Fragmentados - Neal Shusterman



Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.
O vencedor do Boston GLobe-Horn Book Award Neal Shusterman desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.





O mundo que conhecemos não existe mais... uma grande guerra foi travada por aqueles que eram a favor da vida e aqueles que eram a favor do aborto... muitas vidas se perderam...

O resultado disso foi uma lei inimaginável... com o avanço da tecnologia criou-se uma lei onde o estado garante o direito a vida de todas as crianças, mas na idade de 13 anos é possível abortá-la retroativamente...

Sim, isso mesmo... retroativamente... jovens problemáticos podem ser fragmentados, a lei exige que 99,44% de seus corpos continuem vivos em outras pessoas... então, se você quebrar um braço, não necessitará mais de gesso, um braço novo pode ser comprado... não existem mais problemas de saúde, pessoas calvas... tudo isso pode ser substituído... há mais cirurgiões do que médicos... afinal não precisamos mais tratar as doenças, basta substituir as "partes" defeituosas...

Uma vez assinada a ordem de fragmentação não há mais volta... e ela só perde o efeito se você conseguir sobreviver até completar os 18 anos... nesse caso, o estado é obrigado a parar de te perseguir e te reconhecer como cidadão...

Connor é um jovem rebelde, um garoto de bom coração, mas de pavio curto que sempre se envolve em brigas... quando descobre que os pais assinaram sua ordem de fragmentação fica desolado, mas não vai ficar a espera de ser desmantelado... ele foge... irá sobreviver...

Nessa fuga encontra Lev, um garoto inocente de 13 anos que é um dízimo... uma criança gerada para ser fragmentada, uma oferta de sacrifício humano a Deus... Lev cresceu sabendo que era um dízimo e foi ensinado a se orgulhar disso... mas toda a ordem do seu mundo desaba quando é sequestrado por Connor...

Risa é uma jovem orfã que vive as custas do estado... graças a uma crise financeira, corte de verbas, é também enviada ao campo de colheita (local para fragmentação)... mas no meio do caminho, um acidente acontece na estrada graças a um jovem que está fugindo da policia... sem pensar nem duas vezes, Risa se junta a Connor e fogem...

É assim que essas três vidas irão se juntar e passam a questionar os valores da sociedade... o livro nos faz ficar horrorizados e passamos a nos questionar também sobre nossos próprios valores...

O meio do livro é bem morno, o que até me desmotivou um pouco, mas do meio em diante, a história fica bem mais rápida e empolgante...

O final é espetacular... comecei a ler sem saber o que esperar e adorei o livro... dói no coração pensar sobre o aborto de jovens... e passamos a questionar a diferença disso para um aborto de um feto... qual momento realmente passamos a existir, a ter alma...

O livro é emocionante, cheio de cenas de ação... e não há como não nos apaixonarmos por esses jovens tão diferentes e tão cheios de vida...

Recomendo imensamente a leitura...

Nota: 5






Photobucket

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

5 comentários:

  1. Débora!
    Li Fragmentados também e adorei!
    Embora a ideia da fragmentação seja ultrajante para mim, principalmente depois de ter 13 anos, adorei a dinâmica da distopia e como foi desenvolvida.
    “A alegria evita mil males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  2. Oi Débora,
    Tenho visto nas últimas semanas muitos comentários positivos sobre esse livro. A capa é linda e só de ser uma distopia já me interesso e muito. Gostei da resenha, ela foi bem esclarecedora ,na minha opinião, em relação a fragmentação. Você me fez ficar muito curiosa em relação ao final - na verdade em relação ao livro todo-. Com certeza vou ler esse livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Creio que minha alegria em relação à este livro é que ele é único. Desde que conferi o booktrailer dele, fiquei muito curiosa,pois nunca li nada parecido com esta historia, e claro que isso somente aumenta minhas expectativas. Ele já esta na minha lista de desejados e depois desta super resenha, espero conferir o mais breve possível. Beijooo

    ResponderExcluir
  4. Oi Dé!
    Eu imaginava que o livro era diferente, que as crianças nasciam e eles cortavam elas em pedaços na mesma hora.
    Imagino como deve ser difícil para uma criança de 13 anos fugir porque simplesmente quer viver.
    O livro realmente deve nos fazer refletir bastante sobre nossa sociedade.
    Acho que o único problema que terei em relação a este livro vai ser eu não o abandonar. Porque, eu costumo abandonar os livros que nao me prendem até o meio e aaconteceu isto com você né?
    Espero que se eu for ler eu goste, porque ainda estou com certo receio do livro, acho a historia um pouco pesada, eu costumo ler mais é romances.
    Beijos!!
    Umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Mais uma resenha positiva desse livro e a cada resenha que leio mais vontade eu tenho de ler, desde o lançamento que eu quero le-lo. Eu assisti ao book trailer desse livro e é de assustar, o bom tambem é que ele não tem nada de cliche

    ResponderExcluir