Cinquenta tons de cinza - E. L. James





Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seu próprios termos...




Antes de mais nada acho que vale esclarecer um ponto... o livro foi escrito por uma pessoa apaixonada  por Crepúsculo que depois de ler a série toda em 5 dias começou a escrever uma fanfic... a própria autora cita isso em todas as entrevistas que li e não é segredo para ninguém, logo, é óbvio que os personagens principais tem muito da Bella e do Edward... Ouvi até quem descrevesse a série como sendo um Crepúsculo para adultos... e eu particularmente concordo...

Bem, esclarecido esse ponto dá para contar melhor o que eu achei do livro... eu gostei... gostei bastante... acho que ele tem tudo aquilo que realmente senti falta em Crepúsculo: Sexo, uma pegada mais forte, um personagem misterioso de verdade e não um garoto que aceita tudo e não exige nada em troca (que me perdoem as fãs do Edward)...

Quanto a toda a polêmica sobre o conteúdo erótico, eu não vi motivos para tanto "auê"... achei super fraco e juro que estou me sentindo até depravada por isso (risos), a base da relação entre o Christian e a Ana é o sexo, então há muitas cenas... as primeiras são mais descritivas, mas as últimas vão mais no piloto automático... e quanto a toda a polêmica sobre BDSM, tirando uns tapinhas aqui e ali, não tem nada de mais, até me decepcionei, achei que dessa vez eu ia aprender mais sobre o assunto... já li livros muito mais fortes sobre BDSM, ou melhor, quase todo mundo já leu, porque o livro do V. na série Irmandade da Adaga Negra é muito mais pesado do que isso... e mesmo as cenas de sexo, se você já leu aquela série do Súcubo da Richelle Mead ou A Filha da Tempestade da mesma autora, tenho certeza que já leu descrições mais apimentadas do que as desse livro... 

O livro com certeza decepciona quem já leu livros no estilo Ellora's, mas creio que é um grande passo para o mercado editorial brasileiro que ainda publica livros censurando as palavras (a Universo dos Livros faz isso com os livros da Adaga Negra) e torço para que todo esse alvoroço sirva para que muitas autoras comecem a ser publicadas aqui e os editores enfim percebam que mulher também gosta de sexo... a diferença de nós para a maioria dos homens, é que a gente prefere que ele venha acompanhado de uma história romântica... 

Entendam, eu gostei do livro, a história é boa pois mostra duas pessoas completamente atraídas, uma atração que chega a dar medo de tão forte, mas que é possível existir... mas ele também tem seus defeitos, ou melhor, acho que o maior problema foi a grande expectativa que causou em algumas pessoas principalmente pela parte do sexo...

Ana é uma personagem muito inocente e li algumas críticas pesadas sobre isso, mas eu conheço algumas Anas na vida real e posso garantir que elas existem aos montes por aí... o Christian é assustador... misterioso, confuso, instável, perseguidor, problemático, rico, lindo, carismático... ele me assusta e me intriga... e é assim que a Ana se sente... eu sinceramente teria saído correndo dele, e provavelmente estaria correndo até hoje... mas mulher gosta de ajudar, né?? Gosta de achar que consegue mudar um cara... seja ele cafajeste (isso ele não é) ou pervertido (isso ele é elevado a nona potência)... então Ana se envolve, vai entrando cada vez mais na sua vida e ao contrário da Bella que ficou paranóica pensando se ele amava ela... o drama da Ana é mais adulto, ela sabe que ele tem sérios problemas, que ele não se acha capaz de amar e ser amado... e ela tem suas dúvidas se realmente que entrar nesse negócio de submissão/dominação... e só uma doida não teria as mesmas dúvidas...

Ao longo do livro a Ana vai se soltando e se mostrando mais confiante, enquanto o Christian vai se tornando mais doce (será impressão minha??), apesar de ser um livro fraquinho, acho que é importante ter a cabeça aberta para esse tipo de leitura e ele não deve agradar as mais puritanas e idealistas... li algumas críticas de que a Ana se sujeita ao Christian e tudo mais... e achei tudo uma completa besteira, afinal tudo que é feito consensualmente e entre quatro paredes é válido e posso garantir que pessoas que consideramos "normais" gostam de coisas até mais bizarras na intimidade... 

Hoje li uma frase postada pelo twitter da Bienal e acho que se aplica perfeitamente a esse livro, por isso vou colocá-lo na íntegra:
"Existe o livro bom literariamente e existe o livro divertido, gostoso de ler." - Santiago Nazarian 
A minha intenção nessa postagem é tentar mostrar para vocês que eu achei justamente isso: o livro é divertido, gostoso de ler, mas não deixem se empolgar pelas inúmeras propagandas e nem se desmotivarem pelas críticas ferrenhas... não é nenhuma obra prima da literatura, mas pode ser uma leitura divertida... tire suas próprias conclusões... e não esqueçam de me contar o que acharam!!!

0 comentários:

Deixe seu comentário