Outra Volta do Parafuso - Henry James

A volta do parafuso conta a história da jovem filha de um pároco que, iniciando-se na carreira de professora, aceita mudar-se para a propriedade de Bly, em Essex, arredores de Londres. Seu patrão é tio e tutor de duas crianças, Flora e Miles, cujos pais morreram na Índia, e deseja que a narradora (que não é nomeada) seja a governanta da casa de Bly. Ao chegar a Essex, a jovem logo percebe que duas aparições, atribuídas a antigos criados já mortos, assombram a casa. O triunfo íntimo da protagonista, mais que desvendar o mistério de Bly, consiste em vencer o silêncio imposto pela diferença de condição social entre ela e seus pequenos alunos. Desde que foi publicada, sucessivas gerações de leitores, críticos e artistas têm se inspirado na maestria narrativa desta novela, cuja tradução de Paulo Henriques Britto reconstitui com precisão a elegante contundência do original inglês.
Um clássico do terror que me causou arrepios e me tirou o sono por uns dois dias.

Fazia algum tempo que eu não lia uma história de terror e resolvi logo me aventurar em um clássico da literatura por já ter ouvido muitas críticas boas em relação ao livro e ao autor. Henry James se tornou um mestre após escrever esse livro por conta da sua narrativa que nos deixa ansiosos do começo ao fim de cada capítulo.

Tudo começa quando, em uma reunião de amigos, alguém decide contar histórias de terror em volta da lareira. Despertando a curiosidade de damas e cavalheiros, Douglas diz que conhece a história mais aterrorizante de todas e que possui um relato escrito da pessoa que foi protagonista do fato em si.

Ele então começa a ler as anotações de uma jovem professora de vinte anos que viaja para Londres em busca de uma vaga de emprego. Na entrevista, a moça fica sabendo que terá de ser tutora de Miles e Flora, duas crianças que perderam os pais e que agora estavam sob os cuidados do tio. Sua função será educar e estar sempre presente na vida das crianças. O senhor só estabeleceu uma regra: que ele não ficasse sabendo de nenhum problema que acontecesse.

Precisada do emprego e encantada com o desconhecido, a jovem aceita o emprego e vai morar na mansão em Bly, juntamento com as crianças.

Em um primeiro momento, ela conhece somente Flora, pois o menino está na escola e virá para passar as férias. Ela se encanta com a beleza e com a inocência da garota. Percebe que ela é tão educada e fica feliz em só poder admirá-la.

Poucos dias para a chegada do menino, ela recebe uma carta dizendo que Miles foi expulso do colégio por mal comportamento, o que tira seu sono por alguns dias. Mas essa insegurança só dura alguns dias, pois ao conhecer o garoto, também se encanta com a sua beleza e doçura, constando que seria impossível uma criança tão frágil agir com brutalidade.

Tudo muda, quando, em uma de suas caminhadas noturnas e solitárias, a jovem avista um homem ruivo que a fica encarando constantemente, parecendo procurar por algo. Após constatar que não era ninguém que ela conhecia ou que trabalhava na propriedade, a moça se assusta e começa a pensar que poderia ser um espírito. Isso fica claro, pois as aparições se tornam cada vez mais frequentes.

Em uma pesquisa, ela descobre que as visões que está tendo, são de dois funcionários antigos da casa que tiveram uma morte um tanto quanto suspeita e fica sabendo também, que esses dois funcionários eram muito próximos das crianças.

Assim, passa a acreditar que as crianças também os veem e que a intenção das aparições é se apropriar das crianças. Ela passa a nos contar então, todas as suas atitudes para proteger os seus amados pupilos.

Já aviso que o final não é concreto e que deixa alguns pontos em aberto para que cada leitor possa imaginar o que acontece, mas mesmo assim é um livro incrível. Acho que isso de não ter um final certo só faz da história mais assustadora e única.

Ao longo da leitura o autor também nos deixa com aquela dúvida: Será que tudo o que acontece é fruto da imaginação da professora ou será que realmente aconteceu? Como o livro é relatado somente pelo ponto de vista de uma pessoa, fica complicado afirmar o que de fato aconteceu.

Só posso dizer que esse livro me prendeu do começo ao fim com a sua narrativa fácil (mesmo sendo um clássico) e que eu vou ler mais histórias de terror em breve. 


Nota: 5,0.


Photobucket

2 comentários:

  1. Aline, fiquei super feliz quando você comentou sobre esse livro, porque eu tava tentando lembrar o nome dele há séculos! Ele inspirou A Menina Que Não Sabia Ler e desde então fiquei curiosa pra ler. A resenha está ótima :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Recomendo assistir o filme, de 1961. É fantástico!!!!
    Bj, Aris.
    http://arismeire.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir