Menino de Ouro - Abigail Tarttelin

Livro: Menino de Ouro 
Autora: Abigail Tarttelin
Páginas: 384
Ano: 2013
Sinopse: A família de Max não permitiria nenhum desvio na imagem perfeita que havia construído. Karen, a mãe, é uma advogada renomada, determinada a manter a fachada de boa mãe, esposa e profissional. Steve, o pai, é o exemplo do chefe de família presente em sua comunidade, favorito a um importante cargo público. O ponto fora da curva é Daniel, o caçula, que, para os padrões da família Walker, é “estranho”: não é carinhoso, inteligente ou perfeito como Max. Melhor aluno da escola, capitão do time de futebol, atlético, simpático, sucesso entre as garotas: Max, o primogênito, é o menino de ouro. Ninguém poderia dizer que sua vida não é perfeitamente normal. Ninguém poderia dizer que Max esconde um segredo.
Ninguém poderia imaginar que Max, o filho perfeito, tivesse um segredo tão grande. 
Max é filho de Steve e Karen Walker, advogados conceituados, e tem um irmão e melhor amigo de nove anos, Daniel.

Ele esconde um segredo que ninguém poderia imaginar e até mesmo os seus amigos mais chegados (Carl e Marc) não sabem do misterioso segredo.

Tudo muda quando, nas primeiras páginas do livro, algo acontece e esse segredo vem à tona. Max precisa ser forte e enfrentar tudo o que sua família lutou para esconder. 

Esse livro é incrível e com certeza entrou para a lista dos meus livros preferidos! O segredo de Max (que é relacionado a sua sexualidade - não posso revelar o que) é abordado de uma forma única e genial. A autora me pareceu disposta a quebrar vários tabus nesse livro, então, recomendo que você mantenha a mente aberta se fizer a leitura. 

Gostei muito da maneira que o livro foi escrito. Achei que a autora se arriscou em colocar uma bomba logo no começo, mas isso se tornou um ponto positivo para mim, pois fez com que eu não conseguisse largar esse livro de jeito nenhum. 

É narrado em primeira pessoa, sendo que a narração é intercalada entre Max, Daniel, seus pais, Sylvie que é uma amiga e a doutora Archie. Isso fez com que, mesmo não concordando com algumas decisões e atitudes dos personagens eu entendesse o lado deles e a sua forma de pensar sobre algum problema já que a narração em primeira pessoa nos faz estar dentro da cabeça dos personagens. 

A historia gira em torno do Max, e tudo o que acontece com as outras pessoas é reflexo do que se passa com ele. 

Os personagens são muito complexos e muito bem estruturados. Conforme a leitura vai avançando nós conseguimos perceber o amadurecimento e crescimento emocional de cada um deles. 

Max me conquistou e foi meu personagem preferido do livro. Ele é tão sensível, tão preocupado e ingênuo... Ele passa por tantos problemas e precisa enfrentar tanta coisa que não tem como não se apegar a ele.
“Se você ama alguém, você o ama e pronto. Não importa de onde veio ou se é um menino ou uma menina, ou se você luta, ou se ele é esquisito, ou se ele tem dificuldades para se comunicar com você. Você só o ama, porra!” 
Daniel, o irmãozinho de nove anos, também é um personagem e tanto. Não se deixe enganar pela sua pouca idade, ele é muito esperto e observador. Em muitos momentos do livro ele ajuda Max a encarar as dificuldades que ele encontra. Ele tem alguns problemas na escola por causa da sua personalidade forte e explosiva, e se sente um pouco excluído por seus pais, pela atenção que dão para Max, mas é um menino encantador.  

Identifiquei-me muito com a Sylvie. Amiga, conselheira e um pouco solitária, ela gosta de escrever poesias e procura não chamar muito atenção por onde passa. Assim como Daniel, ela sempre ajuda Max e demonstra ter um coração enorme. 

Karen, mãe de Max, foi a única personagem que eu não gostei tanto assim. Ela está sempre tão preocupada com o que os outros vão pensar e em ter a família perfeita, que acaba sendo uma pessoa fria, mesmo ficando claro que ela ama os filhos mais do que tudo. Ela também se sente culpada pela condição de Max, o que me irritou um pouco, mas no final da história eu consegui entender o seu ponto de vista e me coloquei no lugar dela como mãe.  

Apesar de ser um livro com personagens adolescentes, Menino de Ouro tem uma temática forte e trata de assuntos delicados, e exatamente por isso o considero um livro adulto. 
É um livro que nos faz pensar muito e, se você o ler de coração e mente abertos tenho certeza de que vai apreciar a leitura tanto quanto eu. 


Avaliação (de 0 a 5): 5,0

1 comentários:

  1. Fiquei curiosa para saber como ele vai lidar com essa situação... mas já peguei antipatia pela mãe!!!

    beijos,

    ResponderExcluir