Refém da Obsessão - Alma Katsu

Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este “dom”, oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir. Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan — seu grande amor — o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte. No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado. Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável. (sinopse do Skoob)
Resenha da Mikaela

É muito difícil fazer essa resenha sem algum spoiler do primeiro livro, portanto quem leu o aviso acima já sabe....

Refém da Obsessão, de Alma Katsu (Editora Novo Conceito, 352 páginas), é bem melhor do que Ladrão de Almas, pra começar. Sem se demorar tanto no passado ou no descobrimento do mundo da imortalidade, o livro fala sobre a vingança de Adair e o medo enorme (e com razão!) que Lanny sente dele e o que se pode fazer para fugir da pessoa mais poderosa que ela conhece.

Alma Katsu aprofunda mais o seu complexo Adair e vemos um lado que ele não demonstrava tanto antes: o amor. Ah, mas não pensem que aquele Adair que fez tantas asquerosas no primeiro livro foi embora... Ele ainda faz atos imperdoáveis, sim, e isso é o motivo pelo qual eu não consigo gostar dele, ao contrário de muitas resenhas que vi por aí. Ele é um personagem bem construído. O público não sabe se torce para que ele vença ou ele morra e causar verdadeiramente essa sensação (sem cair no "o vilão que não era tão vilão e vira mocinho") é um grande mérito da autora. Mas gente, por mais que ele alterne de psicopata para lado ternura não há nada que apague o que ele já fez. Pelo menos na minha opinião.

Depois de prendê-lo atrás de uma parede, Lanore sente que Adair voltou. E esse pânico a faz revisitar velhos amigos e confiar demais em certas pessoas...É assim também que o leitor conhece paisagens desérticas e novas aventuras da garota imortal pelo mundo. No geral, ela está bem menos irritante desde que Jonathan morreu, sério, ele só a fazia uma pessoa idiota. Apesar de não existir ninguém inocente ali, é impossível não torcer para que ela se dê bem, o que torna as cinquenta páginas finais uma leitura acelerada e frenética pra saber o final.

No geral, Refém da Obsessão é um pouco mais leve do que Ladrão de Almas, mas não se engane, ele ainda é pesado, ainda tem cenas de violência chocantes, então se você não gosta de ler esse tipo de coisa, nem é bom passar perto. A narrativa em si é melhor, já que temos dois imortais alternando pontos de vista, o que antes não existia.( Somente Lanny e Luke tinham seus pontos de vistas alternando nos capítulos, o acréscimo de Adair mostra mais do personagem do que nunca).O final já dá indícios do que podemos ver no próximo livro e o surgimento de uma nova vilã... Ainda mais poderosa do que Adair. 

A capa é uma das mais bonitas da Novo Conceito que já vi. Sério, ainda mais bonita que a elogiada capa de Ladrão de Almas. A revisão também está boa, não recordo agora de erros de ortografia. O título, na minha opinião, pode ser tanto do vilão Adair quanto da própria protagonista Lanore.

Eu considero Alma Katsu, por esses dois livros, uma escritora muito competente e engajada na pesquisa de lugares na História, além de feito o poeta romântico Lord Byron aparecer nesse livro, o que é um dos melhores momentos. Mas as cenas cruas e cruéis que ela escreve são fortes para esse tipo de livro, de modo que o público definitivamente não é juvenil, o que não é algo ruim, só acho que não é uma leitura para todos, embora seja bem escrito.

Coleção (Trilogia Taker)
- Refém da Obsessão
- The Descent (ainda não foi lançado no Brasil)

Avaliação (de 0 a 5):3,5
Photobucket

Participe

12 comentários:

Deixe seu comentário