Hangout Novo Conceito - Tahereh Mafi

Tahereh Mafi
Tahereh Mafi escreveu Estilhaça-me, Liberta-me e Incendeia-me, publicados no Brasil pela Novo Conceito. Ela tem 25 anos, mora em Connecticut (EUA) e fala oito idiomas.

Para falar sobre a trilogia Estilhaça-me e a estreia de Incendeia-me, além de responder algumas curiosidades, a Novo Conceito convidou a escritora Tahereh Mafi para um hangout, acompanhado ao vivo pela Internet pelos fãs e com a presença da Lívia Dias, da Novo Conceito, e também da tradutora simultânea Thaís Marengo.

Não posso precisar exatamente quantas pessoas assistiram ao hangout ao vivo, mas teve uma hora que mais de 100 acompanhavam a conversa.

Tahereh Mafi participou do hangout usando o seu costumeiro lenço da tradição islâmica, com um delineador bem demarcado nos olhos. Ela parecia um pouco tímida, mas simpática e com um toque de humildade que transparece o quão pouco acredita que faz sucesso. Interessante perceber no vídeo o quanto ela é jovem, já que em algumas fotos ela não aparenta ter o seus 25 anos (pelo menos para mim).


Quem participou também foi a escritora brasileira Marina Carvalho, de Simplesmente Ana. 

O hangout aconteceu no dia 02 de junho, às 14h.

Confiram o que teve de mais interessante:

Inspiração do X-Men

Ela nunca assistiu os filmes do X-Men e nunca tinha ouvido falar da Vampira (personagem que os fãs acham parecida com Juliette por sugar a energia/poderes de quem toca).Ela só soube depois que foi explicar para o irmão sobre o que era o livro e falou como era a Juliette, ao que ele respondeu: "Ah, é igual a Vampira do X-Men" . E só assim ela soube. Tahereh acha que o desenvolvimento de Juliette é diferente do de Vampira.

Inspiração para Estilhaça-me
Um dia, ela estava na sua mesa e veio a imagem de uma garota que estava trancada, sozinha, passando por dificuldades, acusada de um crime que não teve intenção... E todo o restante se desenvolveu a partir disso.

Ela sempre soube o final da trilogia desde quando começar a escrever?
Tahereh sabia aonde queria chegar. Ela sabia que queria que Juliette acabasse como uma garota forte, diferente do que era no começo.

Sobre o filme
Ela não tem informações sobre isso, porque os direitos foram vendidos, mas não se sabe quando podem filmar. Por incrível que pareça, ela não tem nenhuma expectativa sobre o filme. Tahereh acha que seria bom se acontecesse, mas não quer alimentar expectativas.

Se ela pudesse ser algum personagem de qualquer livro, qual seria?
Tahereh respondeu que provavelmente seria Hermione, em Harry Potter.


Ela já tinha alguma ideia sobre os contos quando começou a escrever ou foi algo que veio depois?
Foi ideia dos editores. Mas ela queria que fizesse parte da história principal e no tempo da história principal. Ela não é muito fã de prequels. 

Ela pretende escrever mais algum livro nesse universo? Vai deixar de ser trilogia pra virar saga?
Não. Ela não tem nenhuma intenção de escrever outro, mas se sente lisonjeada por os fãs quererem isso. Ela acha que os personagens não precisam mais dela para escrever sobre suas vidas.

O que se pode esperar do Incendeia-me (sem spoilers)?
Ela acha difícil falar disso sem spoilers. Para ela, a trilogia sempre foi sobre Juliette descobrindo sobre si mesma e se tornando uma mulher forte.

Próximos projetos como escritora
Tahereh (bastante reticente) afirma que gostaria de poder falar sobre isso, mas não pode dar muitos detalhes. Ela conta que já fez a estrutura de outro livro e espera falar sobre o novo livro logo.

