[Sessão Pipoca] Cinderela

A história segue a vida da jovem Ella (Lily James), cujo pai comerciante casa novamente depois que fica viúvo de sua mãe. Ansiosa para apoiar o adorado pai, Ella recebe bem a madrasta (Cate Blanchett) e suas filhas, Anastasia (Holliday Grainger) e Drisella (Sophie McShera), na casa da família. Mas quando o pai de Ella falece inesperadamente, ela se vê à mercê de uma nova família cruel e invejosa. Relegada à posição de empregada da família, a jovem sempre coberta de cinzas, que passou a ser chamada de Cinderela, bem que poderia ter começado a perder a esperança. Mas, apesar da crueldade a que fora submetida, Ella está determinada a honrar as palavras de sua falecida mãe: tenha coragem e seja feliz.










Sendo bem objetiva, pra curtir esse filme, vai depender do que você gosta ou odeia nas princesas da Disney. Se você ama aquele romantismo puro e ingênuo, o lance de falar com ratinhos e cantar, bem, você vai adorar. O filme é uma adaptação perfeita da animação original.

Mas se você prefere princesas mais realistas, com mais atitude e bom senso, esse filme é uma teste de paciência.

Dirigido por Kenneth Branagh, que é especialista em fazer filmes shakesperianos, o filme é todo lindo de se ver. A fotografia, os figurinos, as locações... Tudo para encher os olhos e mostrar o que é um verdadeiro conto de fadas. Alguns bons nomes marcam presença no elenco como Cate Blanchett, como a Madrasta, e Helena Bonham Carter, como a Fada Madrinha. 

Mas aí temos a Cinderela, que é a cópia exata da sua versão em desenho. Sério, ela nem parece humana. Falando com os animais, cantarolando pela casa e aceitando pacientemente as tarefas que vão rebaixando-a cada vez mais como a única criada da casa, Cinderela é uma daquelas mocinhas românticas que depositam seu futuro no príncipe encantado.

Muito abaixo do maravilhoso Para Sempre Cinderela, com a Drew Barrymore, esse filme parece ter voltado aos anos 50 e fica meio deslocado numa época de princesas guerreiras em Once Upon a Time, Branca de Neve e o Caçador e a Alice de Tim Burton. Claro que para ser uma personagem memorável não é preciso liderar uma batalha, mas se ao menos víssemos algo mais nas emoções da Ella...Não tem. Eu até acho que Lily James fez um bom trabalho, porque tudo o que a personagem faz é se conformar e chorar. Em uma determinada cena importantíssima para o futuro dela, ela simplesmente se senta na janela e começa a cantar, esquecendo-se de lutar pela sua felicidade ao menos uma vez.

Já Cate Blanchett rouba toda a cena, mesmo como a vilã pouco complexa que todo mundo já conhece. Mas ainda assim, ela consegue colocar um pouco mais de emoção naquele mundo de personagens perfeitos. Já o príncipe, o lindo Richard Madden, também tem pouco a acrescentar, até porque o personagem parece aquele príncipe de Encantada. A personagem que eu mais gostei foi a Fada Madrinha, que sai daquela candura da animação e se mostra mais atrapalhada, o que gera algumas risadas.

No geral, Cinderela é um filme fofo, que agradou muita gente, vale a pena a ver pela riquíssima parte visual e se você é fã da animação da Disney. Agora, se você esperava ver uma personalidade diferente na personagem já conhecida do público, é melhor ver Para Sempre Cinderela.





Avaliação (de 0 a 5): 2,5









Photobucket

6 comentários:

  1. Poxa, eu esperava que fosse um pouco diferente da animação original... até pelo que eles fizeram com Malévola... foi bom o seu toque, assim assisto sem grandes expectativas...
    Agora o príncipe ser boboca igual o de Encantada... blergh... quem quer um príncipe assim??? Eu, hein...kkkk

    beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Dé, quando ouvi falar no filme, tive as mesmas expectativas. Mas ela é bem Disney, o que funciona pra muita gente, mas não pra mim. O príncipe é lindo mesmo, mas ele lembra muito o de Encantada (sem a parte da cantoria né rs) por causa da perfeição excessiva dele. Coisas de conto de fada...Mas quero muito ouvir tua opinião!

      Bjs!

      Excluir
  2. Se minhas expectativas já eram baixas.... agora são baixíssimas, do estilo: alguém joga uma corda pq ela pulou do penhasco. Muita zoada para pouca bagunça, mas ainda assim vou assistir para dar minha crítica kk
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha, poxa Léo, acho que você não vai curtir muito não! Acho que o sucesso é mais porque o filme ganhou muita repercussão na indústria da moda e tal. Mas assiste lá e depois você me diz :)

      Excluir
  3. Oi Mika,
    Eu gostei bastante do filme. Estava temendo que pendesse para o lado real dos contos, mas fiquei satisfeita por não ter a surpresa de caminhos da Floresta. Precisava de um filme fofinho e leve.
    A atriz é tão sem graça que estava me deixando entediada, concordo que é chato nos dias atuais ver uma garota aceitar tudo e com um sorriso para piorar, no entanto tendo em base o conto Disney ficou bem fiel.
    O príncipe na minha opinião não parece com o de Encantada, especialmente pela surpresa que ele fez no final.
    Os ratinhos muito fofos, uma pena que não falassem. O Tata como sempre um amor de fofura e esperteza, na cena da janela então?!
    Mas como gosto de dizer: viva a liberdade de expressão. Gosto de ler outras opiniões. E só busco assistir filmes que não são unânimes, seja positivo ou negativo. E de preferência checo opinião do público. A crítica sempre me decepciona. hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Dani, eu também gosto de ouvir opiniões diferentes sobre os filmes.
      Eu também achei fofinho, mas por outro lado, fiquei incomodada com essas coisas que mencionei. O príncipe era menos bobo do que o Encantada, claro, mas eu achei parecido por ser do tipo galante demais, sem nenhuma profundidade, sabe? Mas fora isso, gostei daquela cena dele do final.
      Os ratinhos são fofos mesmo, podiam aparecer mais :)
      Bjs!

      Excluir