A Herdeira - Kiera Cass




Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, a filha mais velha do casal. Criada para ser uma líder forte e independente, ela nunca quis viver um conto de fadas como o de seus pais. Por isso, antes de conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, a jovem está totalmente descrente. Mas, assim que a competição começa, a situação muda de figura. E Eadlyn percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto imaginava.










A escrita da autora me conquistou desde que li o primeiro livro de A Seleção, por ser ágil e criar personagens cativantes, pois mesmo quando eu sentia vontade de esganar a América não conseguia deixar o livro de lado.

Nesse quarto livro, não sei bem se era a intenção inicial da autora em continuar a série, mas senti falta de uma conclusão da história, até por causa de todo o conflito político e social envolvido na trama, então curti bastante a ideia de uma continuidade, e agora acompanhamos o processo de seleção pelos olhos de quem deve escolher.

Até demorei um pouco para ler o livro pois acabei me deixando levar por algumas críticas negativas que li e me arrependi profundamente, sim Eadlyn é extremamente mimada e sim é vista como antipática, mas me identifiquei muito com a personagem, coisa que nunca aconteceu com a América, creio que em grande parte tenha sido por causa do meu trabalho e de como tive que assumir muitas responsabilidades muito nova, então entendo perfeitamente as dificuldades e as inseguranças que a personagem apresenta, realmente me coloquei no lugar dela e não invejo fazer parte de nenhuma monarquia, seja ela literária ou real. Já pararam para pensar como a vida dessas pessoas é um trabalho em tempo integral?

Bem, mas devaneios à parte, adorei a princesa e sua luta para se mostrar sempre à altura, sendo nova e principalmente mulher.

Me decepcionei demais com a América que parece tomada pelo espírito da rainha anterior, imaginei que ela governaria mais ao lado do marido... Mas ela está totalmente apagada e bondosa, exatamente como a rainha Amber...

Maxon já é um senhor e apesar de não ter chegado aos 50, já demonstra sinais de cansaço e trabalha junto a filha para ensinar o máximo que pode... O casal continua bem apaixonado e sempre demonstrando o amor que os uniu... Mas eu esperava que fossem diferentes...

Os selecionados dessa vez são garotos e não temos os mesmos mimimis das meninas, mas situações mais graves como brigas e até um perseguidor.

O mais legal é que nessa continuação ficamos no suspense sobre o escolhido, o que não aconteceu no anterior já que sempre soubemos que América seria a escolhida, nesse nem mesmo Eadlyn sabe como agir e tudo pode acontecer...

Eu tenho dois preferidos no momento, sendo que um deles nem é um candidato, mas não passa de um personagem secundário... Mas quem sabe, né?

O jeito agora é torcer para que os demais livros sejam publicados logo e que um dos meus favoritos vença!!!!

Coleção:
- A Elite
- Contos de A Seleção: O Príncipe e o Guarda
- A Escolha
- A Herdeira

Nota (0-5): 5








Photobucket

2 comentários:

  1. Menina, esses selecionados brigões... sei não, viu? kkkk
    Meri realmente é complicada de simpatizar, mas as resenhas negativas influenciam mesmo... só estou pensando em dar uma chance pq vc recomendou, mas não será tão cedo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Dani... vc sabe que eu sempre quero tirar minha própria conclusão, né?? Mas eu gostei sim, a escrita da autora continua ágil e acabei simpatizando com a Eadlyn...kkk

      Excluir