Primeiro e único - Emily Giffin @novo_conceito



Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.
Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.









É muito engraçado como cada livro, cada história nos toca de maneira diferente... a primeira pessoa que eu comentei sobre esse livro foi a Dani, e ela leu e resenhou para o blog Minha Velha Estante e não gostou do livro...

Quando fui ler, já estava com um pé atrás, mas as páginas que para ela passaram arrastadas, para mim foram deliciosas...

Eu sou hiper curiosa, me interesso por tudo... sério mesmo, desde religiões, política, culturas, comidas e esportes diferentes... e sempre tive curiosidade para entender um pouco mais de futebol americano...

Quando a Dani reclamou que o livro falava muito disso, meus olhos brilharam pois achei que essa seria minha chance de saber mais sobre o assunto... eu não sou nenhuma esportista, mas entendo bem mais de futebol e outros esportes que muito marmanjo por aí... e para mim os livros são perfeitos para saciar essa minha curiosidade sobre temas que aqui, no meu mundinho, eu nunca teria conhecimento... não sei se me faço entender, mas é um meio de matar minha curiosidade sobre tudo que me cerca...

E mais uma vez fica claro que para gostar ou desgostar de um livro, depende muito mais da pessoa que está lendo, sua vida, suas experiências, suas expectativas, do que da obra em si...

Bem, mas voltando ao livro... a história começa com a morte de Connie Carr, mãe da Lucy, a melhor amiga de Shea... a jovem passou a maior parte da infância e adolescência na casa dos Carr e desde muito cedo passou a se interessar por futebol americano, algo muito presente naquela casa, já que o pai de Lucy é treinador do time da Universidade Walker.

A paixão de Shea por futebol e pelo time de Walker foi algo que sempre esteve em primeiro plano da vida dela, tanto que ela se acomodou... a vontade de estar por perto fez com que ela aceitasse um emprego na universidade e deixasse de sonhar com coisas maiores... namorar um cara bem "mais ou menos" e não ter maiores ambições na vida... mas algo muda com a morte da Sra Carr... 

Shea passa a se questionar sobre o que a faria realmente feliz e como sair da sua zona de conforto...

Uma das coisas que gosto nos livros dessa autora é que ela sempre aborda temas bem polêmicos em seus livros, então antes mesmo de ler eu já estava bem curiosa para saber qual seria a polêmica da vez...

E a autora não decepciona... A Dani não achou o tema tão polêmico assim, mas eu achei... principalmente quando a gente pensa em toda a história de vida da personagem... e logo nos primeiros capítulos já fica claro qual será a polêmica... não vou falar mais á respeito para não estragar a surpresa para ninguém...

O único ponto que fez com que o livro não fosse ótimo para mim, foi que senti falta de romance... Shea vai se descobrindo ao longo do livro, mas a impressão que tive é que o romance no final não foi tão romântico e apaixonado como eu esperava... 

Classificação: 3,5








Photobucket

2 comentários:

  1. Oi Dé...
    Como digo nas minhas resenhas negativas: cada um tem sua impressão.
    É bom ler resenhas contrárias, afinal essa é a magia dos livros.
    Fico feliz que tenha gostado, pra mim foi um fiasco. kkkk Só consegui me apegar ao Ryan e pronto.... ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, já eu não gostei do Ryan...kkkkk
      Engraçado que geralmente gostamos dos mesmos livros né?? Esse foi uma exceção...

      beijos

      Excluir