Os Diários de Carrie - Candace Bushnell

Sinopse:Os Diários de Carrie começa no último ano de Carrie do ensino médio. Ela e seus melhores amigos Walt, Lali, Maggie são inseparáveis. E então Sebastian Kydd entra em cena. Sebastian é um bad boy, intrigante e imprevisível. Carrie está em um relacionamento que ela sempre quis ter na escola, até que a traição de um amigo a faz questionar tudo. Com seus tempos de colégio chegando ao fim, Carrie vai perceber que chegou finalmente a hora de ir atrás de tudo o que ela sempre quis.

Não foi uma das minhas melhores leituras, mas gostei de conhecer um pouco da vida de Carry antes de ser a escritora famosa que conhecemos em Sex and the City. 

Na história, conhecemos Carrie como uma menina de 16 anos que vive em uma monótona cidade do interior. Mas não se deixe enganar, a garota sabe o que quer. Ela tem o sonho de ser uma escritora famosa e é isso que acaba diferenciando a história dela das demais. Mesmo estando um pouco perdida sobre como começar a realizar esse sonho e não tendo para quem pedir ajuda, já que seu pai acha que ser escritora é um futuro muito incerto, Carrie não está disposta a desistir. 

Carrie, como já se era de esperar, tem problemas em lidar com garotos. Sua mãe faleceu recentemente e a garota se vê sem ninguém para pedir conselhos e desabafar.  Todos esses sentimentos se intensificam com a volta de Sebastian Kydd para a escola. Ele é o famoso menino lindo que todas as escolas parecem ter e que acabou de voltar de uma viagem para a França. E surpresa: também está afim dela. Quando a garota percebe isso, conta com o apoio sempre muito bem vindo de seus melhores amigos. 

Bem, esse livro possui todos os clichês adolescentes que estamos acostumados a ver em todos os livros destinados ao público juvenil. O cenário é o mesmo, a personagem é a mesma menina confusa, nerd e estranha que tem poucos amigos e que se apaixona pelo garoto mais incrível do colégio. Eu até acho que é divertido ler alguns clichês de vez em quando, mas no caso desse livro, a narrativa adolescente (e quase infantil) não me agradou em nada. Acho que todos temos uma cota de livros clichezentos que agüentamos ler e parece que pra mim, essa cota já estourou a algum tempo. Não tenho mais tanta paciência para dramas adolescentes e nem curiosidade para terminar a leitura. Eu gosto do livro que me intriga, que me faz ficar desesperada pra saber seu desfecho, que me causa emoções fortes. 

Apesar de toda essa minha revolta, reconheço que o fato da personagem principal gostar de escrever fez eu me identificar um pouco com ela. E acredito que o livro tenha alcançado o seu objetivo se este foi despertar o interessa de adolescentes. Acho que os livros tem isso... dependendo da fase da vida que estamos passando, nos identificamos com determinados personagens que julgamos ter características em comum conosco. Acredito que pra quem é adolescente e está tomando o gosto pela leitura agora, esse livro possa ser bem legal e até mesmo uma porta de entrada para o maravilhoso mundo da leitura. 


Nota: 2,5.


Photobucket

1 comentários:

  1. Oi Aline,
    Eu não tenho curiosidade com os livros... a série em si já assisti com um pé atrás e acabei gostando. Mas se a Carrie adulta já me enerva um pouco, a versão jovem deve me deixar maluca de raiva com suas questões juvenis. kkk
    Não nego que as capas são divinas. =)

    ResponderExcluir