A Mulher Silenciosa – A.S.A. Harrison

Sinopse: Jodi e Todd estão juntos há 20 anos e, aparentemente, levam uma vida invejável. Todd é um empreiteiro bem-sucedido que pode bancar alguns luxos, como o enorme apartamento com uma vista deslumbrante para o lago, um Porsche (dele) e um Audi (dela) na garagem, e o estilo de vida de Jodi. Psicoterapeuta, ela atende em casa apenas dois clientes por dia, e tem tempo de sobra para as sessões de pilates, as aulas de arranjos florais, os passeios com Freud, o golden retriever do casal, e o preparo das refeições gourmet de que tanto gosta. Jodi ainda fica ansiosa ao ouvir a chave do marido abrindo a porta. Todd diz que nunca encontrará uma mulher igual a ela. Essa fachada perfeita, porém, está prestes a ruir. Todd é um adúltero incurável, e Jodi sabe disso. Ela é a esposa silenciosa, preparada para tolerar as traições do marido com o intuito de manter as aparências. Até que Todd sai de casa - para viver com uma mulher com metade da idade dela, filha de seu melhor amigo. Magoada, humilhada e, por fim, financeiramente abalada, Jodi começa a contemplar o assassinato como uma opção razoável. Contado alternadamente nas perspectivas dele e dela, 'A mulher silenciosa' é um livro sobre um casamento à beira do fim, um casal na direção da catástrofe, concessões que não podem ser feitas e promessas que não serão cumpridas. Um thriller psicológico sofisticado, que seduz o leitor desde a primeira página.

Nome: A Mulher Silenciosa
Nome Original: The Silent Wife
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Páginas: 256

A Mulher Silenciosa é thriller psicológico que conta a história de um casal que está desmoronando. Com bastante descrição e detalhamento dos fatos e da vida dos personagens, A.S.A Harrison criou um cenário que aparentemente parece ser imaculado, porém com o passar de muitas páginas descobrimos o verdadeiro significado da expressão suspense psicológico.

Jodi e Todd se conheceram após Jodi bater no carro de Todd, há vinte anos atrás, e desde então eles são um casal unido e feliz – ou quase. O casal mora em apartamento num ótimo local arborizado que tem uma vista esplêndida para o lago, a decoração é de melhor qualidade e no estacionamento estão parados dois carrões, um Porsche do Todd e um Audi da Jodi.

Jodi é psicoterapeuta e escolheu um cômodo do apartamento para fazer de escritório e é lá que atende os pacientes. Jodi é a típica mulher que faz tudo pelo marido, atende poucos clientes para dar tempo de fazer o prato preferido de Todd, deixa a casa impecavelmente arrumada e não se queixa se ele passa mais tempo no trabalho do que em casa.

Só que em troca, Todd traí Jodi e no fundo Jodi sabe disso, mas no entanto as aparências de um casal que não tem problemas devem ser mantidas. Jodi percebe as coisas, mas fica calada e faz com que os indícios de traições passem despercebidas propositalmente.

Todd está se relacionando com uma mulher bem mais nova que ele e está começando a ama-la e então decide sair de casa e ir construir uma vida com essa jovem. Mas Jodi é extremamente inteligente, apesar de se fazer de cega e silenciosa, a mulher não vai fazer com que essa notícia chegue até ela de forma fácil e vai contornar a situação ao máximo que puder. E se ela não conseguir contornar? Assassinato estará na lista de afazeres.

“O ar estagnado tem um toque ácido que arranha o fundo de sua garganta, forçando-lhe à mente o terrível pensamento de que ele poderia ter sobrevivido ao remédio e ao álcool, mas que morreu engasgado com o próprio vômito.” — Página 80

Infelizmente a escritora faleceu enquanto estava escrevendo outro thriller psicológico, então não teremos mais livro da Harrison. A Mulher Silenciosa é um pouco maçante e para ser lido sem pressa. Houve muita comparação desse livro com Garota Exemplar, mas acredito que não chegue perto do suspense que Gillian Flynn criou. Há muito alvoroço sobre o livro ser extremamente sombrio, entretanto é um enredo com suspense e drama, mas nada ao extremo.


Classificação: 4






Photobucket

2 comentários:

  1. Ai que medo, Léo... parece bem sinistro, pena que você falou ser meio maçante e maior pena ainda saber que a autora faleceu... ainda bem que não era uma série, né?? Morro de medo dos autores das séries que acompanho morrerem antes de concluírem...kkkkk A pessoa nem é egoísta, né???kkkk

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk Nunca tinha pensado isso antes, agora sempre que eu for ler alguma série vou pensar sobre essas mortes inesperadas. É realmente uma pena a autora ter morrido, queria ler outros thriller psicologicos dela. Ela cria os personagens tão bem, sabe? Com todos aqueles mínimos detalhes. Juro que fiquei pensando durante a leitura se a história é um tanto verídica.

      Bjs

      Excluir