[Sessão Pipoca] Os três mosqueteiros

Já declarei algumas vezes aqui no blog meu amor incondicional por heróis de capa e espada (e por vampiros, vilões, lobisomens, homens milionários, etc, etc) e por esse motivo estava a meses eufórica com a notícia de que uma nova adaptação de Os três mosqueteiros estava sendo produzida... isso sem falar na participação de Orlando Bloom como Duque de Buckinghan e do Matthew Macfadyen (lindo no papel do Mr. Darcy) como Athos, um dos mosqueteiros...



Bem, la fui eu toda eufórica assistir o filme que prometia muito mais ação e tecnologia do que as produções anteriores... e realmente tem muito disso e talvez por isso mesmo eu não tenha gostado do filme...

Para quem nunca assistiu um outro filme (principalmente o de 1993 produzido pela Disney) sobre os três mosqueteiros, ou não conhece a história original, é possível que goste dessa versão... mas na minha opinião o filme ficou muito irreal, eu sempre gostei dos heróis de capa e espada porque suas lutas são bonitas, limpas e simples... nada de tiros, força bruta ou poderes sobrenaturais... ali o que vale é a habilidade de cada espadachim...

O filme me lembrou a versão mais recente de Piratas do Caribe e do Sherlock Holmes, muita ação, muitos efeitos especiais e pouca emoção... a fotografia, cenário e as roupas são incríveis, muito lindas, cheias de cor... mas com tanta coisa, os atores me pareceram mais coadjuvantes do que as estrelas do filme...

Ultimamente, nesses filmes muito tecnológicos, sinto falta da mágica do cinema... aquele pó de pirilipimpim que te leva a Terra do Nunca, aquela emoção que você quase consegue tocar quando assiste um desenho como Branca de Neve ou um filme como A Noviça Rebelde... ou se você estiver me achando muito saudosista, porque não a emoção quando se assiste a ultima adaptação de Orgulho e Preconceito (protagonizada Matthew Macfadyen)... e o que dizer das maravilhosas séries da BBC??

Sinto falta do tempo do filme, sim, pois revendo filmes antigos percebo que a história é menos corrida... há tempo para aquela cena onde os atores se olham nos olhos antes do beijo, aquelas pausas nos diálogos... enquanto ultimamente o que mais tenho visto é o pessoal falando e correndo, matando zilhões de o que quer seja, pulando de carros, prédios e helicopteros... e os beijos??? Ah, não dá mais tempo... nada daqueles beijos que dão frio na barriga de quem está assistindo, que chegam a arrepiar e inspirar quem está no cinema... com muito esforço, sobra um tempinho lá no final pra um selinho ou um beijico de despedida quando o herói está saindo numa missão mortal...
Pensando bem, acho que minha implicância não é com os avanços tecnológicos, mas sim com Hollywood que parece seguir a mesma receita de bolo para todos os filmes... sim, porque desde que assisti uma luta brilhante em Matrix usando o revolucionário recurso slowmotion e fiquei de queixo caído com a genialidade do filme, sou obrigada ver o mesmo efeito (ou semelhantes) em todas as lutas de todos os filmes que surgiram depois dele... juro que já vi esse efeito em filmes de comédia, ação, aventura e até em desenho animado...

Bem, já que ainda estão aqui lendo a minha opinião... querem um conselho? Assistam a versão de 1993... ou melhor, leiam o livro!!


6 comentários:

  1. Tbém não gosei da hist. O enredo foi péssimo! Aquele negócio de dirigível então...

    Bem dito, o cenário e tudo mais é perfeito, pena que o resto :X

    hehehhehe E ainda vi em 3D, dim dim jogado fora...

    Beijo,
    Lariane

    ResponderExcluir
  2. Eu sabia! Desde que vi o trailer pela primeira vez na TV tive a certeza de que seria ruim...
    Alguns familiares e amigos me disseram: Você viu!!! Os três mosqueteiros vai sair no cinema!!!
    Eu lhes respondi: Pois é, mas eu não vou ver não... deve ser ruim... esses filmes atuais não tem prestado!

    Que pena que eu estava certa!
    Vou seguir sua dica e assistir a versão de 93!

    Abraços

    H.C.C.Reis
    http://hellenstuffs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Confesso que desde que vi o trailer, não me animei muito não. Sei lá, senti também que tava faltando algo (e não achei os atores bonitões, kkk - em parte foi minha maior implicância, rs). Ainda não vi o filme, não sei se vou...

    Espero que daqui alguns anos, quando forem fazer uma nova versão de filmes como "O Conde de Monte Cristo" e outros de (como você falou), heróis de capa e espada , tentem perceber que é preciso muito arroz com feijão pra superar filmes tão bem feitos e com paciência e dedicação, sem ficar apelando só para os efeitos especiais. =/ Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu amo Alexandre Dumas, já li o conde de monte cristo e comprei os três mosqueteiros, mas ainda não lí, vou assistir essa adaptação semana que vem, um dos motivos é o Matthew como Athos. Eu não estou esperando muito do filme porque já vi que é algo meio futurista e eu não gosto muito, mas vou dar uma chance, pelo menos ouvi dizer que os efeitos são bons.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Que pena. Eu estava animada pra assistir também (por causa do Orlando Bloom mesmo). Os produtores de filmes hoje em dia estão tentando valorizar os filmes mais com a tecnologia utilizada nas cenas do que com a boa atuação. Chato isso, e tem filmes que tem tantos efeitos que fica cansativo para assistir, não é? è por isso também que agora estou procurando filmes mais leves e simples para ver.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Dé!

    Honestamente, não assisti o filme por causa do trailer.

    Achei que não tinha na a ver com a essencia da história.

    Sei lá, apenas não me convenceu.

    BJs

    ResponderExcluir