A Dama e o Libertino - Margaret Moore

O senhor do vício…
Quintus MacLachlann é do tipo arrogante que jamais se desculpa. Quando recebe a missão de fingir estar casado a fim de se infiltrar na sociedade de Edimburgo, ele saboreou a chance de ser o marido de Esme, que, embora belíssima, o detesta.

E a senhora da virtude?
Esme não esconde sua profunda antipatia pelo desonrado libertino. Ele é a última pessoa no mundo que ela consideraria se casar, simular um casamento ou qualquer outra coisa. Mas ser forçada a atuar como esposa de um homem tão sedutor quanto ele pode criar sentimentos reais de desejo…





A dama e o libertino (Highland Rogue, London Miss)
Autora: Margaret Moore
Harlequin Books (2012)
288 páginas


Terminei de ler "O Príncipe dos Canalhas" e senti necessidade de continuar mergulhada num romance histórico... daí li uma resenha deste livro e foi a escolha certa.

Quintus MachLachlann é um homem atormentado por seu passado, mas que está disposto a fazer a ajuda de Jamie MacCallan valer a pena.

De início não sabemos como Jamie foi importante para Quintus, mas ele nos explica.

Além do vínculo trabalhista, os dois são amigos. Mas o que Jamie não sabe e Quintus vive negando é que o libertino tem interesse pela irmã do advogado.

Jamie MacCallan confia em Quintus apesar do que houve anos atrás, e agora que sua ex-noiva lhe pediu ajuda o jovem advogado não pensa duas vezes em enviar o amigo e sua irmã para Edimburgo.

Esme MacCallan apesar de seus vinte e dois anos, não é uma jovem tola, ajuda seu irmão a redigir seus documentos e se fosse possível seria advogada. Quando Jamie lhe informa sobre seu plano ela fica irritada por dois motivos: odeia Catriona por ter partido o coração de seu irmão e não consegue imaginar conviver como esposa de um renegado como Quinn. 

Quinn tem um humor contagiante, é um personagem que cativa e seu tormento nos comove. Cada alfinetada que dá em Esme me fez rir.

Esme por sua vez só tem por base o que ouviu falar sobre Quintus.

Agora que ambos estão se passando por Conde e Condessa de Dubhagen eles terão oportunidade de se conhecerem melhor. E com isso opiniões serão reformuladas e decisões serão tomadas.

Confesso que o final foi muito engraçado... e ter tudo resolvido de maneira convincente e satisfatória me deixou feliz.

Um livro leve com piadas de bom gosto, cenas um tanto calientes, um mistério que despontará em revelações.

Margaret Moore trabalha com arrependimentos, perdão, egoísmo e muito amor. Uma seleção de emoções que nos faz sorrir ao final desta história.



Nota (0-5): 4,5






2 comentários:

  1. Parece ser um livro delicioso, Dani... acho que vou ler algum livrinho de banca pra me animar... ando meio travada nas leituras ultimamente...kkk

    beijos,

    ResponderExcluir
  2. Dani, esse livro é mesmo uma delícia, né?! Eu me apaixonei por ele. Tb achei o humor na medida certa!
    Já o Príncipe dos Canalhas eu ainda estou lendo. Devia ter terminado há um tempo, mas tô sem tempo de pegar nele pra ler. O bom e que vou desfrutando aos poucos, hehe!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ___________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir