TAG - The Book Sacrifice - Mikaela Brasil

Com a TAG que a Dani viu no blog Livros y Viagens, fiz a minha listinha de livros (Não fiz resenha de nenhum...) que eu sacrificaria  em cenários apocalípticos.

REGRAS: É simples! Escolha um livro pra ser sacrificado em cada cenário

CENÁRIOS

1) Um Livro Superestimado: Apocalipse zumbi. Digamos que você está numa livraria e BANG! ATAQUE ZUMBI! O pessoal da loja anuncia que o governo descobriu que os livros superestimados são a única fraqueza dos zumbis. Que livro que todo mundo diz que é incrível mas que você odiou você pega e arremessa nos zumbis sabendo que irá machuca-los?


Gossip Girl - As Delícias da Fofoca
Gossip Girl - As Delícias da Fofoca - Cecily Von Ziegesar (256 páginas, Editora Record)

Tendo inspirado a série e rendido tantos livros, é de se esperar que se gostasse um pouquinho da história, certo? Errado. Ninguém presta nesse livro, as futilidades são esdrúxulas e ninguém amadurece. Simplesmente isso. Se tudo fosse mostrado com a evolução dos personagens, já seria alguma coisa, mas não. Serena, Blair, Nate e companhia só estão interessados no próprio prazer, na escala social da escola, em roupas, drogas e festas. Tem uma hora que cansa, né? Serve só para se ter uma ideia de como se pensa uma pessoa rica em Nova York... Ou é melhor não ter ideia sobre isso.





2) Uma Continuação: Imagine que você está saindo do salão de beleza e BUM: Chuva torrencial! Que continuação você está disposto a usar como guarda-chuva pra proteger seu cabelo


Lua Nova
Lua Nova - Stephenie Meyer (448 páginas, Editora Intrínseca)

Tá ok, não sou muito fã dos vampiros que brilham no sol, mas Crepúsculo (Antes de toda a euforia) não era uma obra ruim, era perfeitamente legal para ler sem compromisso, assim como o próprio filme também. Mas com a chegada de Lua Nova, tudo desabou. Sério, eu parei de ler os livros nesse segundo volume. Não era possível que a autora fosse mostrar tudo sobre a dor da Bella, os meses que se passaram, ela se autossabotando para ver um tantinho que fosse de Edward... Só melhorou no final, algo quase Romeu e Julieta, mas aí muitas páginas tinham se passado e não dá pra salvar um livro só com as páginas finais, né? Sem falar na baixa estima que Bella tinha de si mesma, a gente até entende que ela é tímida, adolescente e tal, mas um livro inteiro falando disso não dá, né?Dava vontade de sacudir a menina até ela acordar pra vida.

3) Um Clássico: Digamos que você está numa aula e o professor está fazendo uma "propaganda" de como esse clássico revolucionou o mundo da literatura e você está tão irritado que pega o livro e joga na cara dele porque você sabe que o clássico é tão ruim que está disposto a pegar detenção pra mostrar como se sente em relação àquele livro. Que clássico você jogaria no professor? 


O encontro marcado - Fernando Sabino (302 páginas, Editora Record)

Li quando o vestibular ainda tinha a lista de livros obrigatórios. Apesar de respeitar o autor, a poesia de sua escrita e tal, mas não consegui gostar do personagem principal, nem dos pensamentos, nem dos outros personagens... Não é um livro que eu sinta gosto por ler.









4) O Livro Que Você Menos Gostou Na Vida!: Digamos que você está numa biblioteca e o aquecimento global explode e o mundo lá fora virou um deserto gelado. Você está preso na biblioteca e a única chance de sobrevivência é queimar um livro. Qual é o livro que você não se arrepende de queimar? 



Viver em Seus Braços - Bárbara Cartland

A rainha dos romances açucarados tem até livros legais, com informações interessantes sobre países e costumes, mas esse livro é tão ruim que choca! A mocinha é o clichê mais idiota de livros românticos: ingênua, não tem atitude, não se revolta por nada, só faz chorar. Poxa, eu sei que ela escapa de situações horríveis no livro, mas cadê a fúria da moça? Porque ela não explode em algum momento, por toda a raiva vivida? Mas o pior mesmo é a visão negativa das sufragistas, que defendiam o voto feminino nos Estados Unidos, na época. O que uma autora quer dizer quando coloca a vilã do livro - a madrasta da moça- pra ser sufragista, defensora do voto feminino? É pra colocar um lado humano? Não. Isso dava uma ar completamente de descrédito nas mulheres que defendiam o voto! Acabava que quem lesse podia até mesmo ficar com raiva das sufragistas, achá-las umas loucas. Se não é intencional, então a autora foi muito imatura! E no final, a mocinha ainda dizia que não entendia o porquê do voto feminino, quando havia tantas coisas a fazer, como caridade e tal....Como se uma coisa impedisse a outra! Eu só esperaria uma lição oculta no meio de tanta besteira, mas acho que não, infelizmente, porque havia algumas histórias legais, mas que dispensei depois de ler isso.  




Encerrei minha lista, claro que não é legal jogar livros na fogueira, tenho pena até de marcar, mas, enfim, vocês entenderam a brincadeira. Eu já li livros mais horrendos mas um deles foi tão horroroso que eu nem coloquei no Skoob, de modo que não sei o nome, e o outro é nacional, já resenhado aqui, mas não coloquei pra não parecer que estou batendo na mesma tecla.

E você? Concorda com a lista? Quais você incluiria?

Photobucket

1 comentários:

  1. Gossip Girl foi minha primeira experiência com o livro sendo pior que a série. Foi traumatizante! haha
    Bjs

    ResponderExcluir