, Léo procura Ellen e todo aquele turbilhão de emoções retorna... para piorar Ellen passa a questionar seus sentimentos e o que poderia ter sido...
A partir daí Ellen nos narra sua vida, seu relacionamento com Andy, como iniciaram o namoro, sua amizade com Margot e seu relacionamento com sua irmã Suzanne (me identifiquei horrores com essa personagem) e é claro tudo o que o Léo representou para sua vida...
Um livro narrado em primeira pessoa, com passagens engraçadas, mas que fica bem longe dos chick-lits e que nos põe a pensar em como agiríamos no lugar de Ellen...
O livro é bom do começo ao fim e apesar de incomodar em alguns momentos, você se identifica e torce por Ellen...
Recomendo a leitura, principalmente para aqueles que já têm uma certa "bagagem"... quem já amou, já se desiludiu, já sofreu, já viveu...

6 comentários:

Deixe seu comentário