A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?

Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.


Esse foi um livro que me interessei pela capa, afinal como não ficar curiosa com uma coroa ensanguentada?

Quando li a sinopse tive certeza que gostaria do livro, e não poderia estar mais certa, esse primeiro livro é fantástico e essa trilogia tem tudo para se tornar minha distopia favorita.

A maior parte da população vive em enorme pobreza, possuem sangue vermelho, são soldados, empregados, servos... Já uma minoria vive em luxo, possuem sangue prateado e poderes dos mais variados. São nobres e se consideram deuses.

Mas todas as regras estão prestes a ser mudadas graças a uma pequena ladra, Mare é uma vermelho, mas inexplicavelmente descobre que possui poderes.

Mare é descoberta no meio do momento de escolha da nova rainha e como o evento conta com a participação de todos os nobres, se torna impossível a família real mandar matá-la, essas circunstâncias que lhe salvam a vida também a colocam em uma rede de mentiras e ela se vê participando de farsas para salvar sua vida e de seus familiares.

Para fazê-la se calar e ser vigiada de perto é dada como noiva do príncipe Maven, o segundo na linha de sucessão ao trono... mas o coração de Mare parece bater mais rápido pelo príncipe herdeiro...

Logo fica claro que ambos parecem estar interessados na jovem, mas a maior inimiga de Mare será sem dúvida a rainha, uma mulher fria e calculista... um verdadeiro perigo para qualquer um que fique entre ela e seus interesses.

Mare é uma jovem independente e que não vai ficar calada enquanto vive em um mundo que não concorda, está disposta a arriscar tudo pelo que acredita.

Que eu mais gostei nesse livro é que há muitas reviravoltas e nada é o que parece. Também adoro livros com intrigas e esse é um prato cheio. O final desse livro é algo surreal e eu fiquei doida e com vontade de sair a procura dos próximos livros urgente... espero que saia logo a continuação...

Enfim, indico muito o livro... Para quem gosta de distopias esse com certeza é leitura obrigatória.


Nota (0-5): 5


Photobucket

3 comentários:

  1. Dé, não acredito que esse livro já saiu! Estou doida pra ler! Parece um pouco com A Seleção, só que mais legal rs

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai amar Mika... achei que é uma mistura de Sombra e Ossos (por causa dos poderes) e Jogos Vorazes (por causa da pobreza da população e aquela resignação de que não há como mudar de vida)...
      Junto a tudo isso, tem as intrigas da corte e dois príncipes que ficaram um contra o outro...
      É muito bom...

      beijos,

      Excluir
  2. Poxa, não devia ter lido a resenha... distopia e intrigas?! É impossível resistir, mas vou e segurar até sair ao menos o segundo livro, gosto de ler tudo em seguida pra evitar que a mente Dory esqueça os detalhes. kkk
    A capa não chamou atenção, mas a sinopse e a resenha sim. =)

    ResponderExcluir