[Resenhas do Léo] Quase Mortos - Rook Hastings


Nome do livro: Quase Mortos
Nome Original: Nearly departed
Lançamento: 2011
Editora: Pandorga
Páginas: 240

Sinopse: Woodsville não é como as outras cidades. Lá a noite cai um pouco mais cedo, as sombras são mais escuras e mais densas, e todas as pessoas sabem que é um lugar onde coisas estranhas acontecem. Mesmo que elas não admitam isso. Bethan preferia estar em qualquer outro lugar, menos ali. Jay tinha suas teorias, mas ainda não estava pronto para compartilhá-las. Hashim via mais do que dizia, enquanto os demônios de Kelly eram mais de carne e osso mesmo. Mas o medo de Emily tirou-os da negação e fê-los ficar cara a cara com o sobrenatural. Em todos os outros lugares, as noites de sexta-feira eram noites de sair para namorar. Mas não em Woodsville.


Quase Mortos conta a história de cinco adolescentes com personalidades diferentes que nunca se falaram e acabam tendo que lidar com coisas sobrenaturais. A autora, Rook Hastings – com seus oito anos de carreira escrevendo ficção –, conseguiu me prender ao enredo do início ao fim com seu elaborado suspense.

O professor da classe, Sr. Bacon, estava falando sobre fantasmas em sua aula sobre “Hamlet” quando decidiu formar grupos para um trabalho. Um desses grupos é formado por nossos protagonistas: Jay, Bethan, Kelly, Hashim e Emily.

Jay é o nerd, ele tem uma teoria para tudo e é esperto em relação a algumas coisas. Bethan gosta de ficar sozinha, é aquela que prefere ler um livro do que conversar. Kelly é a popular, a ousada, e sempre diz o que quer. Hashim é o garoto que está sempre preocupado com futebol, sendotambém um garoto popular e bonito. Emily é a calada, mal vestida eacaba passando despercebida por muitos, mas na aula no Sr. Bacon ela desembucha e afirma já ter ouvidoum fantasma.

Na casa de Bethan todos os cinco estão reunidos na mesa para discutir que rumo irá tomar o trabalho do Sr. Bacon, mas Jay não se contém e incrédulo questiona Emily sobre o fato dela ter visto um fantasma.

Em toda a cidade, pessoas normais e comuns faziam suas atividades normais e comuns, assim como Jay, Kelly, Emily, Bethan e Hashim. Mas muito em breve, quatro desses cinco alunos estariam rememorando eventos recentes e lutando para compreender tudo aquilo. E quanto ao quinto aluno? O quinto estaria morto.” – Página 27

Emily revela que sua mãe está desaparecida desde o fim do ano e a partir de então ela começou a escutar vozes quando estava em casa. Primeiramente a reação dos adolescentes foi o de se esperar, eles não acreditaram em sequer uma só palavra do que Emily disse. Porém Jay, apenas para ficar mais tempo ao lado da popular Kelly, induz o resto do grupo a explorar a casa de Emily em buscas dessas tais vozes aparentemente fantasmagóricas.

Hashim consegue aparelhos eletrônicos – câmeras e sensores – para ajudar nessa “caça aos fantasmas”. Depois dos aparelhos instalados, eles decidem passar a noite na casa de Emily. Nada de paranormal aconteceu durante a noite. Porém pela manhã eles analisam as gravações e descobrem uma aparição, o que faz com que todos acreditem em Emily e levem a sério essa busca pelos fantasmas e também pela mãe da garota.

A partir desse ponto do livro, os jovens começam a se conhecer e acabam expondo o que realmente são. Bethan agora não é mais calada, ela quer fazer amigos. Kelly, na realidade, é frágil e companheira. Hashim não quer mais falar só sobre futebol. Jay se revela um bom amigo e Emily está com medo e um pouco animada por ter feito amigos, porém é uma pessoa meiga e de dar pena.

Logo no começo do livro descobrimos que um dos cinco alunos irá morrer. Então ficamos nos perguntando: Quem? O que aconteceu com a mãe de Emily? Ela está mesmo desaparecida? ... Então essas perguntas que martelavam em minha cabeça me fez devorar o livro. Quase Mortos é um livro cheio de clichês, mas não chega a ser desgastante. Recomendo muito esse livro.

Classificação (0 a 5): 4


Photobucket



4 comentários:

  1. Oi Léo,
    Não é que me interessei por este livro? Soa assustador, mas nem tanto... Tem um Q de Pânico, nele... hahaha
    Bem, além disso a curiosidade sobre qual dos cinco não vai até o fim da trama é grande.
    Gostei da capa. Esse azul é lindo. =)

    ResponderExcluir
  2. Leo, sua resenha me deu medo e me encheu de curiosidade... mas será que tenho coragem de ler??

    beijos,

    ResponderExcluir
  3. Oi Léo!
    Este livro é tudo de bom né? Recomendo e muito.
    Eu simplesmente devorei as páginas. Quem será que morre?? E tem fantasmas mesmo?? O livro todo eu fiquei me perguntando isso. E o medo? Nossa, a parte do elevador mesmo foi assustadora. Um dos melhores livros deste gênero que eu li.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Será que quem morreu vai morrer de raiva por saber que isso aconteceu só para que o Jay ficasse mais tempo com a Kelly (a não ser que o morto seja um dos dois)?
    Mas a história é interessante e mostra como mudamos quando o medo e a união acontecem.

    Um abraço!

    ResponderExcluir