Um Beijo do Destino - Mary Jo Putney


Editora: Bertrand Brasil
406 páginas

Sinopse:Líder de um poderoso e ancestral clã escocês, Duncan Macrae está determinado a dar um fim aos históricos conflitos entre a Escócia e a Inglaterra. Senhor do Trovão, detém os poderes secretos de um Guardião — ser humano com capacidade mística para controlar as forças da natureza e ler o coração das pessoas. E quando conhece a jovem e independente viúva inglesa Gwyneth Owens, seu espírito ardente é irremediavelmente atraído por uma paixão que colocará sua lealdade à Escócia contra seus votos como Guardião e ameaçará tudo que ele mais ama.


Enquanto as duas poderosas nações e o destino travam seu embate, Gwynne e Duncan precisam levar seus poderes e paixões além dos limites mais proibidos, para salvar o amor e proteger o futuro.







Já embalada pela série Outlander, eu amei Um Beijo do Destino, de Mary Jo Putney. O livro é um épico com toda a doçura de um romance de época.

Os Guardiões são humanos com poderes extraordinários que prezam pela paz e o equilíbrio da sociedade. Gwynne Owens é nascida Guardiã, mas ainda não desenvolveu os poderes, concentrando-se em ser uma grande erudita. Ela se casa com Lorde Breccon, um Guardião já mais velho e respeitável, que vira apenas um amigo e protetor para ela do que um cônjuge.

Após se tornar viúva e protegida da cunhada, Lady Bethany, Gwynne conhece o atraente e poderoso Senhor do Trovão, o escocês Lorde Duncan Macrae. E um beijo a faz ter uma visão de terrível futuro de guerras e miséria. É aí que Gwynne é informada que ela tem um papel decisivo para evitar que esse futuro aconteça.

Adorei simplesmente toda a questão da magia trazida e abordada de forma casual e acertada. Todos os personagens são extremamente comprometidos com as regras dos Guardiões, o que faz entrar em choque com questões como o levante jacobita, em que Charles Stuart levou a Escócia a entrar em guerra com a Inglaterra pela independência.

Esse levante resultou no massacre de diversos clãs na Escócia e, como informa a autora no final do livro, é ainda muito vivo na memória dos escoceses até hoje. Esse fato histórico também é muitíssimo falado em Outlander.

Como um épico menos trágico e igualmente competente, O Beijo do Destino traz um dos casais mais incríveis dos romances: Gwynne, sempre com incrível sabedoria e discernimento e Duncan, apaixonado e capaz de invocar as tempestades mais terríveis. Gostei que o principal ponto de discordância entre eles não foi insegurança ou intriga, como na maioria dos romances, mas as diferentes opiniões sobre o resultado do levante, que pode salvar ou acabar com muitas vidas.

Além disso, em poucas páginas o livro consegue mostrar o início do flerte, em salões riquíssimos na Inglaterra e o clímax da paixão nos cenários lindos e devastadores das Terras Altas da Escócia. E, junto com a magia, mostrar a extensão da intervenção da mesma em fatos históricos e quão terrível isso pode se tornar.

Fiquei muito feliz de ter adquirido esse livro na Bienal do Livro aqui de Fortaleza e quero muito ler outras histórias desse mesmo universo de magia dos Guardiões.

Recomendo para quem adora romances de época bem escritos, com magia e um cenário histórico bem construído (com um capa bonita e belo acabamento de detalhes). Você viaja fácil fácil para os cenários verdejantes de séculos atrás.



Avaliação (de 0 a 5): 5,0








Photobucket

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

8 comentários:

Deixe seu comentário