O cirurgião - Tess Gerritsen


Resenha da Danielle

“O cirurgião” volume Um da série de livros “Rizzoli & Isles” me decepcionou num único ponto: a doutora Maura Isles não aparece. Claro que isso não teria ocorrido se eu tivesse lido os livros na ordem.

Acompanhamos Jane Rizzoli num caso onde ela terá de dividir espaço para outro detetive: Thomas Moore, conhecido por Santinho ele é diferente dos outros e respeita o trabalho da colega detetive e até tenta ajudar contra as provocações dos outros detetives envolvidos no caso.

Neste volume temos uma boa visão do quão difícil é a vida da Rizzoli em família, sempre deixada de lado para que bajulem seu irmão mais velho Michael.

Focada no trabalho ela encontra uma ligação com o atual assassinato e outros ocorridos fora de Boston. Após uma conversa com Moore eles seguem a pista afinal precisam saber se é o mesmo assassino ou um imitador. 

O cirurgião tem um padrão: com a garota ainda viva ele corta a barriga da vítima para levar seu souvenir (o útero), depois disso ele corta sua garganta de uma ponta a outra. Outra de suas marcas é que deixa a roupa de dormir da vítima bem dobrada sobre um móvel. Ele é metódico, gosta de sentir o sangue em suas mãos, seu cheiro o excita, o terror das garotas o diverte.

As cenas são bem detalhadas e se você tem estômago fraco fique longe. (creio que vou repetir isso sempre)

A pista que Rizzoli segue traz resultados e acabam por encontrar a única sobrevivente dos ataques anteriores do cirurgião, a doutora Catherine Cordell que apesar de sua discordância inicial acaba por ajudar os detetives.

O caso é muito interessante e a escrita de Tess continua instigante, os detalhes são tão realistas que por várias vezes me senti enjoada, era como ver e sentir o que cada um dos personagens estavam vivenciando.

Em meio a todo esse terror com mais um ataque surgindo e deixando uma testemunha a autora consegue inserir um romance que surge devagar e sem planejar.

Outro ponto interessante é que alguns capítulos têm a narração do assassino ele nos traz fatos interessantes da história e nos conta seus motivos para cometer tais crimes. Sabe o que é pior? Ele não é louco, ao menos não do ponto de vista médico.

Os capítulos finais são de tirar o fôlego, eu fiquei com o coração na mão ansiando para desvendar a identidade do assassino, mas também ocorre um evento lindo para acalmar nossos corações.

Só posso reafirmar que estou viciada na série, na escrita ágil da Tess e na personalidade forte da Jane que não se deixa abater. Os detalhes de personalidade de cada personagem é bem explorado a ponto de você sentir que os conhece pessoalmente.

E agora me resta começar a leitura de “O dominador”. O que me lembra de dizer: tentem não ler o segundo antes do primeiro, pois pelo que pude notar estão interligados.

Photobucket

0 comentários:

Deixe seu comentário