Divergente - Veronica Roth

Em uma cidade futurista, a sociedade se divide em cinco facções dedicadas ao cultivo de uma virtude - a Abnegação, a Amizade, a Audácia, a Franqueza e a Erudição. Aos dezesseis anos, em uma grande cerimônia de iniciação, os jovens são submetidos a um teste de aptidão e devem escolher a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas. Para Beatrice, a difícil decisão é entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é - não pode ter os dois. Então faz uma escolha que surpreende a todos, inclusive ela mesma.Durante a iniciação altamente competitiva que se segue, Beatrice muda seu nome para Tris e se esforça para decidir quem são realmente seus amigos - e onde se encaixa em sua nova vida um romance com uma rapaz fascinante, porém perturbador. Mas Tris também tem um segredo, que mantêm escondido de todos, pois poderia significar sua morte.Ao descobrir um conflito crescente que ameaça destruir sua sociedade aparentemente perfeita, ela também aprende que seu segredo pode ajudá-la a salvar aqueles que ama... ou destruí-la.
Antes mesmo de começar essa resenha já recebi uma "ordem" da Mika: "Faça uma resenha que faça jus ao Quatro"...

Bem, confesso que depois dessa ordem a minha vontade é escrever uma resenha só sobre o lindo do Quatro... isso porque ele é o melhor personagem masculino que já li em uma distopia... enquanto outros personagens são tudo de bom, ele é tudo de ótimo!!!
E já que o filme baseado no livro está para sair, vou encher esse post de fotos do gato dos personagens...


Divergente se passa em um futuro muito distante, a cidade de Chicago foi transformada e as pessoas são divididas em facções... aos dezesseis anos os jovens devem escolher a qual facção irão pertencer para o resto de suas vidas...

As facções são 5: Audácia, Abnegação, Erudição, Franqueza e Amizade.

Caso uma pessoa mude de facção, ela corta os laços com a família, já que o lema é "Facção antes do sangue", ou seja, sua família passa a ser os membros de sua facção...


Beatrice é uma jovem criada na Abnegação, mas sempre sentiu que aquele não era o seu lugar, mas não é fácil trocar de facção, ela sabe que magoará os pais e que provavelmente perderá sua família...

Todos os jovens passam por um teste de aptidão, que os direcionam as suas facções, logo depois acontece a Cerimônia de Escolha, mas para a maioria dos jovens não há nem o que pensar, já que o teste os direcionou corretamente a uma facção.

Mas isso não acontece com Beatrice, seu teste foi inconclusivo e ela não sabe que decisão tomar, para piorar a pessoa que aplicou seu teste disse que ela é uma Divergente e que não deveria contar a ninguém pois sua vida estaria correndo risco.

Na Cerimônia da Escolha, Beatrice escolhe a Audácia... e a iniciação da Audácia é a mais difícil entre todas as facções... logo que chega lá, Beatrice já muda seu nome e se apresenta como Tris...

Lá conhece seu instrutor, Quatro... um cara bem durão e um prodígio da Audácia...

Não dá pra contar muito mais do livro sem soltar um monte de spoilers, então vou deixar a história por aqui e me contentar a contar quais foram as minhas impressões sobre a leitura...


Tudo é muito diferente do que já li, algumas situações são bem absurdas, mas é importante termos em mente que se trata de uma sociedade distópica e assim aceitamos melhor algumas situações... a forma como as pessoas aceitam tudo pacificamente...

Tris enfrenta muitos desafios na Audácia e se mostra muito mais corajosa do que a maioria das pessoas... o que desperta ciúmes e interesse em várias pessoas... colocando sua vida em perigo...

Me apaixonei por Quatro logo no início, ele é bem durão e não tem palavras doces a oferecer a Tris, isso porque ela tem que ser forte para sobreviver, mas ele está sempre preocupado com ela, atento para ajudá-la... mas deixando que ela enfrente suas próprias batalhas...

Em nenhum momento ele questiona o quanto ela é capaz e isso me conquistou, pois detesto mocinhos que tratam as mocinhas como jóias delicadas...

Meu único pesar é que a autora não tem receio em matar personagens... acredito que nem todas as mortes eram necessárias, o que lembra bastante outra distopia famosa "Jogos Vorazes"...

Recomendo muito a leitura, mas já vou avisando para não se apegarem muito aos personagens...

O filme baseado no livro estreia no dia 21/03... e só pelo trailer já me apaixonei de novo pelo Quatro, que está bem lindão interpretado pelo Theo James.


Série Divergente:
- Divergente
- Insurgente
- Convergente

Avaliação (de 0 a 5): 4,5
Photobucket


4 comentários:

  1. Estou ansiosa para ver o filme. Li Divergente e fiquei apaixonada, um livro perfeito.
    http://exceptionss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uau...PRECISO ler esse livro!
    Bj e fk c Deus.
    Nana,
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Com certeza essa resenha fez jus ao Quatro, Dé!
    Adorei esse livro e tô ansiosa demais pelo filme.
    (Com pena de acabar a série lendo os outros dois livros rs)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. É...essas distopias estão mesmo bombando, mas não consegui nem ler jogos vorazes ainda...que dirá essa que saiu depois. Mas é meio chato, eu pelo menos acho... quando morrem muitos personagens....parece que nem a autora se apega, mas enfim.... faz parte né?
    Eu acho as capas lindas demais!
    bjs

    ResponderExcluir