Tudo Aquilo Que Nunca Foi Dito - Marc Levy


Tudo aquilo que nunca foi dito - Com mais de 23 milhões de livros vendidos e traduzidos em 42 línguas, o autor francês mais lido no mundo, Marc Levy, volta a cativar os leitores em seu oitavo livro. Em Tudo Aquilo Que Nunca Foi Dito, Marc Levy aborda a relação conflituosa entre um pai e uma filha. Poucos dias antes do seu casamento, Julia recebe um telefonema do secretário de seu pai. Como ela já tinha previsto, Anthony Walsh - empresário brilhante, mas pai distante - não poderá comparecer à cerimônia.
A ausência de seu pai em momentos importantes de sua vida da filha não é novidade para Julia. Mas pela primeira vez, a personagem tem que reconhecer que ele tem uma boa desculpa: Anthony Walsh morreu.
A ironia amarga da situação, com Julia forçada a adiar o casamento para enterrar o pai, faz aquela parecer mais uma das peças pregadas pelo destino na difícil relação entre os dois. Mas, no dia seguinte ao funeral, ela descobre, na forma de um enorme pacote deixado na porta de sua casa, que aquela não tinha sido a última surpresa de seu pai - e parte na viagem mais extraordinária de sua vida, uma oportunidade para que os dois digam um ao outro, enfim, tudo aquilo que nunca foi dito.

Uma história escrita de forma simples e ao mesmo tempo encantadora. Posso garantir que esse livro ganhou um lugarzinho no meu coração de leitora e o autor também. 
A primeira coisa que me fez ter aquela vontade louca de ler esse livro foi o título que, descobri depois, tem tudo a ver com a história. 
Quando Julia está prestes a comprar o vestido do seu casamento, recebe um telefonema do secretário do seu pai - empresário e distante - dizendo que não ele não poderá comparecer ao casamento da filha. Mas a notícia que Julia recebe logo em seguida é mais do que inesperada: seu pai faleceu. 

Julia então se vê obrigada a adiar o casamento e chega até a ficar com raiva de Antony Walsh por ter estragado as coisas para ela mais uma vez. E quando ela está quase se conformando com a situação, eis que aparece em seu apartamento uma caixa enorme que foi deixada em nome do seu pai. As surpresas contidas dentro dessa caixa não poderei revelar, mas tenho certeza que surpreenderá a todos, assim como me surpreendeu. Mas posso garantir que esse 'presente' muda não só os pensamentos de Julia sobre o pai, mas também toda a sua vida. Lembranças vem a tona e a garota precisa lidar com muitos conflitos internos.
Pensei que esse livro fosse daqueles que abordam a relação entre pai e filha dramaticamente e que nos faz chorar por horas e horas, mas não é o caso. O livro é divertido e a narrativa é inteligente (apesar de ser um pouco fantasiosa) e nos prende do começo ao fim. É abordado o ponto de vista de todos os personagens mas o livro mantém o foco na protagonista. 

Os personagens são bem engraçados e eu dei boas risadas com Stanley, melhor amigo de Julia. Ele tem umas tiradas incríveis e nos faz rir desde a sua primeira aparição na história.
Confesso que o final não foi dos melhores, no meu ponto de vista, porque o autor deixa algumas questões em aberto, mas isso não estragou a fluidez da história.
Recomento pra você que gosta de livros leves, rápidos e cativantes. Pode confiar: não se arrependerá. 

Nota: 4,5.







Photobucket


3 comentários:

  1. Oi Aline,
    Tenho muita vontade de ler algo do Marc Levy, por conta do filme E se fosse verdade. Acredito que se ele pode pensar numa trama linda como aquela ele é o meu tipo de autor.
    Adorei essa ideia de uma caixa com surpresas, me pergunto quais são e como vai mudar a mocinha.
    Pretendo ler em algum momento.

    ResponderExcluir
  2. Olá Aline,
    Esse é o tipo de livro que compraria pela capa e pelo título. Apesar do enredo não me agradar, eu adoro personagens engraçados que nos distraem, então com isso o livro já ganhou um ponto comigo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline,

    Já li dois livros do autor, E se fosse verdade e a continuação desse que eu não lembro o nome... apesar de ter gostado, senti que os finais foram muito mornos, o que parece ser o caso desse livro também... coisa que até me fez gostar mais do filme E se fosse verdade do que do livro, e creio que esse é o único caso que isso aconteceu (também, como não amar o Mark Ruffalo, né?), mas senti que o autor tem dificuldade em dar um ponto final na história...
    Fiquei bem curiosa para ler esse, e foi bom ler sua resenha, pois assim já vou sem grandes expectativas quanto ao final.

    beijos,

    ResponderExcluir