Nove Noites e Um Sonho de Outono - Lesley Livingston

Nove Noites e um Sonho de Outono
Autora: Lesley Livingston
Editora:Gutenberg
320 páginas
Original: Wondrous Strange
Sinopse:
Kelley Winslow está vivendo seu sonho. Aos 17 anos de idade, ela se muda para Nova York e começa a trabalhar em uma companhia de teatro. Ela ainda é, claro, apenas uma assistente e eventual substituta, mas um dia as coisas começam a mudar: a atriz que interpreta a protagonista Titânia em “Sonho de uma noite de verão”, de Shakespeare, sofre um acidente, e ela tem uma chance de assumir o papel principal. Nesse mesmo dia, ela passa a perceber que o mundo mágico é mais real do que pensava. Ela conhece um lindo jovem chamado Sonny Flannery, a atração entre os dois é imediata, mas o rapaz é, na verdade, um dos guardiões do portal do Samhain, que dá passagem para o outro mundo. A cada solstício de inverno, o portal se abre, mas a cada nove anos ele permanece aberto durante as últimas nove noites do outono. E é nesse breve tempo que ela, ao descobrir sua verdadeira descendência, se vê ameaçada por uma terrível trama, que coloca em perigo o mundo real, o mundo encantado e a promessa de viver um amor verdadeiro.


Sabe aquele livro que você nunca ouviu falar e que te encanta à primeira vista na livraria? Poucas vezes eu compro um livro assim(na verdade, foi um presente que escolhi na hora hehe, mas dá pra entender), mas um pouco da capa e o título chamaram a minha atenção e quando vi, já soube que tinha uma das minha temáticas favoritas: a mitologia das fadas (ou feéricos, como aparece em alguns livros), com inspiração da peça Sonho de Uma Noite de Verão, do Shakespeare.

O livro que eu mais gosto nessa temática ainda é o Rei do Ferro, de Julie Kagawa, mas esse livro começou timidamente e mostrou competência, doçura e reviravoltas. Kelley é o tipo de protagonista mais ajuizada, que não cai de amores pelo primeiro estranho bonito que aparece (que é o título do original, algo como "maravilhoso estranho"), mas acho que ainda tem muito a mostrar nos próximos.

Já Sonny foge à regra daquele mocinho invencível e orgulhoso. Tanto ele quanto Kelley mostram suas fragilidades e acho que por isso o romance deles - bem puro - parece tão natural e fácil de torcer. Ele é um Janos, um dos guardiões do Auberon - o rei do Inverno - encarregados de proteger o portal com a própria vida. Só que ele mesmo foi um humano roubado do berço pelo povo mágico, o que dá um ar mais complexo à devoção dele a justamente esse povo.

A obra de Shakespeare foi ricamente adaptada e vemos personagens ganharem importância reais, assim como detalhes das intrigas e lendas são bem escritos, assim como a personalidade desses mesmos personagens, que ganham cores ao nossos olhos. O desfecho é meio imprevisível e a autora prende o leitor até o final para descobrir qual será a solução.

Eu acho que a tradução (especialmente quando chama atenção, em nota, para um cereal que Kelley come que faz alusão à esse mundo fantástico que ela vive sem perceber, o que é bacana, porque de outra forma não saberíamos), revisão e diagramação foram muito boas. Achei bacana a editora ter criado um título diferente do original, mas seguindo totalmente o estilo do livro e sendo chamativo. A capa, olhando de perto, eu não gostei tanto assim, mas os arabescos gerais são bonitinhos e ele acaba chamando atenção por isso (a minha, no caso rs).

Nos próximos livros da trilogia, a autora vai se inspirar nos livros Romeu e Julieta e A Tempestade, de Shakespeare, para criar mais aventuras de Kelley e Sonny nesse mundo fantástico. Eu com certeza vou querer ler.

A trilogia
- Nove Noites e um Sonho de Outono.
- Darklight
- Tempestuous

Avaliação (de 0 a 5): 5,0








Photobucket

2 comentários:

  1. Oi Mika,
    Achei fofa a capa e bem lúdica, gosto de literatura fantástica - não que seja fanática - esse mocinho é um tanto intrigante... mas o que gostei mesmo foi do romance não ser miojo e claro que imaginar o texto de Shakespeare adaptado com tanta criatividade dá curiosidade.
    Complicado é guardar o lançamento dos dois últimos, né?

    ResponderExcluir
  2. Parece ser bem legal, Mika... eu não li muitos livros com essa temática, mas confesso que fiquei curiosa para ler esse, também nunca li Shakespeare, logo uma versão atual deve ser interessante... vou procurar para dar uma olhada...

    beijos,

    ResponderExcluir