[Sessão Pipoca] As aventuras de Pi

Com uma produção visualmente espetacular e sendo um dos favoritos ao Oscar 2013, com 11 indicações, o filme As Aventuras de Pi está em cartaz nos cinemas brasileiros. Dirigido pelo consagrado diretor taiwanês Ang Lee (O Segredo de Brockeback Moutain; O Tigre e o Dragão), o longa, de 2012, é um drama que mistura um pouco do trágico e do fantástico.

As Aventuras de Pi conta a história de Pi Patel (interpretado pelo desconhecido ator indiano Suraj Sharma), cujo pai é dono de um zoológico em Pondicherry, na Índia. Devido a dificuldades financeiras, a família vende o empreendimento e embarca para o Canadá, para reconstruírem a vida. Mas uma tempestade naufraga o navio, deixando Pi como único sobrevivente em um bote salva-vidas, junto de alguns animais do zoológico, dentre eles, um feroz tigre, de nome Richard Parker.

Com uma fotografia belíssima, As Aventuras de Pi consegue criar digitalmente imagens criativas e marcantes, tornando o visual um dos pontos mais fortes da projeção, o que só é confirmado com as indicações ao prêmio mais cobiçado da indústria cinematográfica. O próprio tigre é um animal real e digital, em determinados momentos das filmagens, buscando criar uma fera verossímil.

O final.... Claro que não vou soltar spoiler, mas muita gente saiu do cinema afirmando ter compreendido uma mensagem de Deus belíssima. Eu não achei isso, tem uma mensagem, sim, mas eu, particularmente, não considero como de fé. E até acho que o próprio Ang Lee não acredita na mesma coisa que as pessoas saíram achando, o que deixa o final muito tendencioso para o que diretor acha e não ao que o espectador interpreta. É o que achei, pelo menos.
Vale lembrar que o livro no qual o filme é inspirado, A Vida de Pi, de Yann Martel, foi acusado de ser praticamente um plágio de Max e os Felinos, do falecido escritor brasileiro Moacyr Scliar. O livro brasileiro tem um caráter mais político e foi lançado nos Estados Unidos em 1990. Depois de toda a polêmica envolvida na época da premiação de A Vida de Pi, Yann Martel escreveu no prefácio que se baseara mesmo na obra de Scliar.

Com ou sem interpretações do final, inspiração em uma obra brasileira, fotografia magnífica e boas atuações, As Aventuras de Pi é um dos “filmes do momento” e para discutir suas mensagens ou mesmo para apreciar visuais incríveis – especialmente em 3D- é preciso assisti-lo. Mas para quem imagina que se trata de uma fantasia com fofura e animadora, é necessário pensar duas vezes antes de vê-lo.

Photobucket

0 comentários:

Deixe seu comentário