O Beijo de Chocolate - Laura Florand

Quem Nunca Sentiu Algo Tão Forte Que Pensou Que Só Poderia Estar Enfeitiçado? Na pequena Île Saint-Louis, no coração da romântica Paris, esconde-se uma casa de chá especial e mágica: La Maison des Sorcières. As tias Aja e Geneviève confiaram em sua jovem sobrinha Magalie para ajudá-las na empreitada de encantar os clientes com doces e bebidas que são literalmente feitiços – em especial, o inexplicável chocolate quente de Magalie. A vida seguia tranquila até que o badalado pâtissier Philippe Lyonnais resolve abrir uma filial de sua loja a poucos metros dali. É então que começa uma batalha mais do que apimentada entre os dois doceiros: Magalie tenta punir (e instigar) Philippe com suas xícaras de chocolate quente, e ele a enlouquece com tentações inéditas e cheias de sabor. Magalie, porém, nunca esteve pronta para sentir algo tão forte e, depois de tanto tempo isolada, ao conhecer Philippe vê que não pode mais fugir de quem é e dos seus desejos. Contudo, ele significa o risco de perder tanta coisa… Tudo aquilo que vale mais que um simples – ainda que absolutamente tentador – macaron. Entre a teimosia e o desejo, o doce e o amargo, descubra as emoções que só a paixão com uma boa dose de cacau e magia pode despertar. 

O Beijo de Chocolate (The Chocolate Kiss)
Autora: Laura Florand
Amor e Chocolate - Livro 02
Editora Única (2015)
304 páginas

Quando li Melhor que Chocolate em março fiquei feliz com a escrita envolvente de Laura Florand e ansiosa com o segundo livro da série...

No entanto O beijo de Chocolate foi mais lento, não pela narrativa que continua ótima, porém desta vez os personagens soaram presunçosos e arrogantes em excesso.

Magalie Chaudron é tida como uma bruxa... ela faz chocolate quente na casa de chá de suas tias Geneviève e Aja, em La Maison des Sorcières (A Casa das Bruxas).

Dizem que cada desejo que ela "coloca" no chocolate realmente faz efeito. Magalie deseja acreditar na magia, mas fica mais no fingimento.


Geneviève é uma tia grandona com modos um tanto bruscos, não entende a preferência da sobrinha por homens, mas adora tê-la como sua aprendiz na casa de chá. 

Aja é o tipo quieto, adora fazer chás fortes que a sobrinha bebe apenas por cortesia...

Phillipe Lyonnais é um pâtissier consciente de seu sucesso e seu renome, não consegue entender quando a pequena Magalie invade sua cozinha para ameaçá-lo. Afinal onde tem uma loja Lyonnais tem muitas pessoas envolvidas.

Ela vê a chegada dele na Ilha como um desastre para a pequena casa de chá, ele acredita que ajudará.

Mas nada disso importa,pois Phillipe deseja apenas uma coisa no momento: ter Magalie.

Esperei que a atração que ela nega fosse dar um gás à leitura, mas a insegurança de Magalie é excessiva e as barreiras de defesa dela são enormes.

No lugar do Phillipe eu teria desistido.

Neste volume temos novamente a aparição do blogueiro do Le Gourmand, Christophe e temos momentos divertidos quando isso acontece.

E siiim, temos a Cade e o Sylvain.... Ah e o Sylvain me fez pensar que tem gente mais arrogante que ele... alguém como o mocinho deste livro.

Uma personagem que gostei mas apareceu pouco foi a sobrinha de Phillipe, Óceane, ela é bem espirituosa para tão pouca idade...

Um ponto muito positivo para quem gosta de cenas mais calientes é que a autora caprichou bastante neste, porem nada excessivo.

E fica muito complicado não desejar cada guloseima que o Phillipe cria pensando na Magalie...

Deixem-se levar pelo aroma do chocolate e as belezas das vitrines Lyonnais num belo cenário que vai da Ilha de Saint Louis passando por Notre Dame, Marais e Paris.

Laura Florand faz analogia a Rapunzel quando compara Magalie com a princesa em sua torre, reclusa e fora de alcance do príncipe.

E gente apesar de ter ficado muito chateada com a mocinha, no final ela se redimiu muito bem e ganhou pontos no meu conceito.

A capa é linda, porém a editora cometeu alguns erros na revisão e tem palavras erradas, letras trocadas, pronomes inversos... contudo não afeta o entendimento, uma segunda lida nos dá o real significado da frase.

Estarei no aguardo do terceiro volume e espero que a mocinha não seja tão chata em sua teimosia como a Magalie.

Ps: Nos agradecimentos a autora conta que A Casa das Bruxas foi inspirada numa casa de chá que realmente existiu na Ilha de Saint Louis e que tinha a decoração similar a da história.


E claro que nos deixa uma receitinha de Chocolate Chaud ao final. =)

Nota (0-5): 2,5







Resenha postada originalmente no Minha Velha estante!!!



Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

4 comentários:

  1. Oi,
    Eu já havia lido a sinopse desse livro e não me interessei muito. Não sabia que esse era o segundo livro e pela resenha tive a sensação que realmente não vou gostar. Não gosto de personagens arrogantes, chatos - acho que ninguém gosta-, parece que a história não flui.
    Posso estar errada, mas essa foi a impressão que tive. Mas gostei da resenha. E mesmo não lendo, espero que a mocinha não seja tão chata, quanto essa parece ter sido.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Dani!!
    Eu tenho vontade de ler estes livros, mas ainda não sei se de fato eu irei ler.
    Eu tenho muitos problemas com protagonistas chatos, mas acho que a mocinha ai não é chata do tipo insuportável, porque depois voce até gosta dela.
    Vai ser o que? Uma trilogia... Uma serie? Eu gosto bastante de livros de continuação com histórias independentes.
    Acho tão legal quando a autora deixa alguma curiosidade sobre a historia nos agradecimentos.
    E ps: Faça o chocolate da receita e manda pra mim! Hahaha
    Vou dar uma visitinha no Minha Velha Estante.
    Beijocas!!
    Umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. A capa é realmente linda, é uma pena que tenha alguns erros na revisão, mas se o livro é bom dá pra relevar esses errinhos.
    Já tinha visto sobre esse livro e já o coloquei na minhalista mas ando adiando,

    ResponderExcluir
  4. Danielle!
    Apesar de você ter achado a dinâmica do livro mais lenta que o anterior, para mim uma combinação de chocolate, Paris e romance, não tem como dar errado.
    Gostaria de ler os dois livros.
    “A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.”(Oliver Goldsmith)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir