[Resenha dupla] Incendeia-me - Tahereh Mafi

Incendeia-me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Original: Ignite Me
Sinopse: UM DIA EU POSSO ROMPER UM DIA EU POSSO R O M P E R E ME LIBERTAR NADA MAIS VAI SER IGUAL 

O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.

Resenha da Danielle


Sabe aquele livro que você fica desesperada pela publicação? Tanto que acaba lendo em inglês mesmo?

Incendeia-me foi uma leitura quase perfeita, quando peguei a versão da Novo Conceito li num ritmo oposto ao da versão em inglês. Queria alongar a leitura o máximo possível.

Juliette enfim acorda para a vida, para a realidade que lhe rodeia. Ela evolui e passa a lutar por seus ideais, tomou decisões que deixaram não apenas a mim boquiaberta, chocou os personagens, uma mudança para melhor que foi vista por vários ângulos.

Os personagens secundários continuaram me encantando. Em meio a tanta tensão ainda mantiveram a sanidade, com brincadeiras e piadinhas.

Juliette tem um plano contra O Restabelecimento, e esperei mesmo que ela fizesse bobagem, mas eis que a união faz a força e a determinação fortalece.

O livro só não é perfeito por falta de um epílogo explicando um pouco do que ocorreu após o clímax do livro. Teve umas reações que foram aceitas muito facilmente.

Tahereh Mafi desenvolveu a trilogia maravilhosamente. Estilhaça-me me conquistou apesar do texto riscado, que foi uma ótima ideia para os pensamentos perturbados de Juliette e de seu mimimi interminável; Liberta-me por sua vez fortaleceu minha certeza sobre certo personagem, e foi primordial para nos dar um vislumbre da esperança e o poder que ela opera num grupo mesmo quando o mundo a sua volta está ruindo e, por sua vez Incendeia-me foi o ápice de amadurecimento e de resoluções, serviu para descobertas e afirmações, com sentimentos levados ao extremo, testados, aceitados ou recusados, mas bem absorvidos como mola para atingir objetivos.

Quanto aos personagens ela foi genial ao explorar os sentimentos de todos, mostrar o que cada um sentiu diante das adversidades e principalmente como cada um reagiu as novidades. 

E se Juliette estressou você com tanto "Oh céus, oh vida, oh azar", não se deixe abater, senão perderá uma trilogia que até o momento foi a melhor que li. Uma distopia interessante e quase absoluta. Uma pena que acabou por aqui.


Nota (0-5): 4,5





Resenha da Mikaela

E é a hora da verdade para Juliette. O terceiro livro da trilogia concretiza todo o potencial previsto para a personagem desde o primeiro. Em Estilhaça-me, Juliette havia saído de um hospício e o seu poder de sugar a energia das pessoas a deixava tímida, retraída e inconsequente. Em Liberta-me, a moça ainda fica de mimimi pelos cantos, mas da metade para o final, podemos ver a sua força. E é em Incendeia-me que Juliette ganha autoconfiança, aprende a lidar com seus poderes e se prepara para liderar uma revolução. É uma bela evolução.

Agradeço muito à Dani por ter apresentado essa trilogia para mim, porque eu simplesmente adorei a escrita da Tahereh. A maneira como ela constrói os personagens, os diálogos e os pensamentos de Juliette (com pouca pontuação no começo e uma maior coerência posteriormente) é fantástica. Agora, mesmo adorando esse trilogia, vou falar primeiro do que não gostei desse livro.

Durante o hangout da Novo Conceito, Tahereh Mafi disse que o livro é basicamente sobre essa evolução da Juliette para o amadurecimento. É o que vejo, também. Acho que por isso a autora dá tão pouca atenção ao desenvolvimento da distopia em si. Temos bastante informação sobre o Restabelecimento no primeiro livro e achamos que isso vai possibilitar novas descobertas e a conclusão do problema no livro final, mas não. Incendeia-me dedica somente 20% à resolução da distopia, ao encontro com o desafio final e ainda assim esses 20% são meio decepcionantes, com soluções fáceis e sem muitas explicações. Seria bom se tivesse um epílogo explicando como ficou o panorama geral do Restabelecimento depois, mas não. E nem vão haver outros livros.

Mas no que a autora realmente se dedica, ou seja, o desenvolvimento de Juliette e os personagens, ela é muito boa. Muito mesmo. Tanto que considero o Warner um dos personagens mais bem construídos do gênero que já vi e não é porque sou Team Warner, mas é porque ele é incrível. De vilão sádico do primeiro à garoto perturbado, apaixonado, intenso e de bom coração. Warner é tão bem construído que você é capaz de saber o que se passa na mente dele com uma simples respiração. A sua maneira de tratar Juliette é tão linda, apaixonante e ao mesmo tempo incrivelmente incentivadora.

Adam age - com razão - com raiva a maior parte do livro. A autora coloca as motivações do personagem em jogo, mas mesmo assim não dá pra aguentar as reclamações dele. Não li o conto sob o ponto de vista dele, mas creio que só depois dos acontecimentos desse livro é que Adam começa a amadurecer um pouco. 

Outro destaque, além de Warner, é Kenji. Melhor amigo de Adam e também de Juliette, ele é a voz da razão ali muitas vezes e parece falar para a protagonista o que os fãs pensam, sem perder o bom humor e as tiradas ótimas. Kenji é um dos melhores coadjuvantes que já vi e merece todo o espaço que conquistou na história. Entre o drama e o romance, o humor é um ponto forte nessa história devido a ele.

O livro é bem mais adulto do que várias distopias YA, com cenas hot e bem insinuantes. Intensidade é com a Tahereh Mafi. Com palavras, com gestos dos personagens, no amor que eles (leia-se Warner) sentem...

No geral, eu adorei a trilogia Estilhaça-me (especialmente com as novas capas!) e recomendo muito, muito mesmo.  Vai ser difícil encontrar em distopias ou livros Young Adults personagens tão bons quanto Juliette, Warner e Kenji. 


A trilogia:
- Incendeia-me

Contos:

1.5 Destrua-me
2.5 Fragmenta-me

Avaliação (de 0 a 5): 4,5






   



3 comentários:

  1. Ah, meninas... essa resenha dupla ficou ótima... já fiquei com vontade de reler essa trilogia!! Muita saudade do Warner!!! Não me conformo com o fato da autora não estender a história e escrever ao menos mais um livro sobre O Restabelecimento... concordo com a Mika sobre como a autora explorou pouco essa parte... será que uma abaixo assinado faria ela mudar de ideia?? =(

    beijos,

    ResponderExcluir
  2. Que genial está resenha dupla!! Então meninas, eu preciso urgentemente ler esta trilogia. Já li tudo sobre a Tahereh Mafi, já sei o bastante (até demais rs) sobre a Juliette, tenho as ''Jackets'' é assim que se escreve?? Que a Novo Conceito disponibilizou... mas ler que é bom, nada! São tantos livros para ler... mas já coloquei eles na minha meta de leitura deste ano. Não vou deixar passar!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Lembrando do hangout com a Tahereh "Nunca diga nunca", Mikaela. Ela agora não planeja continuar no universo de Estilhaça-me, mas com o tempo, tudo pode acontecer.
    Já sabia em outras resenhas desse livro que o Warner iria provar para o que veio em relação ao amor com Juliette, mas não sabia que Juliette iria amadurecer tanto.

    Um abraço!

    ResponderExcluir