O Segundo Sexo - Simone de Beauvoir

O Segundo Sexo - Lançado numa época em que o termo "feminismo" nem sequer havia sido cunhado, este livro pode ser considerado, hoje, o marco inicial da prática discursiva da situação feminina. Neste primeiro volume, Simone de Beauvoir aborda os fatos e mitos da condição da mulher numa reflexão apaixonante que interessa a ambos os gêneros humanos.

Precisei ler esse livro para um trabalho da faculdade, mas me apaixonei tanto por ele que decidi trazer até vocês. É um livro sobre teoria feminista, então pra quem não conhece muito bem o assunto é legal dar uma pesquisada antes, mas acredito que toda mulher deveria ler esse livro alguma vez na vida.

O livro, mesmo que antigo, se faz atual nos dias de hoje e a autora (muito a frente de seu tempo) defende o seu ponto de vista de que a mulher não é o 'Segundo Sexo' por razões naturais, por ser mais fraca que o homem ou por não ter as mesmas características físicas que ele, mas sim por uma questão social e vários processos históricos que resultaram a essa condição da mulher na sociedade.

A autora acredita que em nossa sociedade exista um pensamento que ela chama de 'eterno feminino' algo que todo mundo acredita que já vem com a mulher assim que ela nasce, Todo mundo espera de uma mulher algumas características: que ela seja mãe, que ela seja feminina, que seja comportada, que não fale palavrão, que tenha vontade de casar, fora todo um padrão estético que, mesmo mudando conforme as épocas, ainda faz de mulheres escravas da vaidade.

Na primeira parte do livro, Beauvoir argumenta com dados e fatos abordando todos os pontos de vista que esse questionamento pode apresentar; Ela analisa o ponto de vista biológico, o ponto de vista da psicanálise e o ponto de vista histórico.

Provado que a mulher não é menos que o homem em nenhum aspecto, na segunda parte, a autora quer chegar a causa dessa coisificação da mulher. O que teria causado essa situação? Porque isso acontece? São algumas das perguntas respondidas. Ela nos mostra tudo o que aconteceu na Antiguidade, Idade Média e no tempo em que viveu para tentar entender e explicar porque a mulher é tratada tão diferente do homem em questão de sociedade.

De acordo com uma pesquisa rápida, esse livro é considerado um marco histórico no movimento feminista. Ele marca a segunda onda do Feminismo no Brasil.

Eu já sabia que eu ia gostar desse livro assim que meu professor disse que ele era a base pra se entender alguns dos conceitos feministas mais importantes, mas pensei que iria achar um tanto quanto falho em pesquisas e argumentos. Me surpreendi da maneira como ele se faz atual.

Quando digo que sou feminista, é normal as pessoas (sim, principalmente homens) dizerem que as mulheres já conquistaram muito, que machismo não existe e que o Feminismo é um movimento ultrapassado e sem necessidade nos dias de hoje. E acredito que esse livro deixou ainda mais claro o quanto nós mulheres ainda precisamos do feminismo. Eu finalmente consegui entender que o machismo é um pilar de toda uma sociedade patriarcal e que está enraizado de uma forma ou de outra em todos nós. Não queria falar muito sobre feminismo pois a minha intenção com essa resenha é despertar a curiosidade e fazer com que todos pesquisem mais a fundo sobre o movimento e que em alguma época das suas vidas leiam esse livro. Pra ser feminista não precisa ter uma carteirinha, não precisa ser ativista daquelas que saem protestando nas ruas. Se você acredita que a mulher precisa ter os mesmos direitos que os homens então você já pode se dizer feminista. Claro que o movimento é muito mais do que isso e envolve muitos e muitos pontos que precisam ser conhecidos e discutidos, mas isso vem com o tempo. 


Nota: 5.0.

Photobucket

6 comentários:

  1. Olá, me parece ser um livro muito interessante, do ponto de vista de entender que a posição que a mulher ocupou/ocupa na sociedade vem de diversos e creio eu, até complexos processos históricos. Não entendo tanto de feminismo para falar, mas acho que ainda há muitas e muitas "lutas" a vencer. Só é pena que essa capa seja tão feia ahahahah
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renata! É verdade... a capa não é chamativa e nem atraente, mas se você pegar pra ler algum dia desses tenho certeza de que irá gostar!
      Beijos,
      Aline.

      Excluir
  2. Ah, não é o tipo de livro que me interessa, mas não posso negar que despertou meu interesse...kkkk
    Esse livro é cara sua e da Mika...

    beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha verdade.... Esse livro é minha cara mesmo! Eu precisava ler ele e terminei na hora certa!
      Tenho certeza que se você pegar pra ler algum dia, irá se surpreender!
      Beijos,
      Aline.

      Excluir
  3. Oi Aline,
    Essa capa é terrível, e o assunto não me desperta atenção. Mas é sempre bom inovar nas resenhas e abranger um público maior. =)
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Aline, sou louca pra ler esse livro! Também adoro leituras feministas e é incrível como a gente compreende mais o mundo - e nós mesmas, a nossa relação com tudo - depois disso. Preciso imediatamente ler Simone de Beauvoir! Mas também tem uma escritora brasileira muito boa chamada Carmen da Silva que levou o feminismo para as páginas da revista Cláudia nos anos 60.
    Adorei a resenha! ;)

    ResponderExcluir