O Livro do Amanhã - Cecelia Ahern

Nascida no luxo, Tamara Goodwin, de 16 anos, nunca precisou olhar para o amanhã, até que a morte abrupta de seu pai deixa a ela e a sua mãe uma montanha de dívidas e as obriga a se mudarem para a casa dos tios de Tamara, em um vilarejo no interior. Solitária e entediada, a única diversão de Tamara é uma biblioteca itinerante. E ali, ela encontra um livro muito misterioso. Tamara vê inscrições com sua própria letra e datadas para o dia seguinte. Quando tudo acontece exatamente como o livro previa, ela percebe que pode ter encontrado a solução para seus problemas. No entanto, Tamara descobre que é melhor não virar algumas páginas e que, apesar de muito tentar, não pode mudar o destino. (Sinopse do Skoob)


Resenha da Mikaela

O Livro do Amanhã (368 páginas, editora Novo Conceito) é o primeiro que leio da autora irlandesa Cecelia Ahern, então esperava algo realmente bom, devido à fama de P.S. Eu Te Amo. Mas também já tinha lido resenhas desanimadas, então...

Tamara é uma patricinha adolescente irlandesa que tem tudo, até mesmo uma praia particular que é possível ver da janela do seu quarto, além de uma vida vazia, com relações vazias. Até que seu pai se suicida, deixando somente dívidas para ela e a mãe. É então que as duas se mudam para casa do seu tio Arthur, que vive distante da cidade, no campo, com a esposa Rosaleen.

A vida no campo é simples e logo Tamara sai atrás de alguma coisa para ocupar seu tempo... Até encontrar essa biblioteca itinerante e alugar um livro que tem sua escrita do que vai acontecer no dia seguinte! Agora, Tamara precisa usar esse livro pra fazer sua vida voltar a ter um sentido e sua mãe sair da tristeza desde que chegou ali.

Tamara, apesar de ser irritante, é uma boa narradora. Ela reconhece sua própria futilidade e o vazio de seu comportamento, levando a crer que ela amadurece no livro, mas não, vou logo dizer, essa menina não cresce! Tudo é muito difícil pra ela, mas, pelo amor de Deus, ela pode ser pobre, mas está vivendo no meio do campo verdejante irlandês com jardins floridos e uma paisagem magnífica! Queria ver se essa menina fosse viver na periferia brasileira!

Mas, momentos de raiva à parte, a história é muito interessante, tem um desenrolar calmo, construindo as relações ali com equilíbrio e permitindo ao leitor desfrutar daquele ambiente também. Eu já estava animada lendo um livro tão lindo, esperando lições de vida e o amadurecimento dos personagens quando... No meio do livro, a autora muda tudo! 

Havia um mistério rondando aquela família desde o começo da história. Mas achava que o livro não seria sobre o desfecho desse mistério e sim sobre o amadurecimento de Tamara e como ela ia lidar com a nova vida. E, claro, tendo relação com o livro do amanhã. Mas não é isso o que acontece. Lógico que a resolução do mistério é legal de saber... Mas e o livro? O livro simplesmente some e reaparece no fim da história.

Então, Cecelia Ahern construiu bons personagens. Rosaleen e Arthur são personagens interessantes e de características bem demarcadas. Minha personagem favorita é a irmã Ignatius, uma freira que - sabe-se lá porque - decide ser amiga de Tamara e mostra que é bem moderninha, rendendo algumas risadas na história, sendo aquela coadjuvante que se destaca.

Mas a narrativa se perde e o que era pra ser o enredo já nem é mais tão importante assim. Sendo assim, O Livro do Amanhã é ruim? Eu não diria isso. Acho que ele começa bem, tem uma narrativa agradável, bons personagens, bom cenário, apenas podia ser mais, sabe? Mas eu leria outro livro da Cecelia Ahern, acho, isso não impede de ver que ela sabe escrever.

A revisão é boa, só encontrei uma palavra que fiquei em dúvida se podia ser de outra maneira (uma palavra estrangeira), a capa é ótima e os tons azuis que permeiam a parte de trás também, dando uma aura fantasiosa no design. A versão original é bem estilo chick-lit, quase Meg Cabot, então gostei mais da versão de capa lançada pelo Novo Conceito.

 

Avaliação (de 0 a 5) : 3, 5
Photobucket

22 comentários:

Deixe seu comentário