A Garota do Penhasco - Lucinda Riley


Esse é o segundo livro que leio da autora, o primeiro foi A Casa das Orquídeas, e já consigo perceber algumas características bem definidas na sua forma de escrita...

Seus livros são nostálgicos, daqueles em que os personagens viajam no tempo, relembram o passado e revisitam a vida de seus antepassados... também são tristes, dramáticos e essa particularidade pode não agradar todo o tipo de público...

Dessa vez, optei por não usar a resenha oficial para ilustrar o post, pois ela está completamente errada:
"... A história das famílias Ryan e Lisle é um lindo conto sobre um século de mal-entendidos e rancor entre inimigos que se acreditam enganados por falcatruas financeiras.

O caso de amor entre Grania Ryan e Lawrence Lisle comove por sua delicadeza e força vertiginosa que culmina em imensa tristeza..."
Em primeiro lugar, o rancor entre as duas famílias nada tem haver com finanças, e sim com morte, dor e perda...
E o suposto caso de amor, não é nem possível existir já que os personagens citados viveram em épocas diferentes, sinceramente não sei quem escreveu essa sinopse, mas fez um péssimo trabalho!!

Nesse livro a personagem Grania sofre um aborto e decide abandonar toda sua vida em Nova Iorque, seu namorado Matt não entende onde errou e porque Grania foi embora... já devo dizer que a Grania não foi a minha personagem favorita, muito pelo contrário, ela é bastante imatura em vários momentos, já Matt é crédulo demais e tive vontade de bater nele em várias passagens...

Grania retorna para sua terra natal, um vilarejo próximo a Cork na Irlanda... lá conhece a pequena e adorável Aurora, uma garotinha orfã de mãe que é muito esperta e especial... Aurora é filha de Lily Lisle e vem de uma família que não é benquista na região.

A mãe de Grania se opõe a aproximação das duas e a jovem aos poucos descobre como a família Ryan e Lisle tem suas histórias emaranhadas e como uma família causou imensa dor a outra... 

Grania então conhece a história de Mary, sua antepassada que foi empregada na casa dos Lisle... e a história de Mary é linda, triste e emocionante... ela foi de longe a minha personagem favorita na trama e viveu em Londres no período entre guerras...

Mary foi uma mulher forte, batalhadora e sofreu perdas que dificilmente poderiam ser superadas... e sua história em certos momentos parece estar se repetindo com Grania, há uma leve insinuação de que se trata de uma reencarnação, mas como eu não acredito nisso deixei pra lá...

A história então se divide em 3 partes, uma conta a história de Grania na Irlanda, a outra vai para o passado com Mary, Anne e Lily... e a terceira parte narra as desventuras de Matt em Nova Iorque sofrendo com o abandono de Grania...

No final todas as pontas são perfeitamente amarradas e eu gostaria de contar mais detalhes, mas creio que isso tiraria todo o brilho da história, já que eu mesma fui surpreendida em muitos momentos... 

Uma coisa é certa, a história das duas famílias é tão intricada que só mesmo uma árvore genealógica consegue mostrar todos os detalhes, só mesmo vocês lendo para saber...

Bem, o livro seria perfeito, digno de 5 torres (já repararam no nosso novo sistema de classificação??) se não fosse pelo epílogo... engraçado dizer isso, porque eu já escrevi várias vezes que em todo livro deveria ser obrigatório um epílogo e nesse mordi a língua... estou pensando seriamente em arrancar o epílogo e fingir que a história acabou antes dele.

Isso porque a autora estraga tudo no epílogo, quando tudo vai bem, todos felizes para sempre, ela coloca um final chocante e sem qualquer explicação... só por isso o livro perde meio ponto...

Tirando isso, aconselho muito a ler esse livro... pois tem uma beleza, uma forma de nos tocar que emociona... impossível não se envolver com a história de Mary, não se revoltar com a Anne e ter vontade de sacudir a Grania...

Uma particularidade dessa autora, é que ela consegue escrever com maestria livros sobre mulheres... mulheres fortes, fracas, ambiciosas, fúteis... mas acima de tudo mulheres que mexem com o leitor.

Avaliação (0 a 5):

Photobucket

27 comentários:

Deixe seu comentário