O Grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald

O Grande Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
252 páginas
Editora: Bestbolso
Original: The Great Gatsby
SinopseObra-prima de F. Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Louisville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan. Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece - Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente.

Um dos grande clássicos norte-americanos, O Grande Gatsby retrata toda a animação, bebedeira, festas, luxo e frivolidade nos anos 20 antes da crise dos anos 30. Para quem é acostumado ao mundo racional de livros de Jane Austen, pode estranhar os personagens de Fitzgerald.  Eu concluí o livro com muita raiva de quase todos, mas encantada com a escrita do autor e querendo ler mais dele.

O livro é contado sob o ponto de vista de Nick Carraway, que é vizinho de Jay Gatsby, que organiza festas esplêndidas, mas é eternamente apaixonado por Daisy, que conheceu na juventude enquanto era pobre. A moça se casou com o riquíssimo Tom, tem uma filha, mas vive uma vida frívola e infeliz. Gatsby consegue seu dinheiro de maneira misteriosa - que ao longo da leitura fica bem claro para quem presta atenção - e faz tudo para tentar reconquistar Daisy e pede ajuda de Nick, que é primo dela.

Daisy com certeza entrou na minha lista de protagonistas mais chatas de todos os tempos, mas ela é, por si só, uma personagem fascinante. Talvez inspirada na própria Zelda Fitzgerald - a famosa esposa do autor, que, junto com ele, ia para as mais badaladas festas da época - Daisy é uma moça extremamente rica e, por mais que sofra com os escândalos do marido e das amantes, adora o dinheiro e não sabe viver sem ele. Ela é encantadora, magnética, conquista todos aos seu redor, mas é incrivelmente frágil, egoísta e covarde.

Gatsby é o melhor personagem do livro, com todo a sua devoção a um amor do passado e abnegação para o bem estar dela. Mas ele esquece de ser crítico com relação a tudo o que está ao seu redor e parece viver na expectativa que seus sonhos com Daisy se tornem reais. Nick, apesar de ser o protagonista, não tem quase uma história só para si, servindo como um narrador observador de tudo o que acontece ali.

O livro é um clássico, daqueles que precisam ser lidos por todo mundo uma vez na vida. Ele tem uma narrativa bem legal de se acompanhar, não é monótono e mistura tantos sentimentos e lembranças de épocas passadas que lê-los é senti-los todos e perceber que a ganância dos ricos e a ingenuidade dos pobres não é exclusividade da nossa época. 

O filme com o Leonardo Dicaprio, que eu resenhei aqui no blog, é incrivelmente parecido com o livro e transmite muito bem as mesmas sensações. Se você quiser conferir o filme, assista sem medo. Mas leia o livro depois, vale a pena.

Avaliação (de 0 a 5): 5,0

Photobucket




6 comentários:

Deixe seu comentário