Deixou saudade: Moonlight


Resenha da Danielle (Estréia da nossa nova colunista) 

Sabe aquela série que mesmo anos após o cancelamento não sai de sua cabeça? Eu diria mais: do seu coração. Para mim sem dúvida Moonlight (CBS – 2007 a 2008) ocupa este lugar.

Ainda lembro como a descobri... zapeando sem compromisso, vi o nome e me interessei, li a sinopse e duas palavras me fizeram parar ali mesmo: vampiro detetive. O episódio em questão era o três: Dr. Feel Good.
E foi amor a primeira vista. Então procurei me atualizar, e uma semana de espera era um suplício. 

Mas deixando o saudosismo de lado vou contar o porquê de tanta empolgação, mesmo após cinco anos de cancelamento.

Dêem uma olhada nessa entrevista do Mick St. John, meu vamp detetive inesquecível. (ignorem os erros de português no vídeo, por favor)


Sinopse: Em 1952, Mick St. John era um músico que se apaixonou pela pessoa errada, Coraline, uma vampira centenária que na noite de núpcias deu-lhe de presente a imortalidade. O relacionamento de idas e vindas termina quando ela seqüestra uma garotinha. Agora como investigador particular ele é contratado pela mãe da criança que é Beth Turner. Desde que salvou a garota ele lhe vigia de longe. Mas numa investigação Beth, agora repórter do Buzzwire, um telejornal da web, o vê nas sombras e lhe faz uma pergunta que rende a resposta do título do primeiro episódio: No such thing as vampire. Os dois se vêem apaixonados, mas Mick se acha um monstro que não merece amar e faz o possível para afastá-la. O que não será fácil.

Mick St. John (Alex O’Loughlin) odeia sua condição de vampiro, se lhe dessem escolha ele sempre seria humano, a solução que encontra para aliviar tanta raiva por ser um monstro é tornar-se investigador particular, em casos que muitas vezes envolve vampiros. Salvou Beth das garras de sua ex-esposa, mas esconde o fato até cerca de metade da temporada.

Beth Turner (Sophia Myles) é uma jovem repórter que não teme em meter o nariz onde tem perigo. Trabalha no Buzzwire e ignora que é vigiada por um vampiro. O momento em que descobre o segredo de Mick apesar de assustador não a afasta dele (episódio 2: Out of the past). E depois disso eles se tornam parceiros nos casos (a contragosto de Mick).

Josef Konstan (Jason Dohring), vampiro de mais de quatrocentos anos, sarcástico, rico, não quer compromisso. Diria que é um playboy vampiro. Troca de Freshie, “doadoras” de sangue, como troca de roupa. O único amigo de Mick, por motivos pessoais ele não incentiva o romance entre Mick e Beth.

Coraline Morgan (Shannyn Sossamon) é uma vampira da primeira linhagem, apaixonada por Mick, jamais imagina que será rejeitada por tê-lo transformado. Apesar dele não a querer, a vamp não o deixa em paz. A personagem retorna fingindo ser Morgan, uma fotógrafa freelance do Buzzwire e traz novidade que deixam Mick muito feliz, e Beth morta de ciúmes.

Moonlight tinha de tudo: romance, tensão sexual, ação, humor, drama, e uma boa dose de efeitos especiais.
Com ótimas tiradas de humor, por conta de Josef, momentos de teimosia do casal principal e os muitos casos nos quais eles se propõem a investigar, é uma série inesquecível.
O amor pela série foi tamanho que quando a CBS anunciou que estava cancelada os fãs americanos se mobilizaram para uma campanha de doação de sangue. Apesar de um grande ato e de muita aderência à causa, os chefões da rede não deram uma segunda chance. Portanto a série conta com apenas 16 episódios.
A série conta ainda com personagens secundários que são maravilhosos tais como Guillermo, o cara do necrotério que vende o sangue dos mortos para vampiros que como Mick não sugam os vivos. Logan, o vampiro hacker que adora jogos de computador e ajuda o detetive sempre que possível. O detetive Carl, que por mais que tentasse manter Beth fora das cenas de crime, sempre cedia.
Outro ponto que muito me agradou foi a questão dos títulos dos episódios serem usados durante o episódio. Amo muito esse recurso.
O que deu errado para Moonlight em minha opinião foi ter sido lançada antes da modinha de vampiros, pois os atores eram ótimos, a audiência se mantinha, os episódios bem bolados com casos interessantes, o romance impossível que nos fez torcer até o fim, e a quebra de mitos sobre o vampiro, foram fatores responsáveis por minha lealdade à série.
Se puderem, assistam que não irão se arrepender. E talvez por já saberem do fim, quando a porta for fechada no episódios 16, Sonata, você não sinta como se fosse fechado o seu coração.

Lista de episódios:

1: No Such Thing as Vampires
2: Out of the Past
3: Dr. Feel Good
4: Fever
5: Arrested Development
6: Black Crystal
7: The Ringer
8: 12:04 AM
9: Fleur-de-Lis
10: Sleeping Beauty
11: Love Lasts Forever
12: The Mortal Cure
13: Fated to Pretend
14: Click
15: What's Left Behind
16: Sonata


Me resta ainda o desejo de que um dia Moonlight ganhe um filme.

 E você? Assistiu? Se sim, o que achou?

 Aliás, vocês sabiam que a série foi inspirada num livro?

Angel of Vengeance” (clique na capa para conferir no Goodreads)

Photobucket

0 comentários:

Deixe seu comentário