Quem teme a morte - Nnedi Okorafor

Quem teme a morte
Autora: Nnedi Okorafor
Ano 2014
Geração editorial
412 páginas

Numa terra devastada por uma hecatombe nuclear, uma jovem e misteriosa mulher com o incomum nome de Onyesonwu – que pode ser traduzido como Quem Teme a Morte – descobre que tem superpoderes e foi escolhida para salvar a humanidade. Este seria um romance distópico como qualquer outro se não transcorresse na África e sua autora não fosse a surpreendente Nnedi Okorafor, elogiada pelo prêmio Nobel nigeriano Woyle Soyinka. Fantasias, batalhas, tradições e alta tecnologia, sonhos, visões, discriminação racial e sexual, tudo se mistura numa narrativa tensa e poética que confere uma nova linguagem para os romances do gênero.


Quem teme a morte é cativante, de leitura fácil e rápida. Nnedi Okorafor sabe lidar com as palavras de uma maneira encantadora e que nos prende à leitura. Se a oportunidade de ler num único dia tivesse surgido eu teria agarrado.

Onyesonwu, ou apenas Onye, é uma garota Ewu, com excessão de sua mãe todos lhe evitam, sua pele cor de areia combinada com o nariz largo denuncia sua origem: é resultado de um estupro.

Enquanto a garota tem vergonha de si e não consegue entender o motivo de sua mãe ter continuado a gravidez, ela ignora o destino que lhe foi reservado.

A medida que acontecimentos estranhos surgem, ela conhece um garoto como ela, Mwika ele é aprendiz do feiticeiro da cidade e responsável por Onye descobrir que é uma Eshu, ela pode mudar de forma, o que ela já fez antes e sequer percebeu.

Determinada a aprender sobre Pontos Místicos, ela busca ajuda de Aro que lhe recusa por ser mulher.

Acompanhar a determinação de Onye tanto para lidar com as pessoas da escola, como o atrito entre ela e Aro, o feiticeiro é fascinante.

Najeeba quando conta sobre o ataque que sofreu nos deixa pasmos, bravos com o estuprador e admirados com o tamanho do amor que sente por sua filha, tão lindo e cativante que a fez viver isolada no deserto com a criança para evitar que Onye sofresse e acabasse morta em meio à civilização.

Em meio a magia temos muitos temas atuais, tais como incesto, bullying, preconceitos.

Nnedi Okorafor mesclou fantasia e realidade tão bem que não dá para imaginar a trama de uma maneira diferente. Ter uma mocinha que apesar de jovem não fica se lastimando e mesmo quando a situação complica mantém o foco e luta pelo que acredita é estimulante.

Os personagens secundários são de grande valia para o desenrolar da trama e cada um mostra um pouco de seu passado sem atrapalhar ou tornar entediante.

Um livro que recomendo tremendamente e que me agradou do começo ao fim.

A arte e diagramação da editora está maravilhosa, muito linda e delicada.


Nota (0-5): 4,5




                               Participe até 31/05
http://www.leituranossa.com.br/2014/05/post-premiado-de-maio.html

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá Dani!
    Nunca tinha ouvido falar desta autora e muito menos do livro! Gostei muito da sinopse e da sua resenha. Seria um livro que eu leria sim, pois gosto de livros de ficção, e também com temas fortes. Achei mara a mistura da fantasia com os temas atuais...
    Indo para a listinha *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Nnedi Okorafor está de parabéns! Ela utilizou um gênero que "está na moda" para passar mensagens importantes, principalmente a de que a criança gerada por um estupro não vai má por causa da genética, mas pode se tornar má se a sua criação não dá amor e educação para seguir o caminho do bem.
    E ainda tem gente que acha que livros de ficção não ensinam nada...
    Um abraço.

    ResponderExcluir