Fiquei com seu número - Sophie Kinsella

A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir. 

Boas risadas estão garantidas nesse chick-lit da Sophie Kinsella. 

Poppy Wyatt é uma fisioterapeuta e está prestes a se casar com Magnus, um cara inteligente e lindo. Ela ganha um anel maravilhoso de noivado que é também uma herança de família e, como está super feliz, resolve marcar um jantar com suas amigas em um hotel, para todas poderem apreciar o anel e comemorar. Tudo está correndo bem no jantar até que ela perde o anel. Poppy fica desesperada e passa o número do seu celular para todos os funcionários do hotel, manda mensagem para todas as amigas perguntando se não está com elas, mas ninguém sabe de nada. Quando ela vai dar uma volta pra poder respirar e decidir como vai contar para Magnus que perdeu o anel de família, eis que um ladrãozinho de bicicleta rouba o celular que ela tanto amava e precisava. 

Tudo parece dar errado quando por acaso (ou destino?) ela encontra um celular jogado em uma lixeira e acha que não tem problema em pegar e usar, já que tudo o que está no lixo é público. Ela passa novamente esse número para todos que estão procurando o anel e, quando menos espera, recebe uma ligação e descobre que esse celular é de uma ex-assistente de um executivo. Sam Roxton exige que ela devolva o celular que é propriedade da empresa, mas ela o convence de que precisa do celular até encontrar o anel e ele aceita, desde que ela encaminhe para ele todos os e-mails que receber. 

Poppy e Sam descobrem que não é tão fácil quanto pensavam ter de dividir a caixa de entrada. Ela, muito curiosa, acaba dando uma pequena espiadinha nos e-mails de Sam (e porque não responder alguns também?) e os dois, por meio desse celular, vão se conhecendo. 

Em meio a tudo isso, Poppy ainda tenta esconder o fato de ter perdido o anel para não causar confusão com Magnus e sua futura família, o que deixa o livro super divertido, já que ela tem umas idéias bem malucas. 

Poppy é bem estabanada, mas também é muito impulsiva. Ela pensa muito nos outros e sempre coloca as necessidades das outras pessoas como prioridade. Por querer ser sempre amada por todos, ela demonstra um pouco de insegurança, mas isso muda com o desenrolar da história e com a ajuda de Sam. Ela se mete nas confusões mais absurdas e só de ler eu fiquei com vergonha por ela. Como eu disse lá no começo, risada garantida! 

Gostei também do Sam, mas confesso que demorei um pouco pra saber ‘qual era a dele’ em relação a Poppy. Mas depois que o conheci melhor percebi que é um homem sensível e com um coração bom. 

Magnus é o típico cara que quer ser o melhor em tudo, sabe? Ele me irritou muito, muito mesmo e eu tinha vontade de entrar no livro só pra poder dar umas bolachas na cara dele. Mas ele teve o final que mereceu. 

Enfim, eu adoro essa autora, adorei esse livro e a personagem principal e não queria que a história acabasse. Li em um dia e já estou com saudades das loucuras da Poppy. Esse livro é tudo o que eu espero de um chick-lit: engraçado, fofo e muito bem escrito. 

Se você gosta de boas risadas e de uma leitura mais leve não deixe de ler esse livro! Estou pronta pra conferir os outros livros da autora. 

Confiram também a resenha da Dé

Nota: 5,0

1 comentários:

  1. Oi Débora, pelo visto se divertiu mesmo. Vou anotar esta dica para aqueles dias que peçam uma leitura mais leve.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir