Um Gato de Rua Chamado Bob - James Bowen

Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks).
Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados (sinopse do Skoob).

Um Gato de Rua Chamado Bob (James Bowen, Editora Novo Conceito, 240 p.) é aquele tipo de livro que pode agradar muita gente, especialmente quem adora animais.

A história é do autor, James Bowen, e de como ele encontrou aquele que salvou sua vida: o gato alaranjado Bob. É interessante porque é tudo real. O protagonista já havia morado nas ruas, usado drogas pesadas e estava lentamente se recuperando quando encontra o gato ferido na sua porta e cuidar do animal passa a dar um novo sentido à sua vida. Sem mencionar que a lealdade de Bob chama a atenção nas ruas e os dois passam a se tornar figurinhas conhecidas em Londres, ganhando admiradores e também invejosos que podem atrapalhar a caminhada para uma vida melhor.

Então, acompanhamos esse desenrolar através dos fatos cotidianos da vida deles, o que poderia ser chato, mas a presença carismática de Bob, até mesmo em um livro, faz com que o livro siga alegre, otimista e emocionante até o fim, mesmo na sua simplicidade e na ausência de fatos extravagantes fictícios. Tudo ali é real e pelo menos eu torci até o final para que Bowen superasse o vício de heroína e arranjasse um meio de ganhar dinheiro para sustentar ele e Bob.

Podemos, também, observar como funciona o tratamento para os animais em Londres. Mesmo com todas as dificuldades, Bowen, mesmo pobre, consegue atendimento para Bob, o que me faz achar que seja um local gratuito, com exceção dos remédios. Que legal se tivéssemos um lugar assim em todas as cidades do Brasil, né?

Enfim, esse é um livro interessante, especialmente porque são sempre os cachorros que são os leais nos livros, os gatos estão ali mais como companhia. Pois Bob é real, ainda vive com Bowen, e a amizade entre os dois é comovente e impressiona. Só senti falta da aparição de alguns familiares do rapaz, embora a presença da mãe seja bem emocionante, mas como é uma história real, dá pra entender que Bowen não os reencontrou.

A história tem continuação! A Novo Conceito anunciou o lançamento de O Mundo pelos olhos de Bob, que conta mais aventuras do gatinho mais fofo com seu dono/amigo.

O Mundo pelos Olhos de BOB


Ah, para quem quiser conferir um pouco sobre Bowen e Bob, aí está o link para uma matéria do Jornal Nacional sobre eles. E para quem pensa que a fama os fez mudar de lugar, pelo que vi, eles ainda continuam fazendo sucesso pelas ruas de Londres.

Avaliação (de 0 a 5): 4,0


Photobucket



4 comentários:

  1. Você tem razão, normalmente é a fidelidade canina que sempre é retratada, não só em livros, mas em filmes também. Deve ter sido interessante, ainda mais quando se sabe que é real.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. O Bob é para dizer que existe exceção e gatos podem ficar com um único dono sim, aqui na rua vejo muitos que não arredam pé do lar.
    Eu não me interessei pelo livro, mas por ser fatos reais, lidar com dor real machuca mais que a fictícia.
    Deve ser legal acompanhar a luta do James e ver que ele gosta tanto do gatinho. Aqui a Universidade Federal atende os animais sem custo da consulta, a pessoa paga apenas os medicamentos. Seria mesmo interessante que acontecesse em todas as cidades.
    A capa do segundo livro é lindinha!!!

    ResponderExcluir
  3. Tive a maravilhosa oportunidade de ler esse livro, e quem diria? Eu, que prefiro cachorros a gatos, me apaixonei pela história de vida de James Bowen e esse gatinho fofo parecido com o Garfield, por causa da cor laranjinha! Estou louca para ler a continuação do livro :)

    ResponderExcluir
  4. Rose,
    É muito interessante mesmo, principalmente com a historia do Bowen, além do gato. Recomendo!

    Dani,
    Bacana isso da Universidade. Seria tão legal se isso acontecesse em todas as cidades, né? Na Federal daqui existem pessoas que cuidam disso também... Mas acho que se fosse algo organizado pelo governo federal ou estadual poderia ser muito mais legal.

    Michelle Agda,
    Quem não adora o Bob? Tão fofo, né? Realmente ele é o Garfield rsrs


    Bjs!

    ResponderExcluir