Um Amor de Detetive - Sarah Mason

Neste divertido romance de estréia de Sarah Mason, Um amor de detetive, os opostos se encontram e - como não poderia deixar de ser -, também se atraem. A bela Holly Colshannon é uma ambiciosa e desastrada jornalista da Bristol Gazette. James Sabine (apenas um pouco mais bonito que ela), é um sargento-detetive durão, grosseiro e ressentido. Levados pelo acaso , eles se encontram diversas vezes por conta de uma série de conicidências bastante oportunas. Rapidamente, a determinada Holly vê em James a grande chance de progredir em sua carreira e decide segui-lo por um período de seis semanas a fim de escrever uma coluna crimina, que poderá vir a ser o seu primeiro sucesso jornalístico. O lado positivo da situação é que ela consegue obter a tão sonhada coluna O lado negativo é que o bonitão não está nem um pouco feliz com a presença constante de Holly em sua vida.
O romance não é o ponto alto desse livro, na verdade ele só acontece nas últimas páginas... mas o livro vale a pena ser lido pois é muito engraçado e leve... ideal para aqueles períodos em que a gente precisa dar boas risadas...
Adoro essas mocinhas atrapalhadas, que vivem caindo, tropeçando e que não sabem distinguir a esquerda da direita... elas fazem eu me sentir bem normal... sim, porque eu também vivo tropeçando e preciso de uns dois ou três segundos para lembrar qual é a direita e qual é a esquerda...

Holly é um encanto, uma garota extrovertida, que faz amizade fácil, trabalha num jornal local e acaba de ser promovida para reporter policial. Talvez promovida não seja a melhor palavra para descrever a situação de Holly já que todos fogem desse cargo no jornal...

Quando entra em contato com Robin, a relações públicas da polícia, a moça tem a brilhante idéia de colocar Holly grudada a um policial para que assim ela possa fazer um diário no jornal sobre sua experiência... seu editor fica eufórico, o problema é que o policial designidado detesta...
James é um grosso... bonitão, olhos verdes, charmoso... mas um grosso, não deixa passar uma oportunidade e está sempre provocando Holly...

Mas ela não deixa barato, responde sempre a altura e o jeito atrapalhado e excêntrico dela, acabam conquistando o nosso detetive "olhos verdes"...
Sinceramente eu não teria dado a menor bola para o cara, apesar de ele ter seu charme... mas teria escolhido entre o Callum (outro detetive que sempre colocava a Holly pra cima) e o Dr. Kirkpatrik (um médico lindo que sempre atende Holly quando ela vai ao hospital)...

Para piorar ainda mais a situação de James, ele está de casamento marcado, mas desde o começo percebemos que há "algo de pobre no reino da Dinamarca"...
Quem leu o livro deve se lembrar que o editor da Holly, Joe, adora usar citações e provérbios (daí foi impossível resistir e tive que colocar ao menos um aqui), o problema é que nem sempre o provérbio está certo, ou se encaixa bem na situação...
Os personagens secundários são um show, acho que a autora conseguiu equilibrar bem a comédia, sem cair no ridículo...
Enfim, adorei o livro, creio que vale muito a pena ser lido... só não vá ávida por um romance arrebatador, pois o que vemos aqui é um romance construido ao poucos, com a convivência... uma antipatia mútua que vira camaradagem e depois amor... bem light e divertido...

5 comentários:

Deixe seu comentário