Insurgente - Veronica Roth


Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 

Pode conter spoilers para quem não leu o primeiro livro da série.

Dias atrás fiz a resenha de Divergente, estava com esse livro há muito tempo na estante e quando comecei a ler não consegui mais parar...

No primeiro livro somos apresentados ao sistema de facções, a iniciação na facção da Audácia, que foi a escolha da personagem Tris e o começo do relacionamento dela com o Quatro... uma destruição é causada pelos membros da Audácia que estão sob o controle da Erudição e uma guerra parece ser o único caminho a ser seguido...

Esse segundo livro começa exatamente onde o primeiro parou e ao contrário de outras séries a autora não perde muito tempo explicando o que se passou no livro anterior o que pode dificultar o entendimento para aqueles leitores que dão uma pausa grande entre um livro e outro...

Tris, Quatro e alguns sobreviventes do massacre da Abnegação fogem para a facção da Amizade, mas lá apesar de encontrarem um lugar para se refugiar por alguns dias, percebem que a facção não irá se envolver, muito menos irá contra a forte facção da Erudição por pior que sejam suas ações...

Muitas mortes ocorrem no primeiro livro e nesse segundo a autora continua a dilacerar nossos corações...

Jeanine Matthews é a líder da Erudição e a responsável pela manipulação dos membros da Audácia e pela destruição da Abnegação... Tris começa a se preocupar com o verdadeiro motivo que gerou tudo isso, mas aparentemente ela é a única a pensar isso...

Essa curiosidade acaba por afastar um pouco ela do Quatro, e alguns segredos de ambos os lados colocam o relacionamento dos dois ainda mais em risco...

Não pude deixar de dar razão a Tris por sua curiosidade... nesse livro os dois personagens estão sofrendo e não sabem lidar muito bem com seus problemas... Tris se sente culpada pelos eventos do livro anterior e constantemente se questiona sobre sua identidade, já Quatro precisa superar o ódio pelo pai, enfrentar o retorno da mãe e tudo isso o deixa bastante explosivo, muito diferente da imagem de durão que ele sempre fez questão de mostrar...

Nesse livro também conhecemos mais sobre as pessoas sem facção, entre elas está o Edward que abandonou a iniciação da Audácia...

Eu sem dúvida gostei mais do primeiro livro, mas esse tornou os personagens mais humanos... há mais dor nesse livro e muitas segredos e conspirações, mas o sentimento entre Tris e Quatro também está mais forte, o relacionamento dos dois é posto a prova e ambos amadurecem...

Só posso recomendar... e começar a ler desesperadamente o terceiro livro!

Série Divergente:
- Insurgente
- Convergente

Avaliação (de 0 a 5): 4,5
Photobucket

1 comentários:

  1. Pelo que entendi, mesmo não tendo gostado deste volume como o anterior, ainda sim ele é uma boa sequência do enredo, o que eu acho legal, assim somos apresentado melhor ao assunto antes do encerramento.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir