Assassinato no Expresso do Oriente - Agatha Christie

Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve pára o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Uma americano é encontrado morto em sua cabina, com doze facadas, e a porta estava trancada por dentro. Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime.

Estava com saudades de ler algo da minha autora de mistério favorita e não podia ter voltado com um livro melhor.

Assassinato no Expresso do Oriente vai trazer o detetive mais famoso da autora tentando resolver mais um crime. Hercule Poirot estava viajando no Expresso do Oriente que estava extremamente lotado (fato muito estranho para a época do ano) quando um passageiro é assassinado em sua cabine enquanto era noite. Ele é encontrado com doze facadas e a porta do quarto trancada por dentro. O assassino não pode ter desembarcado porque o trem estava parado devido a uma forte nevasca, oportunidade mais do que incrível para o meu detetive favorito entrar em ação. 


Ele começa fazendo perguntas e entrevistando todas pessoas que estavam presentes no trem e assim, vai traçando um perfil e anotando o que de mais importante cada um falou (até mesmo aquelas frases que alguns dizem sem querer, mas que revelam muitas coisas) e assim, vai colecionando pistas até chegar a solução, que só explicada no final.

Muitas pistas falsas foram plantadas na cena do crime e muitas pessoas contam várias mentiras em suas entrevistas com Poirot. Mas ele, como sempre, colocou a cabeça para funcionar o juntou todas as peças desse mistério incrível.

O livro poderia ser confuso, se não fosse tão bem escrito. Com capítulos diretos, que param naquele momento mais esperado, a autora nos deixa mais do que curiosos para desvendar o mistério junto com o detetive. Seu narrativa sagaz e brilhante nos prende do começo ao fim (como todo bom mistério deve fazer) e até mesmo causa aquela ansiedade que eu adoro tanto em casos onde é necessário pensar e juntar pistas para saber o que aconteceu realmente. Acho que essa é a graça de se ler mistérios e solucionar crimes, o leitor fica tão imerso na história que chega a se enxergar nos personagens e a se imaginar como um detetive de verdade.

A história é curta e envolvendo e é por isso que não revelar demais para vocês. Se você nunca leu nada da autora, acredito que esse seja um livro bom para se começar. Ele não é pesado, mesmo contendo muitas informações.

Estava com saudades de ler mistérios e agora não vou parar mais por um bom tempo!
Nota: 5,0. 


Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês


5 comentários:

Deixe seu comentário