Ecos da Morte - Kimberly Derting - Resenha do Léo

Nome do livro:Ecos da morte
Nome Original:The Body Finder
Lançamento: 2011
Editora: Intrínseca
Páginas:272

Sinopse:
Violet Ambrose tem dois problemas – o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela começa a ficar cada vez mais incomodada com sua estranha habilidade – Violet encontra cadáveres. Desde pequena ela percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos, apenas os das vítimas de assassinato. Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas, agora que um serial killer está aterrorizando a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas assassinadas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela.

Ecos da morte é o primeiro livro da trilogia The Body Finder. A autora, Kimberly Derting, tem uma ótima escrita e o jeito que criou a trama te faz ficar preso ao livro. Do prólogo você já vê que o livro tem potencial. Ele começa super quente, cheio de suspense e a autora não deixa isso desvanecer, mantendo o foco até o final.

Violet Ambrose é uma garota de dezesseis anos e desce criança tem o que de certa forma podemos definir como um dom. Ela encontra pessoas e animais mortos e também seus respectivos assassinos. Ela os acha por meio de ecos, cores, cheiros, gostos, sendo que cada morte tem uma forma diferente de chamar a atenção de Violet. Exemplo, no lugar em que um corpo está enterrado, Violet senti um cheiro de margarida, então o seu assassino terá também cheiro de margarida. 

“ Envolvida na parte mais escura da noite, tudo de repente parecia errado para Violet. ” – Pág. 37

Um assassino de adolescentes está a solta e preste a fazer mais uma vítima. Então Violet, que foi para casa do lago de uma amiga do colégio, encontra o primeiro corpo as margens do lago. Após isso, começa a desencadear uma sucessão de homicídios e os holofotes estão voltados para a menina que sempre encontra os corpos, Violet. Depois de uma pressão e com um certo apoio da família a garota decide usar seu “dom” para ajudar os policiais a colocar nas grades o assassino. 

Kimberly intercala os capítulos. Alguns mostram a visão assassino e o outro a de Violet. O te dá uma boa interpretação de todo o enredo. 

“Foi atrás dela, mantendo-se próximo às árvores, onde se camuflava melhor, longe da vista da menina. Manteve uma boa distância, sem querer assusta-la. Pelo menos não por enquanto, enquanto ela ainda estava tão perto de casa... ” – Pág. 208

Contudo, essas não são as únicas preocupações de Violet. Ela está apaixonada pelo seu melhor amigo, Jay, e fica na indecisão de contar ou não contar. E é ai que vem aquele clichêzinho, mas não chega ao ponto de nos deixar entediados ou com aquela repulsa, pelo contrário, talvez a situação em que a protagonista se encontra faz com que o clichê se torne “saudável” e ainda assim você continua laçado pelo enredo.

A trilogia é composta por quatro livros, porém apenas dois foram lançados no Brasil:

Classificação (0 a 5): 5 
 




http://www.leituranossa.com.br/2014/06/post-premiado-de-junho.html

5 comentários:

  1. Olá, gosto muito das capas dessa série... Mas confesso que nunca tive muita vontade de lê-los. Depois da sua resenha, vou colocá-los na lista de desejos. Parabéns!!

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Léo! Que capas lindas *-* Esse é o tipo de livro que me atrai. Gosto desse suspense. Sua resenha está maravilhosa, como sempre. Entrando para a listinha... beijos.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza vou ler. Obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  4. É uma ótima dica, mas são tantas dicas que falta-se o dinheiro para comprar tantos livros... rsrs Como sempre achei a arte da capa interessante, agora sei que será uma das coleções que entrará para a minha lista de compras futuras. Tirando o clichê de amor pelo melhor amigo, ou triângulos amorosos. Parece legal a trama, envolvente, talvez.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Achei curioso esse dom da Violet. Ok, gente que vê ou encontra mortos, a gente vê aos montes em livros, filmes e séries, mas uma que consegue associar um cheiro ou um gosto para ligar a vitima ao seu assassino é algo novo.

    Um abraço!

    ResponderExcluir