As Esquinas do Tempo - Rosa Lobato de Faria



Margarida, uma jovem professora de matemática de Lisboa, vai para a Vila Real proferir uma palestra e fica hospedada em uma pousada. Em seu quarto, está pendurada uma pintura de um homem muito parecido com Miguel, sua atual paixão. Na manhã seguinte, por um inexplicável mistério, ela acorda cem anos atrás, na casa de seus antepassados. Sem perder a consciência de quem é, ela odeia esta volta no tempo, mas aos poucos vai se adaptando. Conhece o homem do quadro e apaixona-se por ele. Após um acidente fatal, Margarida regressa ao presente.


Esse é um livro que eu tinha muita expectativa e no fim, fiquei decepcionada...
Isso porque a sinopse é daquelas que faz a gente ter mil e uma idéias... afinal, imagina se hospedar numa pousada e voltar 100 anos no tempo... conhecer o amor da sua vida e depois voltar ao tempo presente...
É ou não é pra mexer com a imaginação de qualquer um??
O primeiro ponto que me decepcionou é o quão pouco o livro é descritivo... eu gosto de livros com diálogos elaborados, cenas totalmente narradas e que deixam pouco para a criatividade do leitor... gosto de mergulhar na história de tal maneira que posso esquecer o tempo e espaço (#filosofandonada)... mas nesse livro meses se passam em pouquíssimas páginas... fazendo a história ficar, na minha opinião, muito superficial...
Margarida volta no tempo, no lugar da sua trisavó, que também se chamava Margarida... lá se envolve com Miguel, a única coisa que fez minha leitura valer a pena... mas a maneira como ela aceita toda a situação, como convive com todas as diferenças como se fosse a coisa mais natural é tão desconcertante e tão pouco comentado que achei impossível, ou melhor, ainda mais impossível que viajar no tempo...
Outro ponto que não gostei, é que o livro é de uma escritora portuguesa... logo foi escrito originalmente em português... mas a adaptação para o português brasileiro foi mal feita... aparentemente apenas a grafia das palavras foram acertadas (já que a minha edição foi publicada antes do novo acordo ortográfico), mas as referências e gírias continuaram todos ali, tornando confusos e inexplicáveis certos diálogos... e o leitor é quem tem de relevar muita coisa.
O livro não é de todo ruim... é bastante poético, possui algumas passagens muito bonitas, é um livro adulto e bastante perturbador em várias ocasiões... foi muito elogiado pela crítica e por diversos leitores...
É uma leitura interessante, mas não faz meu estilo... na verdade merece o troféu de decepção do ano...
Sinceramente não recomendo... mas a Regina do Análises e Leituras leu e amou... então, confiram também a opinião dela, quem sabe não se animam...

8 comentários:

Deixe seu comentário