Querida Sue - Jessica Brockmole

Original: Letters from Skye
Autora: Jessica Brockmole
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
256 páginas

Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. 
Junho, 1940: começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a cara de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.
Querida Sue é um romance epistolar (contado por cartas) cativante, arrebatador e esfuziante.

Quando me interessei por este livro, levei em conta apenas a sinopse e a linda capa, antes de receber meu exemplar vi alguém falar que era semelhante a @mor e fiquei um tanto preocupada, mas foi totalmente diferente, a única semelhança é a questão epistolar, ressaltando que este é por cartas e @mor por emails.

O livro é muito fofo, a capa é ainda mais bonita de perto e tem relação com a trama, um fato que adoro.

David dá início ao livro quando manda a primeira carta de fã para a escritora Elspeth, ela retribue encantada com o contato e assim inicia uma correspondência sem fim. Nasce uma bela amizade, eles contam as novidades que se apresentam, ele envia uma foto para ela, que ela não pode retribuir por que na afastada Ilha de Skye não têm câmeras. 

As cartas são espirituosas e logo eles trocam amenidades e até algumas discussões surgem. Foi muito complicado ler por partes, eu queria ter lido tudo numa tacada só, mas a enxaqueca não deixou. hahaha

O certo é que eles se entendem tão bem que acabam combinando de se encontrar pessoalmente antes que o David parta para sua missão na Guerra. A grande questão é: Elspeth morre de medo do mar. Será que por David ela conseguirá atravessar o canal na balsa?

As cartas são bem recheadas e não perdemos nada do que acontece seja na universidade, durante a Guerra, David conta tudo e Elspeth ora o parabeniza, ora faz troça, mas quando há necessidade ela dá uma bela bronca.

Me pergunto se o correio era tão eficiente antigamente, pois dos EUA para a Ilha de Skye a carta levava dez dias. 

O livro é intercalado entre passado e presente. Há capítulos só de David e Elspeth; outros é Margareth que se comunica com Paul, e outras pessoas.

Jessica Brockmole me surpreendeu com sua escrita ágil, a trama que oscila entre leve e tensa, com sentimentos bem definidos, personagens bem trabalhados e carismáticos.

Além do romance por cartas ser arrebatador, você torce por eles, para que se encontrem e sejam felizes; a busca de Margareth pelo "primeiro volume da biografia" de sua mãe nos intriga e nos impele a descobrir mais e mais, acompanhando avidamente a investigação da garota, não só pelo passado da mãe, mas para descobrir a identidade de seu pai.

O melhor de tudo é que não foca apenas no romance, temos todo o vislumbre da guerra, do cotidiano dos personagens, de tal forma que ao encerrar a leitura conhecemos os parentes e amigos tão bem que é surpreendente.

Querida sue vai arrancar risadas, suspiros, te deixar sem fôlego, desejar sacudir um personagem ou outro, e acima de tudo acreditar que o final feliz pode acontecer, basta esperar.

Um livro mais do que recomendado. =)

Ah sim, deem uma olhada na capa americana: 

Apesar de achar linda e ter relação com a trama também, gostei mais da capa nacional com a mistura de cores que embelezou ainda mais.

Kit lindo que a Editora Arqueiro enviou junto com o livro (Lacinho fofo lilás, um envelope com o logo da editora e papéis de carta)


Nota (0-5): 5





http://www.leituranossa.com.br/2014/04/post-premiado-de-abril.html

6 comentários:

  1. Também gostei mais da capa nacional, muito linda!
    O livro parece ser bom, esse negócio de passado e presente se misturando me faz lembrar da Lucinda Riley.
    Garota Eclética

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da sinopse.
    Obrigado pela dica de leitura.

    ResponderExcluir
  3. Ah, vc me animou a ler :)
    Parabéns pela resenha Dani.
    beijos

    http://www.nossosromances.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Dani!
    Só estou esperando o meu exemplar para começar a leitura \o/
    Ainda não tive a oportunidade de ler um livro que é contado através de cartas, já li um onde a pessoa está em terapia (muito interessante também \o/)
    Não vejo a hora de começar a leitura!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  5. Ah... agora eu preciso desse livro... minha listinha de desejados só não é maior que minha pilha de leituras e você dá um jeito de aumentá-las...kkk

    beijos,

    ResponderExcluir
  6. Olá Dani!! Me apaixonei por este livro depois desta tua resenha, fiquei super curiosa para conferir estas cartas e o final dos personagens!! Dica anotada!!

    ResponderExcluir