Toda Poesia - Paulo Leminski

Paulo Leminski foi corajoso o bastante para se equilibrar entre duas enormes construções que rivalizavam na década de 1970, quando publicava seus primeiros versos: a poesia concreta, de feição mais erudita e superinformada, e a lírica que florescia entre os jovens de vinte e poucos anos da chamada “geração mimeógrafo”. Ao conciliar a rigidez da construção formal e o mais genuíno coloquialismo, o autor praticou ao longo de sua vida um jogo de gato e rato com leitores e críticos. Se por um lado tinha pleno conhecimento do que se produzira de melhor na poesia – do Ocidente e do Oriente -, por outro parecia comprazer-se em mostrar um “à vontade” que não raro beirava o improviso, dando um nó na cabeça dos mais conservadores. Pura artimanha de um poeta consciente e dotado das melhores ferramentas para escrever versos. Entre sua estreia na poesia, em 1976, e sua morte, em 1989, a poucos meses de completar 45 anos, Leminski iria ocupar uma zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira, pela qual transitariam, de forma legítima ou como contrabando, o erudito e o pop, o ultraconcentrado e a matéria mais prosaica. Não à toa, um dos títulos mais felizes de sua bibliografia é Caprichos & relaxos: uma fórmula e um programa poético encapsulados com maestria. Este volume percorre, pela primeira vez, a trajetória poética completa do autor curitibano, mestre do verso lapidar e da astúcia. Livros hoje clássicos como Distraídos venceremos e La vie en close, além de raridades como Quarenta clics em Curitiba e versos já fora de catálogo estão agora novamente à disposição dos leitores, com inédito apuro editorial. O haikai, a poesia concreta, o poema-piada oswaldiano, o slogan e a canção – nada parece ter escapado ao “samurai malandro”, que demonstra, com beleza e vigor, por que tem sido um dos poetas brasileiros mais lidos e celebrados das últimas décadas. Com apresentação da poeta (e sua companheira por duas décadas) Alice Ruiz S, posfácio do crítico e compositor José Miguel Wisnik, e um apêndice que reúne textos de, entre outros, Caetano Veloso, Haroldo de Campos e Leyla Perrone-Moisés, Toda poesia é uma verdadeira aventura – para a inteligência e a sensibilidade.

Toda poesia vem carregada de um sentimento. Seja ele bom ou ruim, seja ele real ou inventado pelo poeta. Amor, ódio, felicidade, tristeza, revolta, foram algumas das emoções que eu senti lendo os poemas incríveis de Leminski. Toda Poesia se trata de uma coletânea que contém todos os poemas publicados em seus livros, seja em vida como postumamente. 

A profundidade e sensibilidade de seus poemas é o que mais chama atenção. Fica impossível não se deparar com um verso ou rima que não se encaixe em sua vida. O poeta a toda tempo está se redescobrindo e se reinventando (e consequentemente amadurecendo - o que fica claro pela sua escrita) o que faz com que todos possamos nos identificar com tudo o que ele quer nos transmitir. 
Acredito que a poesia leva tempo para ser entendida, tem que ser lida de coração aberto e mais do que tudo: precisa ser apreciada. Apesar de ter lido rápido todo o conteúdo do livro, durante a leitura eu me peguei fazendo pequenas pausas para refletir sobre tudo o que eu estava lendo. A carga emocional que um livro de poesias traz é gigantesca e mexe muito com a gente. Pra mim, chego a dizer que é algo mágico. 

Eu vou confessar para vocês que nunca tinha lido nada do Leminski (a não ser alguns poemas soltos daquelas que a gente encontra espalhados pelas redes socias) mas sempre gostei de poesia, desde quando a minha professora de literatura lia para toda a turma poetas como Carlos Drummond, Fernando Pessoa e Vinicius de Moraes. Sempre me encantei com aquelas rimas perfeitas e bem pensadas e achava incrível como alguém podia demonstrar o que sentia utilizando muitas vezes de metáforas e poucas palavras. 

Esse é um livro que quero guardar pra sempre para que eu possa reler várias e várias vezes. Se tornou um dos meus livros preferidos. 

Se você gosta de poesia e ainda não conhece o trabalho incrível de Paulo Leminski, vá já procurar esse livro. E se você nunca leu poesia, acredito que esse seja um bom livro para se começar. 

Nota: 5,0

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

5 comentários:

  1. Aline, eu não sou fã de poesias, porém adoro ler algumas quando preciso refletir. Ainda não conhecia o trabalho do autor Paulo Leminski. Fiquei super feliz em saber que ele consegue passar para os leitores as emoções de sua escrita. Procurarei saber mais sobre o autor.

    ResponderExcluir
  2. Aline!
    amo poesia e fico bem feliz quando vejo um livro de poemas, porque me parece que andam sumindo do mercado literário e do Leminski são ótimas!
    “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”(Antoine de Saint-Exupéry)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. que legal esse livro reunir todos os poemas do autor. Fiquei com muita vontade de ver a edição, pois você disse que tá linda.
    É muito bom termos um autor com escrita envolvente, principalmente em poesias, que é difícil de se ver.
    Ótima resenha! Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Nossa você escreve muito bem! Adorei a resenha, e olha que nem curto muito poesia! Sinceramente adorei!

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Eu já sou uma pessoa totalmente contrária a você,não consigo me interessar por poesias e na maioria das vezes não interpreto elas tão bem.Mas se eu me deparar com esse livro já sei o quanto ele é bom,vai que me faz mudar de idéia né.Adoro histórias sensíveis e emocionantes.

    ResponderExcluir