A Menina Que Semeava - Lou Aronica

A Menina Que Semeava
Lou Aronica
Editora: Novo Conceito
416 páginas
Original: Blue
Sinopse:Chris Astor é um homem de seus quarenta e poucos anos que está passando pelo mais difícil trecho de sua vida. Ele tem uma filha, Becky, de 14 anos, que já passou imensas dificuldades até chegar a se tornar uma moça vibrante e alegre, mas que parece que terá que enfrentar mais um grande problema em sua vida. Quando Becky era pequena e teve câncer, Chris e ela inventaram um conto de fadas, uma fantasia infantil que adquiriu vida e tornou-se um terrível, provavelmente fatal, problema. Agora, Chris, Becky e Miea (a jovem rainha da fantasia criada por pai e filha) terão que desvendar um segredo: o segredo de por que seus mundos de fantasia e realidade se juntaram neste momento. O segredo para o propósito disso tudo. O segredo para o futuro. É um segredo que, se descoberto, irá redefinir a mente de todos eles.

Gente, antes de mais nada, parabéns à Novo Conceito pela capa lindíssima desse livro. Uma das capas mais lindas que já vi em livro! Bem, mas vamos falar disso depois. A Menina que Semeava traz uma história mágica de fantasia em paralelo a uma realidade muito difícil, a do câncer.

Becky já esteve com a doença antes, quando era criança. Na época, ela e o pai criaram um mundo de fantasia chamado Tamarisk, nomeando até mesmo as plantas e os animais do reino. Becky ficou curada, o tempo passou, os pais acabaram se divorciando e, na adolescência, ela tem uma relação bem superficial com o pai, o que o deixa arrasado.

Mas ao visitar de verdade o reino de Tamarisk uma certa noite, Becky começa a retomar a relação com o pai e os dois passam a perceber que o mundo que criaram é de verdade. Mas, infelizmente, a doença dela volta e, de repente, a "fantasia" se torna mais importante ainda por mostrar uma esperança.

A história do livro é incrível. Realmente é. Dava certo para ser um filme daqueles com trilha sonora bonita e bons atores. Mas a questão é que até o meio a escrita parece se arrastar, Tamarisk - embora bem explicada e detalhada - não desperta esse sentimento de magia que alguns locais mágicos dos livros despertam...Além do mais, os próprios personagens não mostram logo o seu melhor. Chris passa a vida triste depois do divórcio deixando a ex-mulher (e incrivelmente chata) Polly mandar em tudo enquanto Becky nunca se pergunta se foi realmente o pai quem quis sair de casa.

Talvez se a história fosse mais enxuta, a leitura como um todo fosse melhor.O livro melhora quando os personagens começam a amadurecer e podemos ver, com surpresa, o que o autor guarda para o desfecho. Aí sim, nos emocionamos, torcemos e realmente acreditamos no poder desse mundo mágico. O final é coerente, lindo e faz compensar toda a leitura. Claro que depende da maneira como você interpreta, mas de um modo ou de outro, é uma bela história.

Em termos de revisão, encontrei alguns erros que poderiam ter sido corrigidos, mas nada que atrapalhasse tanto a leitura. E então, a capa. Essa capa é tão linda que parece unir tudo o que livro representa. Muito linda. Bem melhor que a original(que faz sentido também por as folhas do reino serem azuis e a cor, de certo modo, parece representar Tamarisk, mas em termos de criatividade a brasileira é melhor):
Blue


O autor ainda criou um conto prequel, Until Again, que conta como Chris e Becky criaram Tamarisk quando ela era criança. Lou Aronica, inclusive, já foi publicado pela Novo Conceito sob o pseudônimo de Ronald Anthony.

De qualquer forma, para quem gosta de livros emocionantes e mágicos, esse pode ser uma boa pedida se você tiver persistência até o final.


Avaliação (de 0 a 5): 3,5


Photobucket


7 comentários:

Deixe seu comentário