A luz através da janela – Lucinda Riley

Resenha da Danielle
Sinopse: A Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie, os De La Martinières. Quando sua mãe faleceu, deixando o legado do château da família para ela, a única herdeira, Emilie fica devastada e quer vender tudo para que possa voltar à sua rotina comum de veterinária. Entretanto, Sebastian Carruthers aparece em sua vida para ajudá-la a cuidar de toda a documentação e a consola nos momentos mais difíceis. Emilie se apaixona pela sua gentileza e decide se casar com ele. Assim, ela se muda para a casa do marido, Blackmoor Hall, em Yorkshire. Contudo, a vida que ela, ingenuamente, pensa estar começando bem, trará a ela muitas surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração.
Lucinda Riley nos leva mais uma vez numa viagem magnífica pela França, no presente onde há calmaria e voltando ao passado para a época da ocupação do país pelos nazistas.

Emilie de La Martiniers, 30 anos, solteira, veterinária em Paris, retorna ao chateau de sua família em Gassin, sul da França para cuidar da mãe e com seu falecimento está sob seus ombros a decisão do que fará com o legado da família.

Devido ao relacionamento estremecido que tinha com a mãe que lhe deixava de lado por conta de festas, ela se recente e pensa seriamente em manter sua vida normal na capital. Durante um passeio ela conhece Sebastian Carruthers, ele conta que suas famílias têm ligação e como trabalha com arte gostaria de verificar os quadros que estão no chateau. 

Emilie não está acostumada a tomar decisões e aceita de bom grado a ajuda de Sebastian. Devo dizer que este foi um personagem que assim que surgiu me deixou desconfiada, mas a mocinha não sentiu o mesmo e nove meses depois ele a pede em casamento. Após a breve cerimônia eles mudam para Blackmoor Hall, a mansão de sua família em Yorkshire.
Então surge um novo personagem que me conquistou desde o primeiro momento. Mas Sebastian não concordaria com minha colocação.

Na volta à França Emilie comenta com Jacques, o administrador da cave sobre Constance e então somos levados de volta a 1943, a partir do belo e completo relato dele.

Constance Carruthers, 25 anos, casada, arquivista do governo britânico no MI5, posteriormente convocada para se tornar agente. Com uma coragem inegável ela aceita o convite para o treinamento, e torna-se a aluna nota dez. Essa personagem me conquistou de primeira, pois apesar de seu marido estar desaparecido há quatro anos, ela não se acomodou e foi trabalhar em prol da causa. 

Junto a Constance conhecemos Venetia uma linda mulher que chamava atenção por sua beleza. Tornam-se amigas durante o treinamento. E guardem bem esse nome, pois ela é um personagem secundário importante.

Os personagens secundários são maravilhosos e bem trabalhados. Èdouard De La Martinières, um francês com ideais fortes que tem de lidar com diplomacia com os invasores, tem uma linda irmã que é cega, a Sophia. É sob os cuidados dos De La Martinières que Constance viverá por um ano.

A trama é bem elaborada, não há furos, é certeza de que você vai se perder nas 544 páginas deste livro tão lindo, tão eloquente e emocionante. Viaje com Emilie em busca do passado de sua família e se apaixone por Constance, Èdouard, Sophia e Jacques que é nossa ponte de ligação entre passado e presente.

Terminei a leitura completamente extasiada com tanto sentimento e com o acréscimo de conhecimento sobre a situação pela qual a França passou durante quatro anos.

O título condiz com a história. E simplesmente amo quando os autores usam esse subterfúgio. Adoro descobrir a ligação.

A edição da “Novo Conceito” está ótima, vi poucos erros de revisão que não atrapalham a leitura, as páginas são amarelas e a fonte é de um tamanho bom, não muito grande, pois o livro acabaria com mais de mil páginas. 

Super recomendo! E não tenho dúvida quanto ao talento da autora.

Photobucket

29 comentários:

Deixe seu comentário