Ela pretende escrever pelo menos um conto do universo de Estilhaça-me?
Não. Ela afirma que não gosta de dizer "nunca", mas pelo menos não logo. Ela acha que a série teve o desfecho adequado.

Ela chegou a imaginar que o primeiro livro seria publicado em 20 países?
Não, absolutamente não. Tahereh não achou que ninguém iria querer publicar. Ela queria ao menos que fosse publicado no inglês (já que ela mora nos EUA).

Sobre a mudança das capas (começou sendo a capa igual à versão brasileira, mas logo depois mudou para as atuais, que têm sempre um olho conceitual)
O processo foi todo pela editora (pela qual Tahereh publica nos EUA). Eles perceberam que a capa não representavam a história muito bem. Juliette nunca usa um vestido glamouroso como aquele e a história era sobre uma sociedade distópica, o que fazia a capa não combinar.

Tahereh leu algum outro escritor brasileiro além de Paulo Coelho (que ela, ao vir pro Brasil, falou que tinha lido)?
Ela fica envergonhada de dizer que não. Ela fala que deveria estar lendo mais.

Adam ou Warner? 
Ela não escolheria (Tahereh ri nessa hora). Ela não quer que pensem que a sua preferência pelos personagens a influencia na hora de construir a narrativa.Ela costuma dizer que é Team Juliette (em contrapartida ao Team Warner e o Team Adam, que acabaram surgindo pelos fãs).

Quais os maiores desafios para ela como escritora de sucesso?
Tahereh (de forma acanhada e bem humilde) acha muita gentileza dizer que ela é uma escritora de sucesso. Para a escritora, o maior desafio é se tornar melhor para que possa se tornar o que ela acredita ser bem-sucedida de verdade.

Como é o relacionamento dela com os leitores brasileiros?
Normalmente ela está no Twitter e a maior parte das interações estão aí.Tahereh sente que a relação com o público brasileiro é especial porque ela já esteve no Brasil e lembra das pessoas, dos nomes e das livrarias, o que é diferente da relação com os leitores de países que ela nunca visitou.

O que Tahereh ainda lembra do Português?
O "muito obrigada" e "muito muito obrigada".

A escritora possui um estilo literário favorito além de distopia e gostaria de escrevê-lo?
Ela responde que não tem um favorito, mas tem muitos interesses. Ela não está trabalhando numa distopia, é bem diferente. Tahereh diz que o ser humano tem várias facetas e que trabalhar em Estilhaça-me foi muito obscuro e, como ela passou quatro anos nesses livros, ela gostaria de algo mais alegre, mais colorido.

O próximo hangout da Novo Conceito é com uma autora muito conhecida de quem acompanha o blog: Bella Andre.


Photobucket
http://www.leituranossa.com.br/2014/06/post-premiado-de-junho.html

6 comentários:

  1. Adorei i post, pois não pude assistir ao Hangout, pois trabalho no horário que aconteceu.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Ai que lindo! Parece que a Tahereh é muito fofa e super humilde. Ainda não tive a oportunidade de ler a trilogia, mas ela está na lista. Espero ler bem antes do filme rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. A autora mais uma vez foi muito simpática. Uma pena ela não vim para Bienal.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Miriam, Vitória e Rose,

    Adorei fazer o post, adoro a trilogia Estilhaça-me e a Tahereh parece mesmo ser uma fofa!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Esse post serviu para aumentar ainda mais a minha curiosidade sobre a série, a personagem principal tem o meu nome: Juliette. rsrs Amei, a autora é bastante divertida, como deu pra perceber, e enfim, estou louca para ler essa série.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Eu tinha sido a pessoa que fez a última pergunta do hangout e foi um momento bem intenso quando vi ela sendo falada e respondida no ar. Realmente a Tahereh foi uma simpatia só com os leitores. E agora que conhece a Marina Carvalho, acho que ela logo vai ler um dos livros dela.

    Um abraço!

    ResponderExcluir