Outlander - O Resgate no Mar - parte II - Diana Gabaldon

Autora: Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência
Série Outlander
656 páginas
Sinopse:
Claire Randall finalmente conseguiu voltar no tempo e reencontrar Jamie Fraser na Escócia do século XVIII, mas sua história está longe do final feliz. O casal terá que
superar muitos obstáculos, de fantasmas a perseguições marítimas, mas o principal deles são os vinte anos que se passaram em suas respectivas épocas desde a última vez que se viram. Se a intensa paixão e o desejo entre eles não parecem ter diminuído nem um pouco, o mesmo não se pode dizer sobre a confiança. Jamie agora é um homem endurecido pelo que aconteceu após a Batalha de Culloden. Claire, por sua vez, precisa lidar com o segundo casamento de seu amado e suportar a saudade de Brianna, que ficou sozinha no ano de 1968. A união dos dois será posta à prova quando o sobrinho de Jamie for sequestrado. Juntos, eles precisarão singrar pelos mares e cruzar as Índias Ocidentais para resgatá-lo, provando mais uma vez que nada é capaz de deter uma história de amor que vence as fronteiras do tempo e do espaço.




Outlander é uma daquelas séries de livros que podem ser lembradas por toda uma vida. Já li muitos e muitos livros e poucos deles - mas bem poucos mesmo - conseguem mexer comigo como essa série faz. Às vezes dá até pra pensar que eu não gosto dos livros da Diana Gabaldon, tamanho é o meu receio de começar um novo.

Mas não é nada disso. É que eu me envolvo tanto - mas tanto! - com a história e os personagens que eu preciso respirar fundo e até me preparar antes de começar a ler. Na segunda parte de O Resgate no Mar não foi diferente.

Claire descobre que Jamie se casou de novo - mas, assim né, se ele esquecesse a "Sassenach" nesses 20 anos não haveria nem mais história pra contar, então...[A SEGUIR, SPOILER] Digamos que o assunto não se prolonga muito no livro, dá uma raiva desgraçada, mas o amor desse casal mais épico de todos os tempos sempre prevalece, já que Jamie casou sem amor e nem vive mais com a "esposa". Coloco aspas porque ele ainda é casado com a Claire né.

São mais de 600 páginas de pura ação. Depois que o Jovem Ian, filho de Jenny, é raptado, Claire e Jamie embarcam para a Jamaica enfrentando corsários, tempestades e até magia. 

Sim! Apesar de ser o fator que juntou os destinos dos dois, a magia nunca era muito abordada, os acontecimentos históricos eram sempre mais presentes. Mas nas duas partes de O Resgate no Mar a magia - e certo tom místico - é conferido em algumas partes da história, sem deixar de lado o realismo da obra.

E, pela primeira vez, Outlander nos leva para bem longe da Europa verdejante e conhecemos a terrível realidade do mercado de escravos na Jamaica e as fazendas de cana-de-açúcar, bem semelhante ao Brasil em tempos parecidos.

Não tem nem como descrever sem soltar spoiler. A segunda parte de O Resgate no Mar traz cenas tocantes, angustiantes, românticas, épicas, de suspense, de surpresa, de pura tensão e ainda muito mais.

Claire mostra ainda mais força e também um pouco de sua vulnerabilidade, sofrida pelas mudanças de Jamie e a separação de Brianna. Jamie está no seu melhor - com exceção das tolices que fez no passado quando achava que Claire tinha morrido, - corajoso, esperto, charmoso, engraçado e sempre temendo perder sua Sassenach a cada nova provação. Cada momento de ternura, cada declaração de amor e cada beijo dos dois mostram a força dos dois sem cair na breguice ou no dramalhão.

Decisão acertadíssima da editora em dividir o livro em dois volumes. São mais de mil páginas ao todo! Mas eu garanto que não há como se entediar. Além disso, a fonte utilizada torna a leitura confortável e o projeto gráfico traz os mesmos símbolos dos outros livros. E essa é a capa mais bonita, na minha opinião. 

Vou ser repetitiva, porque em toda resenha de Outlander eu digo isso, mas LEIAM, LEIAM, LEIAM essa série. E para quem já lê, O Resgate no Mar é leitura obrigatória. Até porque, talvez eu seja a única, mas eu gosto mais da história depois de toda aquela tensão de Culloden. Sem a obrigação de mudar o passado, as aventuras de Claire e Jamie estão ainda mais loucas, mas eu fico mais feliz de lê-las do que as dos primeiros livros. Você acaba de ler a maior parte das aventuras com divertimento em vez de aflição.

P.S: Eu fico me perguntando se alguém já viveu tantas aventuras como Claire e Jamie, viu, porque olha...

P.S²: Espero que a série de TV dure até essa parte da história.Quero muito ver como farão a Claire e o Jamie mais velhos.

P.S³: Fergus se tornou o meu personagem favorito do núcleo "mais jovem".

A coleção:

  Resgate no Mar - Parte 2 
- Tambores de Outono 
- A Cruz de fogo 
- Um sopro de neve e cinzas 
- Ecos do futuro 
- Written In My Own Heart’s Blood 

Avaliação (de 0 a 5): 




Photobucket

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

5 comentários:

  1. Nunca ouvir falar desses livros, mas você falou tão bem deles que fiquei com vontade de ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Micaela, é "apenas" uma das melhores série de livros que já vi na vida. Vale muuito a pena ler. Tem também a série de televisão com o mesmo nome, que é muito boa :)

      Bjs!

      Excluir
  2. Ai Mikaela!
    Tenho o livro anterior e gostaria de ter a série toda porque quero ler tudo de uma vez só...
    Estava todo mundo preocupado de como seria a continuação e pelo visto, não ficou a desejar.
    “Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy, eu achava que não era possível, mas esse é bem melhor do que o livro anterior. Pra mim, ele está no mesmo nível que A Viajante do Tempo, o primeiro.

      Bjs!

      Excluir
  3. Oie
    Eu tenho um pouco de curiosidade sobre essa série mas ela é menor que minha preguiça Kkk.São tantos livros,tantas páginas que já desisti.E eu gostei do local mais dark onde se passa esse livro,e em que ano mesmo ele se passa?.E a Diana só tem que ser uma boa escritora mesmo por que imagino o quanto e difícil escrever todas essas páginas sem decair no enredo.

    ResponderExcluir