Primavera eterna - Paula Abreu

Primavera eterna
Autora: Paula Abreu
Editora Arqueiro
Ano 2014
128 páginas
Maia é uma jovem publicitária bem-sucedida. Tem um emprego estável, um namoro estável, uma vidinha estável. Até demais. Certo dia, tentando imaginar como seria sua vida no futuro, o casamento, os filhos, visualiza duas crianças loirinhas correndo... Loirinhas? Então ela se dá conta de onde vem aquela cor de cabelos: Diogo, o menino por quem se apaixonou à primeira vista aos 12 anos, numa cidadezinha do interior, onde costumava passar os fins de semana com a família. Acontece que ele se mudou para os Estados Unidos há mais de dez anos, e a essa altura da vida, já nem deve se lembrar mais dela.
Mesmo assim, num impulso, Maia pede férias na agência, inventa uma viagem de trabalho como desculpa para o namorado e vai para Nova York, atrás do seu primeiro amor. Primavera Eterna é a história de uma jovem cheia de sonhos esquecidos, que ousa arriscar tudo o que tem e acaba encontrando a si mesma. 

Sabe aquele livro fininho, mas repleto de sentimentos? Primavera eterna vem para esta categoria. 

Maia nos conta sobre sua infância, suas férias e a primeira vez que avistou Diogo, o garoto loirinho por quem se apaixonou.

O livro é contado pela Maia, agora com vinte e cinco anos, um tanto sarcástica e muito divertida. Apesar de estar namorando ela ainda imagina uma vida com Diogo. Como teria sido se o garoto não estivesse nos Estados Unidos?

Daí a Maia tem uma ideia que me irrita nas mocinhas: Viajar em busca de uma ilusão, uma esperança. Ela vai até Nova York e acaba se redescobrindo.

O humor da personagem é contagiante a ponto de nos fazer rir. Enquanto espera o encontro com Diogo ela nos dá um vislumbre detalhado de sua vida. Desde que não vê o amigo, ela imagina como ele está treze anos depois, que tipo de vida ela teria se sua família quem tivesse mudado de país.

Acompanhar Maia nesse romance tão suave é encantador. O choque cultural, o estranhamento ao descobrir que o Diogo que ela imaginou é diferente da realidade. 

A viagem em busca de seu primeiro amor acaba sendo bem reflexiva, e não creio que se atenha apenas à mocinha, os leitores também conseguirão tirar uma lição após a leitura do livro.

Maia me fez relembrar do caderninho que eu tinha para escrever as histórias que surgiam após sonhos, minha vontade de ser escritora assim como ela. E por fim me fez questionar: Será que devemos deixar a realidade suplantar nossos sonhos? Estar num emprego que não tem química conosco?

Primavera eterna vai fazer você pensar e repensar algumas decisões. Leiam!


Nota (0-5): 3

3 comentários:

  1. Parece ser um livro muito fofo, Dani... fiquei com vontade de ler, apesar de também detestar essas mocinhas que vão em busca de uma ilusão... agora fiquei curiosa para saber o que acontecerá... vou ter que ir atrás do livro!!

    beijos,

    ResponderExcluir
  2. Oi Dani, que história mais linda! Sua resenha me deixou com muita vontade de ler. Eu adoro livros reflexivos que nos fazem pensar horas e horas haha
    Mas parece que ela teve uma decepção com esse romance de infância né? Vou ler pra descobrir!
    Adorei a sua resenha.
    Beijos,
    Aline

    ResponderExcluir
  3. Olá Dani,
    Definitivamente não faz meu tipo de livro. Maia parece ser aquela protagonista que de vez em quando a gente tem que dá uns tapas para voltar a realidade kk. Mas sua resenha foi ótima!!
    Beijos,
    Leo

    ResponderExcluir