Não se apega,não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.

Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o a
mor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.

Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.

Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.


A linguagem fácil e atual da blogueira Isabela Freitas de Juiz de Fora, foi o que fez eu gostar desse livro.

Inspirado em um dos seus textos mais famosos, a autora vai nos contar a história de Isabela, uma menina de 22 anos de idade e que acabou de terminar seu relacionamento de 2 anos com Gustavo (que todos pensavam ser um príncipe). Ela está tentando se encaixar de volta ao mundo da 'solteirice' e busca ser feliz sem precisar de um homem em sua vida.

Apesar de todos os esforços, no decorrer do livro, Isabela se mostra uma menina apegada, daquelas que precisa sempre estar bem com as pessoas e que não consegue dizer não para alguém que ama, Ela demonstra ser ingênua em algumas atitudes e por acreditar sempre no melhor das pessoas, acaba se decepcionando e achando que todo cara que aparece em sua vida é seu grande e eterno amor (daquelas que fazem planos para o futuro com alguém que acabou de conhecer, sabe?).

Pra mim, esse livro fala mais de determinação, da busca por ser alguém melhor do que do 'desapego' em si. A mensagem que fica é de superação! Perceber que você é um ser completo e que pra sua felicidade ser verdadeira não precisa necessariamente ter um homem por perto. Pra gente amar alguém, temos primeiro que cultivar o amor próprio.

Outro ponto positivo desse livro é que a autora faz pequenas observações pessoais no decorrer da história sobre algumas situações que a maioria das mulheres passam ou vão passar ao longo da vida.

Em algumas resenhas, os leitores disseram que sentiram um pouco de autoajuda nesse livro, mas pra mim foi igualzinho a conversar com uma melhor amiga, já que o livro está cheio de conselhos. O livro é uma mistura de gêneros e isso o torna único.

Não é um livro de 'como superar uma desilusão amorosa em 10 passos'.  Acredito que a intenção da autora era causar a reflexão das pessoas e o livro surtiu exatamente esse efeito em mim, A cada capítulo tiramos alguma lição, mas a autora faz com que nós mesmos cheguemos a essas conclusões.

Mesmo abordando algumas temas que podem parecer pesados como a solidão e a tristeza, indico esse livro para todos aqueles que já passaram por essas situações chatas de terminar um relacionamento. Acredito que muitos irão se identificar e até rir um pouco das situações engraçadas e das reviravoltas da vida.

Nota: 4,0.
Photobucket

1 comentários:

  1. Poxa, pela capa eu passaria bem longe, porque tem a maior cara de autoajuda...kkkk
    Mas parece bem divertido...

    beijos,

    ResponderExcluir